quarta-feira, 25 de julho de 2012

Politicamente incorrecta # 1

Se há coisa que eu não sou é politicamente correcta.
Comigo não há cá enredos. As coisas ou são ou não são. Ou é preto ou é branco. Ou é sim ou é não.

E acabei agora de ver as noticias sobre o encerramento futuro de uma fábrica do grupo Peugeot Citroen em França e consequente despedimento de milhares de pessoas, devido á crise no sector automóvel. Os trabalhadores apressaram-se para as manifestações e EXIGEM uma revisão ás demonstrações financeiras apresentadas pela empresa porque desconfiam que o prejuízo está inflacionado.
Do meu ponto de vida nada politicamente correcto é assim:

Os trabalhadores de uma empresa só podem EXIGIR o cumprimento dos seus direitos salariais.
Quero eu dizer com isto o quê? Simples, isto é uma democracia! O meu patrão constitui a sua empresa e contrata-me. Eu trabalho, ele paga-me! É este o acordo. Passado uns dias, meses, anos ou décadas o meu patrão resolve fechar a empresa (seja qual for o motivo, nem que seja só porque lhe apetece) o que significa o pagamento dos direitos aos trabalhadores e mainada!!! (isto somente do ponto de vista patrão-empregado claro)

Que história é essa de manifestações porque não querem que a empresa feche???
Que é isso de pedir auditoria à contabilidade???
Que é isso de -"ah e tal eu trabalhei aqui durante 20 anos e agora é assim..."??? Trabalhou sim sr. e se sempre recebeu o salário certinho e se lhe vão pagar os direitos, que mais quer??? A empresa é do patrão, ele fecha-a quando quiser, desde que cumpra com as suas obrigações!!! Se os empregados gostam assim tanto da empresa que a comprem ao patrão e fiquem com ela.
Ah e tal os patrões são ricos!!! Então é simples: façam como eles!

Atenção que refiro-me aos casos em que as empresas em nada falham com as suas obrigações quer salariais quer fiscais.

Eu sei que nem pareço uma assalariada a falar mas sou!

Simplesmente prefiro analisar as situações de vários prismas  e sem rodeios.

Sem comentários: