quarta-feira, 10 de abril de 2013

Faz lembrar alguma coisa?

A minha vizinha pede-me dinheiro emprestado.
Eu ajudo.
Chega ao dia de devolver e diz que não tem.
Ainda por cima pede mais dinheiro.
Eu digo, empresto-te se fores abatendo algum ao que te emprestei inicialmente.
Ela diz que não tem como devolver.
Eu arranjo soluções: tipo cortar nas idas ao cabeleireiro, no tabaco, deixar de ter empregada doméstica, não viajar, etc.
Ela diz que não. Não faz cortes.
Então eu não empresto.
E ela vai ter que cortar na mesma porque não tem como sobreviver.
Entretanto toda a vizinhança sabe da divida e ninguém ajuda, porque não são tolinhos.
Eu continuo sem receber o dinheiro que emprestei inicialmente, e sou a má da fita porque não empresto mais e ainda me quero meter na vida dela, propondo soluções para pagar o que me deve.

É o estado no nosso país.

5 comentários:

Orquídea Branca disse...

bem, gostei da comparação!!!!

A Bomboca Mais Gostosa disse...

Boa metáfora.

Eve disse...

se keres arranjar inimigos... empresta dinheiro...

Paulo Nunes disse...

Eu não emprestava claro... sabendo que a peça é assim, não quer cortar despesas... era o que mais faltava!!

uba disse...

Já diz o ditado: Queres perder um amigo, empresta-lhe dinheiro.