terça-feira, 19 de março de 2013

Dizem que é dia do pai

Tive um pai presente fisicamente cujo papel era reprimir e aterrorizar. Não directamente as filhas, mas indirectamente pela maneira como tratava a minha mãe com agressividade física e verbal.
Mal ele entrava em casa imperava o silêncio pois de qualquer coisa surgia a discussão... Eu contava os minutos para ele sair novamente pela porta fora.
Nunca me bateu mas deixou marcas de infância que ainda tento apagar. Foi ausente, negligente e até hoje representa tudo aquilo que NÃO quero para mim como marido nem como pai dos meus filhos. Tendo a vida dos meus pais como exemplo desde miúda que sei muito bem o que NÃO quero para mim. Isso fez com que o meu principal objectivo de vida fosse ser independente financeiramente para não ter que aguentar o que a minha mãe aguentou. Assumo que esse objectivo bem definido me fez crescer forte e determinada. Como o meu objectivo foi concretizado devo-lhe agradecer ter participado desta forma no meu desenvolvimento.

Cresci e ganhei o seu respeito.  Agora aos meus 35 anos está presente como um pai "normal" apesar de pouco falador. Os amigos dele dizem-me que tem muito orgulho em mim.

Apesar da infância de medo que me proporcionou tento compreender que se calhar ele não o fez por mal...se calhar não sabia ser de outra maneira... neste dia do pai escrevo mas não digo:

Amo-te pai!



4 comentários:

Orquídea Branca disse...

Ás vezes nem é preciso falar! às vezes só com o olhar sabemos como nos expressar :)
Um bom dia do pai para o teu!! :)

Roger disse...

Acredito que há traumas que não se esquecem e quando a infância não é feliz as marcas ficam para sempre. Contudo observo que hoje és uma pessoa realizada e que ganhaste o seu respeito, parabéns por isso :)

(Vou seguir :))

A Bomboca Mais Gostosa disse...

Apesar de tudo não foi tudo mau.
Feliz dia do Pai!

homem sem blogue disse...

Um Feliz dia para o teu pai e para o pai do teu menino :)

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt