quinta-feira, 4 de abril de 2013

Governo quer criar part-times para que haja tempo de 'fazer filhos'

Governo quer criar part-times para que haja tempo de 'fazer filhos'.
O ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, fez saber que o Executivo liderado por Pedro Passos Coelho está a estudar a hipótese de usar verbas comunitárias para suportar postos de trabalho a tempo parcial e, com isto, incentivar a natalidade no País.
 
“Queremos usar verbas europeias para suportar a empregabilidade parcial”, concretizou o governante, citado pela rádio TSF. E sustentou: “Uma mãe ou um pai pode vir mais cedo para casa, pode eventualmente vir a trabalhar apenas meio-dia que o Estado suporta o restante
 
 
Eu concordo plenamente! Mas fiquei com uma dúvida...a noticia fala em "criar" postos de trabalho...e quem já tem posto de trabalho? Pode passar a part time? E o patrão deixa? Quando posso começar a "fabricar" o segundo filho?  Vão demorar muito a implantar a medida...vejamos....quando são as próximas eleições? E abono de familia? Já vou ter direito por só trabalhar meio dia, é que eu sou rica porque trabalho o dia todo, com esta medida sou passar a ser pobre e o Estado dá-me abono? E o infantário? Vão pagar meio dia de infantário? E as fraldas? Posso usar só meia fralda de cada vez? E   já agora porque não aproveitar e colocar os pais a parir? Toca a mexer nisso que anda muita coisa mal...
 
É também outra forma de colocar as ciganas, ucranianas, kosovares, sem abrigo e adolescentes a procriar para assim terem mais tempo para estar no café a gastar os subsidios, abonos de familia e afins... enquanto as crianças correm descalças pela rua ao frio a pedir esmola.
 

3 comentários:

S* disse...

Talvez a solução para esse desemprego seja mesmo essa: todos trabalharmos menos horas, para que mais pessoas tenham trabalho.

Morango Azul disse...

E como vamos viver com menos salário? Se trabalhamos menos, recebemos menos, certo? E as contas para pagar no fim do mês? O banco continua a querer a prestação por inteiro, a seguradora também e o meu estomago também quer comer uma refeição e não meia.

uba disse...

Eu entendo a ideia de part.time, porque os países nórdicos usam muito isso de forma a que o emprego chegue a toda a gente. Mas não é apenas uma questão de leis, mas de mentalidades. Se eu passar a part-time, vamos supor: o patrão a pagar 50% do ordenado e os outros 50% dos fundos comunitários, o que o vais obrigar a dar emprego a outra pessoa para o restante período laboral?!?!?! Tem de ser muito bem pensado e muito bem esclarecido e fiscalizado para que não seja mais uma forma de despachar pessoal!
É tudo muito bonito na teoria, mas na prática...