quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Paciência. Mãe ou avó?

Uma cliente foi mãe aos 46 anos.
Levantou-se aqui a discussão entre as gajas. Umas defendem que em termos de paciência a mãe vai ser avó...ou seja, não vai aturar a criança porque não tem a mesma disposição e energia que teria se fosse mãe jovem. Eu, por outro lado, acho exactamente o oposto. E por regra os avós estragam as crianças de mimos, por isso não percebo o raciocinio delas. O meu é o seguinte:

Imaginemos uma mãe aos trinta e muitos ou quarenta anos...

em primeiro lugar já não anda stressada a pensar  na carreira, ou já a tem, ou não vai ser agora... Já fez as horas extras todas que tinha  a fazer para ficar bem na fotografia e conseguir a promoção...  agora já só quer é ir para casa tratar da criança;

depois como não estoirou a cabeça a conciliar carreira e maternidade, está de mente aberta e tranquila para se dedicar em exclusivo ao bebé;

não se queixa que não pode ir de férias porque o dinheiro vai todo para o infantário... por esta altura já viajou tudo o que queria viajar, precisamente porque não tinha filhos para criar/sustentar.

já gozou bem a vida. Agora quer é distribuir e receber amor, sem qualquer ressentimento do que vai deixar de fazer ou viver porque já gozou mais que muita gente irá gozar até morrer.

Venham a mim as criancinhas :)) minhas claro! ... pronto criancinhA...que já estou velha :P

2 comentários:

homem sem blogue disse...

Compreendo o que dizes. Só me assusta ser pai "velho" com medo de não ter paciência para a criança numa idade mais avançada. É isso que me assusta.

beijos

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

Katie disse...

Entendo o teu ponto de vista, mas no meu caso sempre quis ser mãe cedo.
Mas até tens razão, aos quarenta a nossa disponibilidade é outra, já não temos tanta coisa na cabeça.
Eu fui mãe aos 22 anos, cedo?? Nahhh, até hoje acho que foi a melhor altura, e é lindo vê-la crescer enquanto sou jovem. :-P