segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Choro

Não choro por homem algum.
Choro pela inocência perdida, pelo tempo que passa e pelas palavras que não ouço.
Pelo que se perde sem se dar conta.
Choro para lavar a alma, levantar a cabeça e prosseguir.
Choro porque esta vida é minha.
Choro porque estou viva.

1 comentário:

Wendy disse...

E deves chorar sempre que te apetecer. Não seria justo de outra forma e enquanto quem te magoou se for com o choro continuarás a ser tu a definir a tua força.