sexta-feira, 31 de maio de 2013

Sabes que as hormonas se apoderaram de ti quando

no último episodio do castle ele a pede em casamento e tu choras que nem uma perdida.

Ainda sobre a amamentação

Aprendi no curso lá do hospital algo que desconhecia.

Que no primeiro ano as mães trabalhadoras têm direito a dois períodos de 1 hora cada por dia para dar de mamar ao bebé acho que todos sabíamos (seja leite materno seja artificial)...agora que se a criança continuar a beber leite materno depois desse período esse direito mantém-se é que nem todos imaginávamos!!! É preciso levar mensalmente uma carta do médico a atestar que a mãe está a dar de mamar e, teoricamente, o direito mantém-se.

Prontamente respondi: o meu filho vai mamar até aos 10 anos!!! :)

Infelizmente a realidade laboral é outra ao que outra mãe respondeu: e depois somos despedidas!!!

A verdade é que, por vezes, as leis só se aplicam a sectores onde os sindicatos têm muita força...como na função pública e no sector bancário(falo por mim)... Agora quem trabalha em empresas pequenas e médias é constantemente ameaçado de despedimento quando tentam invocar os seus direitos. É o país que temos...

Nem de proposito

Estava eu ao telefone com uma amiga minha que é madrinha de uma bebé que nasceu na semana passada. Perguntei-lhe se estava tudo bem com a pequena ao que ela responde:

- Fui vê-la à maternidade e ainda não fui lá a casa. Estou a deixar a família se ambientar, mas falei com a minha amiga ao telefone e ela diz que está tudo bem...estaria melhor se os pais e ao sogros não estivessem sempre lá em casa...diz que já nem os pode ouvir...

Ora nem mais! O povo não percebe que as pessoas querem estar em paz e sossego e têm mais é que descansar?

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Decisão tomada e comunicada a quem de direito- as visitas ao bebé

Ando eu aqui a remoer a gestão das visitas ao meu pequeno filho já há semanas...então depois da "sogra""insinuar" que ia acampar para a MINHA casa é que não parei mesmo...Assim, já tomei uma decisão e comuniquei a quem de direito: ao pai da criança. Ora como sou eu que vou parir, andar com as dores da cesariana uns dias, dar de mamar e mudar milhentas fraldas em poucos dias e ficar privada de dormir, é legitimo que seja eu a zelar pelo meu bem-estar, porque se estiver à espera dos outros estou phodida tramada.

No decurso do curso de amamentação e puericultura fomos ouvindo por diversas vezes as enfermeiras a chamar a atenção que as visitas devem ser breves porque a mãe  e a criança precisam descansar, que não se devem preocupar com trenguices como fazer sala às visitas, terem que se vestir porque vai gente lá a casa, enfim... eu acho que fiquei traumatizada... Sendo eu uma gaja que aprecia paz e sossego, que gosta muito de estar no cantinho delas sem ninguém a chatear e possuidora de um mau feitio invejável vou informar familiares e amigos que:

 - No dia a seguir ao parto podem ir todos ao hospital desde que só lá estejam por BREVES instantes: Uma vez que será no particular o horário de visita é super alargado (12.00h ás 22.30h) e não há limite de povo dentro do quarto... o que é uma chatice, diga-se de passagem...Ora eu não pretendo nenhum acampamento cigano lá na maternidade e vou para o particular para EU ter conforto, privacidade, paz e sossego.

- Visitas em casa só depois do primeiro mês: é um período de adaptação com muitas mudanças e a última coisa que me vai apetecer é fazer sala a alguém . É claro que quem me conhece acha isto perfeitamente normal e sei que respeitará...quem não gostar da ideia tem bom remédio que é nunca mais aparecer. Mesmo para a criança é um período em que o sistema imunológico ainda está fraquinho e convém resguardar a criança. Não estou a dizer que vou ficar fechada em casa um mês...nem pensar...mal recupere da cesariana ponho-me no caralho... saio de casa e vou dar umas voltas, mas esta desculpa serve perfeitamente para afastar campistas lá de casa.

Estas regras aplicam-se a TODOS excepto à minha mãe e irmã...obviamente. Porquê? Simples, elas não são visitas na minha casa. Elas são a continuação de mim, a minha vida. São quem me atura há 35 anos, quem vai cuidar da minha casa, roupa e comida nos primeiros dias de vida do bebé...(Aliás coisas que deveria ser o pai da criança a fazer, mas como os homens em geral escondem-se na desculpa que "não sabem"...) e sei que saberão respeitar o meu espaço e sossego...

A reação do pai ao meu comunicado foi de silêncio. Ele percebeu que o objectivo desta decisão é o melhor para os 3.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

contagem decrescente

Faltam 30 dias.

Só garganta...areia de mais para a camioneta deles

Por motivos profissionais o meu namorado convive e trabalha com homens mais velhos. Chega mesmo a viajar várias vezes por ano na companhia deles, pelo que o à vontade e a confiança vão ganhando terreno...já assim o é há anos. Vai daí que ninguém vai para novo e uma grande percentagem deles já passou pelo cancro da próstata. Felizmente todos se safaram a tempo...também...recorreram ao privado (coincidência ou não).

Mas vamos ao que interessa... eles continuam a mandar piropos, a fazer a corte, a cobiçar as mulheres quando estão em grupo com outras pessoas, sentem-se machos...mas quando estão sozinhos confidenciam que depois da cirurgia nunca mais conseguiram ter uma ereção.

Pois é a vida... mas garganta...essa têm muita! Ainda gostava de ver alguma a aceitar o convite...queria ver o que fariam na hora H...

terça-feira, 28 de maio de 2013

Isto das mamas de silicone


Antes de colocar o silicone e escolher o cirurgião, procurei o máximo de informação possível sobre o assunto e entre outra coisas, li assiduamente o blog mamoplastiadeaumento.blogspot.com

Um assunto que me preocupava era o tamanho a colocar. Não queria nada de exagerado e que desse muito nas vistas. Queria algo proporcional ao resto do corpo... e então lia relatos de mulheres que DIZIAM que pesavam e mediam aproximadamente o mesmo que eu, que tinham colocado 350 ml - 450 ml, etc, em casa mama e estavam arrependidas porque não se notava nada... Eu achava aquilo estranho...como é possível não se notar.

Quando fui ao cirurgião ele aconselhou 350ml mas eu deixei bem claro que não iria passar dos 300ml...No dia da cirurgia em si optei por 280 ml em cada mama. O resultado foi muito bom, tal como eu queria, um peito perfeitamente proporcional ao resto do corpo. Não me arrependo de nada.

Agora grávida de 8 meses tenho a dizer que o peito aumentou e bastante. Acontece é que como a barriga está grande, o impacto visual não deixa que as mamas se sobressaiam. Posto isto só posso concluir que quem diz que com 400 ml de silicone em cada mama fica na mesma é porque mente com todos os dentes em relação ao seu peso... é impossível meter essa quantidade e não notar diferença...até porque 400ml é muito mililitro...

Orgasmo

Estou aqui deitada a ver clinica privada e deparo-me com esta cena:

uma grávida sem companheiro implora por sexo a um colega que tem fama de ser bom na cama.
face à recusa dele ela insiste dizendo que precisa de um orgasmo para conseguir aguentar o stress e blá blá blá.

ora eu pergunto: desde quando é que é preciso sexo para ter um orgasmo? oh mulher usa as maozinhas que assim está garantido!!!

É por isso que eu gosto mais de animais do que certas pessoas

O namorado da minha amiga foi uns meses para a Alemanha procurar emprego. Cá ficaram ela e os dois cãezinhos.
O animal mais chegado ao namorado começou a lamber-se, repetidamente, nas patas tanto que até ficou com ferida. Lá foram ao veterinário...
Conclusão: saudades do dono;
Tratamento: Xanax.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Coisa de homens

Passam a noite aos altos roncos e não deixam ninguém dormir... vizinhos incluídos.
No dia seguinte têm a lata de dizer... ai não dormi nada.

domingo, 26 de maio de 2013

Violência doméstica - Está explicado

Há muito que se diz que a violência doméstica está a aumentar em Portugal. Alguns associam tal facto à crise e ao desemprego pois as pessoas ficam mais tempo por casa, andam irritadas e frustradas...
Mas EU  tenho a seguinte teoria:

A culpa é do benfica!

Os seus adeptos foram na cantiga que seria este ano o regresso às vitórias e mais: iam conquistar TUDO... mas depois ficaram-se pelo quase... isto deixa qualquer um frustrado...
Eu própria fui ameaçada há minutos dentro da minha própria casa por um benfiquista. QUASE que era agredida...

Um apoio aos mouros: pensem pelo positivo...desta vez não foi ao minuto 92 :P

A sério

É muito triste ser benfiquista.

viva o norte carago.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Começas a pensar na vida quando

moras no 2º andar e ouves o bebé do rés-do-chão a chorar com cólicas...

Eu não diria melhor


Como dizer isto com suavidade?
O nascimento do segundo aproxima-se. Os preparativos para o parto incluem a programação da agenda de visitas: umas à maternidade, outras já em casa. Eis algumas considerações. O período neonatal compreende os primeiros 28 dias de vida do recém-nascido. É um período crítico, durante o qual o bebé está muito susceptível a infecções. Infecções essas que levarão sempre a hospitalização. Qualquer recém-nascido com febre exige visita hospitalar, para rastreio séptico e, muito provavelmente, internamento em unidade de cuidados neonatais.

Pensem nisto. O recém-nascido viveu os últimos nove meses debaixo de água. Recebeu sempre os nutrientes já digeridos e prontos a consumir. Pelos seus pulmões e pelo seu intestino, só circulava líquido amniótico. Os sons que ouvia eram filtrados pela barriga da mãe, que também o protegia de todas as agressões mecânicas. Todas estas 'regalias', ele perde de um dia para o outro. Este organismo fechado numa 'redoma' terá agora que lidar com ar (mais frio e mais seco, do que ele alguma vez sentiu), com a alimentação oral (leite que terá de digerir e 'partir' em todos as pequenas substâncias que fazem funcionar o corpo), com vírus e bactérias a gravitar à sua volta (a colonizarem-lhe a pele, o intestino, o nariz e a boca), com barulho, com frio, com calor. Passa de 8 para 80, em minutos, o que debilita o seu corpo frágil. Tem de ser o mais protegido possível.

Agora, o lado materno. A gravidez é um processo desgastante para qualquer mulher. Apesar de algumas não se sentirem fatigadas psicologicamente, socialmente e biologicamente o impacto é enorme. Sempre. As últimas semanas são de uma privação ao sono monstruosa. Privação esta que se manterá seguramente durante os primeiros meses de vida da criança. Depois há toda a adaptação do recém-nascido à mãe e da mãe ao recém-nascido. É uma aprendizagem que (dizem-me) é sempre nova. Não há filho igual ao outro. É o 'pegar' na mama (ou tetina), são as cólicas, as fraldas, as manchinhas, o choro por isto, o choro por aquilo, o choro por coisa nenhuma. Enfim, os primeiros dias de vida são difíceis. Bonitos de recordar, mas difíceis de viver.

Se em cima disto tudo, a Mãe tem que fazer boa cara para cumprimentar a prima, o bebé tem que se aperaltar para receber o tio da mãe da amiga, os dois têm que aturar uma sala cheia de gente a contar lugares comuns. O francisquinho nasceu assim, o outro parecia um leitão, a menina comia assado, outra nem por isso. Para além disso, existem patogéneos (vírus, bactérias, fungos) que transportamos inconscientemente nas mãos, nos cílios do nariz, na própria roupa, que entrarão em contacto com o recém-nascido frágil e com poucas defesas. Se existe alguma coisa boa (e acredito que seja das únicas) pelo facto de as famílias viverem mais isoladas, é o facto de poderem se proteger deste tipo de agressões. 

Não me interpretem mal, porque quem tem um blogue gosta de socializar. Não sou excepção. São só 28 dias, para Mãe e bebé se adaptarem convenientemente a esta nova vida. Para mim, e para a maioria dos pediatras com quem trabalhei, é uma imposição médica: as visitas durante o primeiro mês deverão ser espaçadas no tempo e restritas no número de pessoas. Aos primeiros dias, só a família mais próxima. Os outros terão muito tempo para adorar o menino.


http://eosfilhosdosoutros.blogspot.pt/2013/01/como-dizer-isto-com-suavidade.html#comment-form

Fugir a boca para a verdade

O Dr. Quintino Aires foi para a rua apurar a opinião e reacção de quem passava sobre certos hábitos e comportamentos de outras culturas. Pelos vistos há uma tribo indigna onde é tradição a irmã oferecer o marido à sua irmã viúva para ela não se sentir sozinha e assim ser consolada. Quando questionou se estariam dispostos a fazer o mesmo, as reacções foram:

mulheres: não! nem pensar..o marido é meu e só meu... ai e tal eu sou religiosa e viúva e nunca me passaria isso pela cabeça...nunca iria prá cama com o meu cunhado...

homens: riso! MUITO riso... (aquele riso maroto, estão a ver...assim de safadinho) e ainda demoraram alguns segundos a responder (estariam a imaginar a cunhada e o consolo proposto???) ao que uns terminaram por dizer que não, outros que sim, se a esposa insistisse, e outros que talvez.


quarta-feira, 22 de maio de 2013

Coisas que não entendo

Porque é que a policia atira a matar e depois gasta meios como helicopteros para levar os criminosos feridos para o hospital.
Das duas uma: se nao é para matar nao atirem a orgaos vitais,  se é para matar é deixa-los morrer. que mania de complicar...

Politicamente incorrecta #9

Muito se tem falado de reformados e pensionistas.. que são uns coitadinhos, vivem na miséria e gastam fortunas na farmácias todos os meses. Se há alguns que assim o são...não generalizemos!

Como funcionária bancária e neta vos digo: há reformados que não levantam a reforma do banco. E não me refiro a valores elevados, não. Há reformas de trezentos/quatrocentos euros que não são mexidas, não são usadas... ficam lá uns meses e depois são aplicadas a prazo- a render como dizem eles.
São pessoas com casa própria, ou que vivem com familiares ou que pagam 10 eur de renda por mês. São pessoas que se reformaram cedo porque antigamente não havia regras nem controlo. São reformados que continuam a trabalhar, a fazer uns biscates, a limpar umas casas, a tomar conta de crianças, etc... São pessoas que têm um quintalzinho com couves, hortaliça, fruta, galinhas e ovos. Muitos têm dinheiro de heranças.
Nem todos os reformados são doentes, felizmente. Nem todos os reformados são uns coitadinhos. Assim como nem todos os reformados merecem a pensão que recebem. E passo a dar o exemplo:

A minha avó reformou-se aos 40 anos. Ou seja, já estava reformada antes de eu nascer. É certo que começou a trabalhar aos 10 anos. Mas mais certo é que antigamente não se faziam descontos, pelo que só mais tarde é que começou a descontar. Na prática não terá descontado mais de 15 anos. Ninguém sabe o motivo da reforma. O que dizem é que antigamente era assim, reformavam-se e pronto. A minha avó não era doente, faleceu aos 90 anos estando doente apenas 4 meses. Ela passava largos anos sem visitar o médico, aliás, não me lembro dela ter, sequer, uma gripe...e ela morava na casa ao lado por isso sei do que falo. A minha avó andou a receber uma reforma de trezentos euros, mais coisa menos coisa, durante 50 anos e só descontou 15. Ela não levantava o valor da reforma. Trabalhou até aos 80 anos fazendo limpezas num café no centro da cidade, também tinha uma rendimento extra de uma casita que tinha arrendada e lhe dava 50 eur por mês. É claro que se ela fosse viva hoje e a entrevistassem para a tv e dissessem que ia receber menos de reforma, ela responderia logo que não era justo, que era tudo uma cambada de ladrões, nunca confessando que nem sequer ia ao banco levantar o dinheiro e que o usava para dar prendas de casamento aos netos e pagar as dividas de alguns filhos.

Como a minha avó há muitos. Trabalharam uma vida? Sim é verdade e por isso foram remunerados. Se descontaram para as reformas que têm, não, nem todos! Se é um direto que eles têm, sim com certeza mas se o país está em crise e todos temos que contribuir porque é que eles seriam diferentes?








Como é que chegamos a este ponto? Para mim a culpa é dos Morangos com Açucar...

Júlio Machado Vaz


885 alunos, com idades dos 11 aos 18 anos, consideram legítimos comportamentos abusivos com as namoradas ou namorados, segundo inquérito feito pela UMAR.

Mais de metade dos rapazes e das raparigas acham que é normal proibir a namorada/o de vestir certas roupas e de sair com determinados amigos/as.
 

Entre os rapazes, 5% considera que agredir a namorada ao ponto de deixar marcas não é ser violento. 25% dos rapazes e 13,3% das raparigas entendem que humilhar a namorada/o é legítimo e que ameaçar a namorada ou o namorado é normal (15,65% dos rapazes acha que sim e 5% das raparigas também).
 

Estas respostas foram obtida nas respostas a um questionário feito a uma amostra de 885 alunos de escolas de Porto e de Braga no âmbito do Projeto Mudanças com Arte da UMAR. DN.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Das modas

O que está na moda hoje é ser DJ ou fashion advisor/consultora de moda.

Eu acho piada porque elas falam, falam, falam e eu chego à conclusão que a moda é tudo. Tuuudo está na moda. São os estampados, os lisos, os transparentes. Os assimétricos, os rectos, enfim...dispara-se em todas as direções e está feito...salienta-se uma ou duas cores e pronto... verde e amarelo parece ser a máxima desta estação...pode ser look integral ou misturado com outras cores. As carteiras ou são da mesma cor da roupa ou são em contraste... resumindo: é vestir o que cada um quiser que está sempre bem.

Agora um modelito que uma destas fashionistas mostrou na tv para mim é mais que ridículo. Quanto me haviam de pagar para eu andar na rua com calças de FATO DE TREINO, sapatos de salto alto tacão agulha e bicudos, camisa e blazer... e depois ainda criticam os homens que vão para a praia de calções e camisa...nem o zé castelo branco saia à rua nessas figuras!!!

Viver na aldeia

Vai uma gaja a pé até ao centro da aldeia...diga-se ali abaixo e já volto... ao supermercado comprar uns rissões.
Começa a imaginar os "possíveis" trajectos" a serem feitos com o carrinho do bebé... já que no curso de puericultura aconselham a dar um passeiozito diário de meia hora.

1º - Não há passeios... aquela coisa por onde devem andar os peões(?!)... zero
2º - A estrada é em paralelo do tempo do Salazar, pelo que os buracos são mais que muitos
3º- As ruas são inclinadas...ora subida ora descida...
4º - Os habitantes da aldeia seguem-nos todo o caminho com o olhar

Queres condições? Vai prá cidade!


segunda-feira, 20 de maio de 2013

E dizem que o dinheiro não traz felicidade - resposta ao HSB


EU acho o dinheiro uma coisa importante. E o dinheiro não só compra felicidade como também compra, muitas vezes, saúde. 

Agora é bonito dizer-se que o dinheiro não importa, isso porque normalmente somos uns tesos (eu incluída), não temos onde cair mortos e queremos que gostem de nós, pobres. Mas é impossível viver sem dinheiro, logo, quanto mais melhor. O dinheiro abre muitas portas, muitos contactos, outra realidade.

Consegue-se ser feliz com pouco dinheiro? SIM! Mas não é por seres milionário que vais ficar infeliz.

Ainda em relação à notificação das finanças

Decidi não me chatear.
Tenho coisas mais importantes em que pensar...nomeadamente no meu bem estar e na saúde do meu filho.
Liguei para a repartição de finanças. Fiquei surpreendida por terem atendido o telefone, mais ainda quando me passaram a chamada para a chefe do serviço. Após explicar o motivo da notificação foi-me dito que:

- fiscalmente a união de facto é provada através de existência da mesma morada fiscal há, pelo menos, 2 anos - o que não é o meu caso apesar de vivermos à 5 anos ele nunca se deu ao trabalho de mudar a morada...agora que não se queixe.

- os procedimentos a seguir são: enviar carta a pedir a anulação da declaração em causa e enviar cada um individualmente. Estas novas declarações ficarão pendentes até que a primeira seja anulada, depois alguém da  repartição entrará em contacto connosco para nos dizer os passos seguintes.

Daqui tenho a dizer que gostei do atendimento e das explicações. No que respeita à união de facto, pessoalmente não me beneficia em nada pelo que ao fazer o IRS sozinha vou pagar menos de infantário do miúdo e para o ano ele até tem direito a abono de família, dado que este ano eu só trabalhei 2 meses.

O treinador do Benfica disse:

Jorge Jesus disse: "quero realçar o que o benfica fez até ao momento, tomara eu que, para o ano, pudesse fazer a mesma coisa."

Por mim é na boa, igual para o ano. Obrigado Jesus, és um zero!

Sim Jesus, eu também acho que para o ano podias fazer a mesma coisa...perder! Obrigadinho pá!

sábado, 18 de maio de 2013

Não me deem ideias

Visita o nosso site ╚══► www.humorsemlimites.com

A nossa página╚══► @[479006168791221:274:Pensa nisso]

Como ficar mal vista no curso de amamentação

Estavam as enfermeiras a dizer que enquanto se amamenta não se deve fumar, tomar certos medicamentos ou drogas porque passa tudo para a criança através do leite. Ao que eu pergunto:

- E beber? Podemos ingerir álcool?

Pronto, fiquei com imagem de alcoólatra mas a verdade é que sinto falta de saborear um bom vinho como fazia antigamente ao fim de semana.

Já agora a resposta foi: pode beber um copinho se for depois de amamentar que é para dar tempo para o álcool se digerir no organismo. Antes de dar de mamar não.

Quem sabe sabe

doIlookFat

Coisas do namorado

Não há nada que lhe tire o sono.

O Benfica pode perder a taça europeia, a mãe pode ter descoberto cancro, a namorada pode andar  a vaguear pela casa, o gato pode miar, abrir os gavetões e tirar a roupa cá para fora, pode chover torrencialmente, a namorada pode acender a luz de 2 em 2 horas para ir mijar, que  nada... ele nem dá por ela... dorme sossegado.

A única coisa que o acorda é, ÁS VEZES, o próprio ronco.

(que inveja)

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Os homens são todos uns conas

O meu namorado ligou a dizer que foi "meio" convocado pelo presidente da empresa para ir representar a mesma num fim de semana a Paris em meados de Junho, numa festa não sei de quê...sim festa nem reunião de trabalho é.

Ora como o parto está previsto para o fim desse mês, se não for antes...da maneira que isto vai... sua exa. se fosse gaja dizia de imediato: não conte comigo! Como é homem e só tem paleio para casa e quer é ir para a gandaia ligou-me para "sondar" a minha reacção... afirmou que só para a semana é que se decidia se ele ia ou não...porque o presidente disse ou vai ele ou não vai ninguém...Ora o caralho do presidente não quer ir porque não fala "língua estrangeira" e não quer ficar mal visto, então chuta para canto. O morcão do meu namorado vai na onda, todo animado.
Eu só lhe disse e repito as vezes que for preciso:

Ele que se livre do filho nascer e ele não estar cá.... É que nem precisa voltar, pode ficar a morar em Paris que não faz cá falta nenhuma... Até parece que não esteve em Paris 4 vezes... homens!!!

Coisas que não entendo

São 5.30 da manhã.
O cidadão comum está a dormir o sono dos justos.

Esta grávida está novamente com insónia e fome. Senta-se em frente ao televisor e constata o seguinte. Há 2 canais a dar televendas, um a dar o Euronews(onde está sempre a dar a mesma coisa) e um está a passar um programa EM DIRECTO que é o "É a vida alvim". Ora naqueles 5 minutos em que devoro o pão com ovo cozido e fiambre aproveito para espreitar o programa em directo... Já o fiz por outras ocasiões, também por 5 minutos, e cheguei a uma conclusão: eu devo ser muito burra.

Ainda não percebi qual o intuito do programa. Se é para ter piada...não tem nenhuma, se é para ser informativo, também não o é, se é para encher chouriço então está bem. É que estão ali uns paspalhos sentados a dizer coisas sem interesse nenhum...sabem aquelas conversas de velhas...falam, falam e não dizem nada? É tal e qual! É que nem dá para perceber qual é o tema. E mais?! Haverá mais alguma alma a vaguear pelos canais de tv às 5.30 da manhã??? E pergunto mas porque raio é o programa em directo? Ou isso ou a tvi esqueceu-se de retirar o palavra "directo" do canto superior esquerdo do ecrã...

Por isso, minha gente, vos digo que estais tão bem na caminha a dormir e eu só tenho pena de não estar a fazer o mesmo. E mais: está a chover bué por isso levem calçado fechado e um casaquito sim?!

Nada melhor que uma notificação das finanças para acabar a semana em pleno

Pois é, uma pessoa tenta ser honesta e fazer as coisas como manda o figurino e só se lixa phode.

Como estou grávida decidimos fazer o IRS em conjunto.

Recebo uma notificação das finanças para lá ir fazer prova da união de facto. Ora eu pensei em convidar o chefe da repartição para vir cá jantar, inspecionar o guarda fatos, a gaveta das cuecas, contar quantas fotos dos dois há cá em casa, verificar se ele tem a chave da caixa do correio, se ele sabe qual é a minha comida preferida, e já que cá estava ia também perguntar aos vizinhos se vêm o meu namorado a sair cá de casa, se só o vêm a  ele ou a mais uma dúzia... mas como tenho que repousar achei melhor ir lá entregar a declaração da junta de freguesia a atestar a união de facto.

Ora azar dos azares, vou a ler a suposta declaração com olhos de ver e reparo que na junta fizeram merda...aliás não era de esperar outra coisa, nem sei como confiei mas pronto (depois ainda querem que se tenha pena dos funcionários públicos...só fazem merda!!!).

Então é assim: no inicio do ano pedi uma declaração de união de facto na junta desta aldeia onde vivo. Parti do principio que não lhes tinha que fazer a papinha todas mas pelos vistos tinha sido melhor. Na altura entregaram-me um atestado de residência...achei estranho mas não quis ser ranhosa e contentei-me com aquilo... Verdade seja dita que não estava à espera de vir a fazer uso daquele papel... Como se não bastasse os dados constantes no atestado estavam errados...nem os nossos nomes conseguiram copiar sem se enganarem... assim tive que pedir que alterassem. Agora que vou juntar a declaração ao processo e é que vejo que aquela merda não cumpre os requisitos. Amanhã terei que ir novamente à junta a ver se fazem o serviço deles como deve ser.

Não fosse o facto de ter que me incomodar nesta fase em que era suposto estar a repousar e não me stressar e nem dava importância ao assunto, mas que irrita uma pessoa querer ser honesta e ainda se incomodar, irrita. Na prática fazer o IRS em conjunto não me traz benefícios nenhuns, pelo contrário. Como mãe solteira pago menos de infantário, desconto menos 1% de IRS e dado que este ano só trabalhei 2 meses, para o ano a criança até tem direito a abono de família.

Mas perguntam vocês porque é que fui notificada a fazer prova da união de facto e eu respondo: porque o meu namorado não alterou a morada fiscal dele para esta aldeia maravilhosa onde moramos há 5 anos...se eu estou muito preocupada? Não! O maior beneficiário é ele que pagaria menos imposto mas como eu não usufruo do salário dele não me atrapalha em nada.  é para ele aprender a tratar das papeladas importantes a tempo. Uma coisa é certa: quem quer regalias de casado só para o que lhe convém que se mexa.

(sim são 3h.30m da manhã)

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Sou fria, eu sei

O meu namorado ligou a dizer que  a minha "sogra" tem um nódulo no fígado. Se isso me sensibilizou? Não! Já choro há dias por uma bebé de 3 meses, filha de uma colega de trabalho, que está com um tumor no fígado e uma conhecida de 30 anos que tem cancro dos pulmões sem nunca ter fumado. Uma pessoa de idade estar doente não me abala, é a lei da vida. Sou fria eu sei, mas a vida neste momento está a ser cruel demais para pessoas jovens... e o que é preferível, morrer alguém de 75 anos ou morrer uma bebé de 3 meses? Não tenho culpa de ter uma apurada noção de justiça e me revoltar facilmente com merdas destas. Não é o justo o que está a acontecer.

Por isso desculpem se não tenho escrito coisas bonitas e alegres... não estou com disposição.

31 Semanas e 6 dias

Ontem vi o teu rosto pela primeira vez. Fizeste uma careta à médica e meteste a mão á frente como que diz "não me chateies". Por ai posso dizer que tens o feitiozinho da mãe... Do pouco que deixaste ver uma coisa é certa: os lábios e queixo são do pai. Tens 1 cm de cabelo e não paras quieto, mexes tanto que nem o teu peso foi fácil de apurar porque a médica não conseguia fazer o exame, seu malandro.
Medes 43 cms e pesas, aproximadamente, 1672 grs. Estás no percentil 21. Diz ela que tens peso ligeiramente abaixo do normal para a idade. Eu quero acreditar que vais sair à mãe, magro, comprido e esbelto... mas há um fundinho de tristeza por não saber que mais fazer para que ganhes peso...Talvez seja preciso repetir a ecografia às 36 semanas para ver quanto engordaste... enquanto isto fico aqui a pensar trenguices. Eu sei que quando fores grande vais compensar a mãe por estas e outras preocupações que me irás dar ao longo da vida...se calhar é melhor eu começar a habituar-me.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

o novo número do prazer: 92

Depois do 69 agora o que está a dar é mesmo o 92.
Azuis vs encarnados, sendo garantido o extase ao minuto 92. Não falha.

Banho do bebé e coisa de velhas/os

Estava eu no terraço a contar à minha mãe como me tinham ensinado a dar banho ao bebé... começa-se pelos olhos, a cara , blá blá blá... e termina-se com os genitais blá blá blá...ao que ela diz:

A última coisa a ser lavada são os olhos do bebé... porque ao lavares os olhos eles vão arder e passa o banho a chorar...e também porque "aguinha do cú lavado para o menino falar declarado" (ditado popular).

Quase que me atirava do terraço abaixo!!! Como é??? Lava-se os olhos com a água suja???

Ai eu sempre fiz assim...

Estes antigos têm cá cada teoria...

A minha avó também dizia que quando se tinha febre não se devia beber água...

(no comment)

Há cada teoria

Então um grupo de iluminados acha que tem o direito de não pagar impostos porque não trabalham?!

Ora meus senhores isto é assim:

Se não trabalham não pagam TSU nem IRS, que mais querem?

Se não consumirem não pagam IVA-  podem aproveitar que têm tempo para ir apanhar insectos para o mato que a OMS diz que são muito saudáveis.

Se são proprietários e não querem pagar IMI têm bom remédio: vendam o imóvel ou façam uma doação para o vizinho, que ele não se deve importar de pagar o imposto.

Se não querem pagar IUC andem a pé que caminhar faz bem.

Eu também queria muita coisa...nomeadamente receber o IRS que o Estado tem do lado de lá há meses, mas nem vê-lo!



terça-feira, 14 de maio de 2013

Reflexão do dia

Há povo que por muito rico que seja será sempre pobre de espirito.

Colecção de cromos

Apesar de não trabalhar há uns meses de vez em quando lembro-me de algumas peripécias como esta:

Entra um velhote, reformado, já conhecido no balcão e passa-me uma saca plástica para as mãos. Abro e vejo centenas de notas de 20 eur, em mau estado...MUITO mau estado, algumas pareciam roídas, desgastadas, com terra, tinham um cheiro esquisito e estavam húmidas. Disse ao senhor que dado o estado das notas não era possível fazer a troca de imediato mas que as ia reencaminhar para o banco de Portugal para se apurar a autenticidade e que passado umas semanas já haveria uma resposta. No entanto fiquei curiosa e phodida porque ia ter que pegar naquele ninho de notas nojentas e separá-las uma a uma e questionei o homem sobre o motivo que as levou àquele estado, deduzindo eu que ele as tivesse enterrado (é normal, muito normal.. uma disse-me que tinha 10.000 eur enterrados). A resposta foi:

- sabe aqui há uns meses um fulano andava a assaltar as casas dos vizinhos e com medo eu e a minha mulher escondemos o dinheiro na casota dos coelhos... o tempo passou e nunca mais nos lembramos... estes dias eu fui limpa-a e dei com o dinheiro lá... As notas estão cheias de merda e
mijo de coelho, acha que há salvação?

...
...
...

Estamos a falar de 2 000 eur... que eles já nem se lembravam que tinham em casa, ou melhor, na casota dos coelhos!

Não é só a Demo Moore que tem


fotos em nú enquanto grávida
Eu também fiz uma sessão fotográfica nestes termos. É uma recordação para a vida, mais interessante, para mim, do que as barrigas de gesso.
Estou satisfeita, ficaram lindas.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

E porque hoje é dia 13 de Maio


Foi há tantos anos que já perdi a conta... mais de 15 de certeza. Saíste num acto de fé e nunca mais voltaste. Pergunto-me frequentemente se isso é justo...perder a vida porque se foi rezar... questiono-me que Deus é esse que leva uma jovem que ainda nem começou a viver...

Em alturas de aperto quero ter fé, acreditar que alguém olha por nós...mas depois lembro-me de ti e acho que não deve ser bem assim, caso contrário não nos tinhas deixado. Este ano recordo-te com mais emoção... coloco-me do lugar dos teus pais e o que passaram quando perderam a única filha e não sei como o coração deles aguentou tamanha bofetada desta vida.

Recordo-te sempre nos momentos mais importantes da minha vida e acho que também tinhas o direito a vivê-los... por mais anos que passem, por mais terapia que faça nunca vou entender porque tiveste que partir desta maneira injusta.

Factos



PENSÕES EM PORTUGAL ...Números eloquentes....
"Estes números, publicados hoje pelo DN, mostram que mais de 80% de todas as pensões acima de 2500 euros são auferidas por funcionários públicos, enquanto que os pensionistas originários do sector privado representam apenas cerca de 20% do total.

Ou seja, todos os milhares de empresas privadas, nacionais e multinacionais, dos bancos às cervejeiras, da loja da esquina ao potentado económico, não conseguem produzir senão um quinto dos pensionistas que auferem um rendimento confortável.
Se ainda é preciso demonstrar o peso sufocante do Estado na nossa sociedade estes números são eloquentes." em DoteCom.blog

Afinal o problema das sogras não é imaginação minha

Visita o nosso site ╚══► www.humorsemlimites.com

A nossa página╚══► @[346533782131714:274:Relaxa o nervo]

domingo, 12 de maio de 2013

Em relação aos exames nacionais do 4º ano

tenho a dizer que não estou a ver o drama da situação. As crianças não estão minimamente preocupadas com isso porque já incutiram que faz parte da escola. Os pais é que parecem mais transtornados porque acham que os filhos vão ficar traumatizados.
Bem, já sabemos que as criancinhas de hoje em dia são muito frágeis e se traumatizam com pouco mas também é bom para o seu caráter saberem que a avaliação faz parte da vida. Estamos constantemente a ser avaliados: começa na escola, passa pelo namorado/a, depois pelo patrão, depois pela sogra, enfim, a sociedade em geral. E quanto mais cedo se habituarem a isso melhor para eles.

Agora também não concordo em se fazer um circo há volta do assunto, com policias e entregar as provas em caixas lacradas, nem na necessidade das crianças se deslocarem da própria escola. Afinal os miúdos não são criminosos nem estão a concorrer ao governo...porque se estivessem bastaria terem uns amigos à maneira e estarem filiados em partidos políticos.

Haja bom senso.

sábado, 11 de maio de 2013

Seguro de saúde vs subsistemas de saúde (adse, sams, etc)

Eu penso que cada trabalhador deveria ser livre de escolher para que tipo de assistência médica quer descontar. Actualmente somos todos obrigados a descontar para a segurança social. Há certas classes profissionais que estão devidamente organizadas e possuem subsistemas de saúde, por exemplo a ADSE para os funcionários públicos e  o SAMS para os bancários...mas há mais. Ou seja, descontam para a segurança social SNS e para os respectivos subsistemas, logo podem recorrer tanto ao privado como ao público.

A grande maioria dos cidadãos não possui subsistema de saúde pelo que tem que se contentar em descontar para o SNS e se quiser ser bem atendido tem que contratar um seguro de saúde. Acontece que o seguro de saúde não se equipara a um subsistema. E as diferenças são muitas, e cito somente algumas:


- o seguro de saúde é pago por cabeça. Se o agregado familiar for pais e um filho pagam um valor por cada um. No subsistema de saúde o funcionário desconta o mesmo sendo solteiro ou sendo casado com filhos e estes também são abrangidos pelas regalias do subsistema enquanto forem cônjuges e até à idade de completar ensino superior.

- o valor do seguro varia de acordo com a idade do subscritor. Uma apólice com as mesmas coberturas não custa o mesmo para um jovem de 20 anos ou um adulto de 45...porque entende-se que quanto mais idade maior a probabilidade de ser acionar o seguro e logo paga mais. No subsistema desconta-se a mesma percentagem, independentemente da idade.

- os seguros de saúde têm períodos de carências, ou seja, fazemos hoje a apólice e temos que esperar, normalmente, 2 meses para podermos ir a consultas médicas, 3 meses para cobrir internamentos, 12 meses para certas doenças e 18 meses para cobrir parto, etc. Assim se quisermos fazer o parto no particular temos que subscrever o seguro 9 meses antes de engravidar. Ora nos subsistemas de saúde tipo ADSE, SAMS e outros isso não acontece. Assinamos contrato de trabalho, mesmo não estando nos quadros, e imediatamente podemos usufruir de consultas, internamentos, cirurgias, partos, etc.

- os seguros de saúde variam de acordo com a apólice contratada, ou seja, há clausulas que impõem limites em termos de "gastos". Por exemplo, 5000 eur para internamento...quando se ultrapassar este limte o seguro avisa que tem que passar para o SNS...o mesmo se aplica a tratamentos como quimioterapia e afins...quando acabar o plafond o doente é convidado a ir para o SNS, novos médicos, novos hospitais, etc.. Nos subsistemas de saúde não há limites.(Atenção que não estou a dizer que nos subsistemas é tudo de graça, até porque com os seguros de saúde também não é...há co-pagamentos. Tanto num caso como noutro o paciente paga sempre uma percentagem.)

- os seguros de saúde não comparticipam medicamentos. Os subsistemas sim. Quando compramos medicamentos comparticipados pelo Estado, o detentor de um seguro guarda o recibo para meter no irs, nos subsistemas de saúde, mandamos o recibo para os serviços centrais e somos reembolsados numa percentagem, que em alguns casos chega a 100%. É o que acontece comigo, por exemplo, um medicamento para o estomago custa, à minha conta 20 eur, mando o recibo para o SAMS e eles devolvem-me essa quantia... nalguns casos específicos e desconto é feito de imediato na farmácia, não pagando nada.

- os seguros de saúde não cobrem doenças pré existentes, os subsistemas de saúde sim. ´

- o valor do seguro e respectiva aceitação pela seguradora (porque ela não é obrigada a fazer seguros, assim como um banco não é obrigado a aceitar depósitos ou abrir contas)...varia consoante o nosso historial clinico...por exemplo quem for hipertenso paga mais pelo mesma apólice. Comigo aconteceu o seguinte: antes de trabalhar na banca resolvi fazer um seguro da Medis...ora tinha eu à volta de 26 anos...preenchi a papelada e recebi em casa uma carta a dizer que o prémio do seguro ia ser agravado em 10% porque eu era muito magra (pesava 50kgs)... claro que me passei e contestei a decisão alegando que era geneticamente magra e que o meu médico de família o poderia atestar, não sendo magreza sinónimo de doença. Aceitaram a reclamação. Ora num subsistema não há cá nada disso, gordo, magro, doente, saudável entra tudo!

- o seguro de saúde tem limite de idade...por exemplo a partir dos 65 anos é muito difícil arranjar seguradoras disponíveis. Existem...onde trabalho tem...mas o preço é tão elevado, tão elevado que não compensa. Nos subsistemas de saúde não há idade.

- o seguro de saúde não comparticipa vacinas dos bebés... alguns subsistemas de saúde sim (alguns!), por exemplo há as vacinas da meningite que ficam super caras aos pais e quem tiver o privilégio de ter determinado subsistema de saúde é reembolsado a 100%



Não estou a dizer que os seguros de saúde não são alternativas viáveis a quem só desconta para o SNS. Estou sim a defender que quem tem subsistema de saúde e que desconta para ele é certo, deve reconhecer a sorte que tem. A relação custo/beneficio é excelente.

Para além de descontar os 11% para a segurança social desconto 2% para o SAMS, 1% para o sindicato e 5% para o fundo de pensões ( que nunca mais os vou ver). Se tenho alternativa?Não, não tenho, sou obrigada a descontar o pronto, mas se me incomoda? Não, os benefícios que dai advêm são mais que muitos e reconheço que a maioria dos cidadãos não os pode ter. Se pudessem escolher, acredito que muitos não se importavam de descontar para SNS e para algum subsistema também.

Tirando a ADSE, não me consta que algum outro subsistema de saúde esteja com dificuldades financeiras.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Como dar banho a um bebé

Ontem na aula prática de puericultura foi dia de aprender e simular o banho do bebé.

Eu vou dar o banho na casa de banho e depois vesti-lo no quarto.

Se for inverno deve-se aquecer estes espaços, no verão não é preciso basta ter atenção para não existirem correntes de ar.

Sobre a cama deitamos a mantinha, a fralda de pano e a fralda descartável já aberta. Ao lado fica a roupa em camadas por ordem de uso: roupa exterior por baixo e interior por cima. Colocar à mão o álcool a 70º e as compressas esterilizadas para posterior desinfeção do cordão umbilical (acho que as enfermeiras chamaram de couto).

Na wc enchemos a banheira com 20 cms de água aproximadamente, começando pela fria e depois passando para a quente.  A temperatura dela deve rondar os 37º. Há uns termómetros de colocar na água que ajudam a medir, caso contrário testamos com o nosso pulso antes de lá meter o bebé. Abrir o frasco do gel de banho do bebé ou comprar um com doseador que é de melhor manuseamento. A toalha com capuz deve estar estrategicamente colocada de forma a que se aceda a ela só com uma mão.

Agora vamos buscar o bebé, despir, retirar a fralda e limpar o rabinho. Nunca se coloca o bebé na água com o rabinho sujo porque senão estamos a contaminar a água.
Estando a água à temperatura ideal vamos ambientar o bebé a ela, molhando devagarinho algumas partes do corpo, cabeça incluída. O banho propriamente dito é feito desta maneira:

- começar SEMPRE pela cara do bebé e em primeiro lugar pelos olhos. Há 2 teorias, uma que defende que se deve limpar da dentro para fora e outra ao contrário.  O importante é que seja feito em movimentos únicos e não esfregar as secreções.

- só depois de lavar os olhos é que se começa a usar o gel de banho próprio para bebé. Eu pensava que se colocava o gel na água e depois lavava-se o bebé...não, não é assim. O gel vai para a nossa mão, depois molhamo-lo na água para aquecer e depois vai directamente ao corpo do bebé.

- dos olhos passamos para o resto do rosto depois cabeça, atrás das orelhas, pescoço e resto do corpo. Não mexemos no cordão umbilical, ele será desinfectado no fim.

- há uma técnica para virar o bebé, que é complicado explicar aqui, só vendo mesmo. Lava-se então as costas e os pés e em último lava-se os genitais. Seja menino ou menina é sempre da frente para trás e em movimentos únicos.  No caso dos meninos não esquecer de limpar a bolsa dos testículos.

- e está feito. O bebé neste momento está de costas. Não há necessidade de dar mais voltas. Pega-se na toalha e enfia-se o capuz na cabecinha depois abraçamos o bebé contra nós enroscado na toalha. Ele está, portanto, de costas para nós. Agora bem embrulhadinho vamos para o quarto, ou quem tiver banheira com mesa pode fazer tudo na wc.

- no quarto deitamos o bebé enrolado na toalha de costas, mas nunca em cima da manta /roupa que já preparamos porque senão fica húmida. Secamos a cabeça e depois o restante corpo tendo muita atenção ás pregas, tipo pescoço, atrás das orelhas, virilhas, sovacos, etc...

- deitamos o bebé sobre a fralda descartável que já deixamos preparada porque parece que eles ganham vontade de fazer xixi quando estão assim limpinhos e "libertos" :P Colocamos a fralda e depois damos 2 dobras de maneira a que o cordão fique fora da fralda.

- vestimos os interiores deixando-os abertos porque vamos tratar do cordão umbilical. Isto será objecto de outro post. Não desinfectamos o cordão com o bebé totalmente despido porque a criança tem frio.

- pronto, já está, é só vestir a roupa exterior e está pronto.

Acho que não me esqueci de nada :S
As enfermeiras dizem que nos primeiros dias o  bebé não precisa de creme hidratante...mas quem quiser pode usar. Podemos usar uma esponja pequena ou só as mãos.



Obrigada

Agradeço à rede nacional de transportes públicos por funcionar tão mal pois assim evita que a minha sogra se aventure a cá vir.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Afinal há Mães e mães

Uma amiga de longa data emigrou para Angola.
A minha mãe encontrou a mãe dela e no meio da conversa deixou escapar um "deve estar cheia de saudades dela, não?" Ao que a mãe da minha amiga respondeu... não, não tenho saudades, mal tinha tempo para estar com ela...

Não me caiu nada bem este comentário... afinal a minha mãe é MESMO a melhor Mãe do mundo.

Coisa de homens

O meu ex marido achava normal lavar a loiça com a mesma esponja de limpar a casa de banho.

(no comment)

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Conversa

Ontem recebi um telefonema de uma amigo que não vejo à uns anos:

Ele: então ouvi dizer que estás prenha!!!
Eu: é verdade pá. prenha e bem prenha, mais um bocado e a criança há está cá fora!

Ele: e como estás? gorda? inchada? cheia de pêlos?
Eu: não pá, continuo boazona

Ele: e as mamas cresceram?
Eu: cresceram pá!

Ele: cuidado que ainda arrebentam! é menino ou menina?
Eu:é rapaz!

Ele:  e onde vais ter?
Eu:no Porto
Ele: phoda-se vais para longe, não vai nascer pelo caminho?
Eu: nã

Ele: olha eu já emagreci bastante! agora já vejo a minha pila e tudo
Eu: tás melhor que eu que não vejo os pés.
Ele: pronto, está tudo bem não está? depois marcamos algo, dá noticias, bj
Eu: bj

Foi dito o essencial!

Mães de gemeos

Sempre ouvi dizer, não sei se é verdade ou não, que as mães de gémeos se sentem superiores ás outras... que acham que são "mais mães".

Independentemente de este pensamento ser verdade ou não, eu penso, que é legitimo.  Acho que têm o direito de pensar assim! Não deve ser nada fácil ter 2 filhos, pari-los e cuidar deles em simultâneo.

Os meus parabéns às mães de gémeos.

Eu também tenho um botão OFF - a saga sogra

Em relação ao jantar de família a coisa até correu bem.

A velha perguntou se estava tudo bem, disse que eu estou gorda de cara, tenho uma pele muito bonita e questionou 3 vezes quantos kilos é que eu engordei.

Depois contou que numa semana vai 3 vezes ao médico fazer exames e consultas de rotina (mas soava a drama, coitadinha parecia que estava a morrer), entrou em pormenores mas nessa altura eu descobri que o meu cérebro é igual ao do meu namorado: possui um botão off que acionei imediatamente e passei o jantar a acenar com a cabeça como se estivesse a  prestar atenção ...ainda ouvi qualquer coisa sobre a vida das amigas e vizinhas, (como se isso me interessasse minimamente), mas fiquei impressionada com o botão porque funciona mesmo.

Também apanhei a parte em que ela fez o choradinho ao filho dizendo que tinha que tirar os dentes de baixo e logo iria precisar de uma placa nova (tradução: paga filho)

Já nas despedidas ainda a ouvi dizer à minha mãe, e passo a citar, "é pena não haver transporte directo da minha casa para a da Morango Azul senão eu estava sempre lá enfiada"... (yeah dream on!)

E pronto, foi só isto!

terça-feira, 7 de maio de 2013

Segurem-me que que vou-me a ela - a saga sogra

Ora hoje o namorado faz anos.
Vamos jantar fora, a família dele e a minha.

Se a velha me vem novamente com a história que o Eduardo não precisa de coisas emprestadas, etc e tal... terei que  a meter no lugar dela. No outro dia "mandei recado" pelo filho para ela não se meter na minha vida e que tinha uma lata em criticar quem me oferece e empresta coisas depois de ela ainda não ter dado ao neto, nem uma babetezinha...não sei se ele lhe deu algum toque sobre o assunto, mas a verdade é que não estou com a mínima paciência para a aturar.

Não sei se foi coincidência ou não mas passado uma semana de eu ter "mandado recado" pelo filho ela e a filha compraram FINALMENTE uma prendinha para o bebé...(7 meses de gravidez). Ofereceram 2 biberons step up (os únicos que eu queria) e uma mantinha, bonita, da Chicco. Como eu já tinha referido aqui...até podiam dar um BMW X6 ao rapaz que para mim já não tinha valor, dado que foram as ULTIMAS a dar algo ao meu filho... (é porque a vontade não era muita). Também aposto que o meu namorado teve que transferir para a conta dela o valor da prenda...como é costume em relação a outros assuntos...

No dia seguinte liga-me a perguntar se eu tinha gostado.  Ora eu só me limitei a dizer que sim todas as coisinhas de bebé eram bonitas, logo aquelas também o eram. Mas a conversa cheirou-me a "cobrança" do género ai nem agradece nem nada ...Acontece que caso logo me volte a dizer ai nem ligou nem nada eu já tenho a resposta preparada na ponta da língua: é que se sempre que a minha família ou as minhas amigas dão alguma coisa ao bebé o meu namorado tivesse que ligar a agradecer, não ganhava para chamadas telefónicas!!! É que a velha deve achar que fez um feito notável e histórico... é que lembro-a já quem ofereceu o quartinho do bebé: os meus pais, e eu não tive que transferir nada para a conta deles!"!

Eu só digo, ela que não me provoque senão ouve o que não quer!

Já não se fazem homens como antigamente

Em vez de sonhar com gajas boas o meu namorado sonhou com o gato...que tinha fugido... e acordou sobressaltado.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Nem tudo o que parece é

Depois de reflectir sobre o que escrevo aqui, cheguei à conclusão que passo uma imagem errada da minha relação a dois. Como este blog serve para eu desbobinar e desabafar sobre o dia-a-dia, é claro que são mais as queixas do que as alegrias...em parte porque não gosto de me gabar... sou portuguesa e como boa portuguesa realço sempre os aspectos negativos...

Tenho uma relação de 6 anos e meio e moramos juntos há 5.

Dois recém divorciados com algumas feridas e ideias certas do que não queriam na vida. Nada de cobranças, discussões, ciúmes, controlos... Quis o destino que os nossos feitios se encaixassem sem qualquer cedência, tudo em paz e harmonia, compreensão, apoio e amizade. Partilha dos mesmos valores e objectivos de vida.
Posso dizer que discutimos, em média, de 2 em 2 anos. O único atrito que tivemos foi quando eu mudei de ideias e larguei a bomba que queria ser mãe. Ele não negou mas precisou de tempo para se adaptar à ideia. Resolveu que estaria do meu lado "para o que desse e viesse".  Por outro lado eu já andava a pesquisar sobre inseminação artificial em Espanha porque não sou gaja de depender de homem para alguma coisa.

Mas não há relações perfeitas... por motivos profissionais não se fala de trabalho cá em casa...senão dá asneira... em termos financeiros, cada um gere a sua carteira...e a dele é bem mais  recheada que a minha...mas eu não "beneficio" com isso...prezo a minha independência  e prefiro que pensem que vivo muito bem por estar com ele, quando na realidade conto só comigo, financeiramente.

Nunca tive, até agora, qualquer atrito com a família dele. Sempre fui bem recebida mas também sempre mantive a distância para não dar confiança. Nesta altura da gravidez sinto-me magoada com elas porque parecem não dar muita importância ao meu filho.

Há uma mágoa que carrego no peito e que é a "pedra no sapato" desta relação...para mim... ele não quer casar. Eu tenho que respeitar mas sinto-me "ofendida" com tal posição...coisa de mulher... ciúmes talvez por pensar então eu não sirvo para casar é?  a outra era melhor? e se eu não sirvo para umas coisas também não sirvo para outras. E será a partir de agora, com o nascimento do bebé, que estas diferença entre namorado e marido se vão acentuar mais. Não percebo que ele não pense em proteger, legalmente, a mim e ao filho... mas eu não o posso obrigar, certo? Aproveito o facto para manter a família dele à distância...em parte por vingança claro está... não vou fazer papel de esposa só para o que lhe convém... e as minhas queixas recaem neste meu ressabiamento que é ser namorada e não esposa. Mas isso, não invalida o resto. É bom companheiro, sai do trabalho vem para casa, é carinhoso, respeitamos as saídas com amigos, viajamos muito, não cozinha mas leva-me a jantar fora se eu quiser, já vai ao supermercado, trata do gato porque eu não posso, acompanha-me sempre ao médico, sei lá...tanta coisa...porque no fundo a tranquilidade do dia-a-dia é que conta. Nada de discussões nem amuos, nem cobranças, nem controlos, nem ciúmes... tudo aquilo que eu tinha na relação passada.

Basicamente estamos juntos porque queremos. Não existe relação de interdependência que muitos casais têm...que compram casa juntos porque sozinhos não conseguem... depois não se separam porque não querem fazer partilhas.
Gosto desta sensação de liberdade, do espirito que de um momento para o outro tudo pode acabar, é só fazer uma mala (ou eu atirar tudo pelas escadas a baixo), porque dá-me a certeza que nos estimamos diariamente com medo que alguém se passe e vá tudo por água abaixo. Eu também sou sincera...só estou com um homem enquanto as coisas correrem bem...quando correrem mal allez allez que vá à sua vidinha porque eu não preciso de homem para nada...e ele igual...penso que isso contribui para o respeito mútuo.

Não há relações perfeitas... se encontrarmos uma onde as chatices são poucas...é por ai que devemos parar!

Viver na aldeia

Chega o fim-de-semana e é hora do merecido descanso.( mais para o meu namorado do que para mim)
Uma pessoa pensa: ai que bom vou dormir até ao 12.00h.

8 da manhã e a casa estremece...são os tratores nos terrenos vizinhos...é época de ir para o campo e é preciso preparar a terra.

Querias dormir? Vai prá cidade!

Quer-se dizer..só me faltava esta!!

Está uma gaja descansadinha da vida a dormir às 8 da matina quando toca o telefone de casa . Ora como só a minha mãe tem este número apressei-me para atender... quando chego à beira do aparelho aparece no ecrã o 1299900... que puto de número...atendo e a chamada cai...passados uns minutos a cena repete-se de depois novamente... Cansada e chateada resolvo desligar o telefone da tomada. Tenho este n.º meo há uns dias e é a segunda vez que isto acontece e sempre às 8 da manhã. Tenho que ligar para lá para saber que serviço é este, é obvio que se trata de algum serviço deles, e mandar desactivar caso contrario cancelo tudo, tudinho!!!

domingo, 5 de maio de 2013

Concordo

Foto

Uma grávida no dia da mãe

Daqui a 8 semanas serei mãe.
Boa ou má...serei mãe.
Serei responsável por trazer ao mundo um ser. É o maior acto de coragem que vou desempenhar. Não deixo de recear o que nos espera daí para a frente...darei conta do recado?
Hoje é dia da mãe...o dia da minha mãe... a melhor mãe do mundo e penso se estarei à sua altura. No entanto eu tenho uma grande vantagem: tenho-a a ELA! Vai-me acompanhar neste desafio e o meu filho terá duas mães e isso tranquiliza-me.
Obrigada mãe por me trazeres ao mundo, me amares, me educares e ainda me aturares 35 anos depois. Obrigado por estares sempre presente, respeitares os meus desvaneios e estares disponível para me acompanhar nesta nova etapa da minha vida.
A minha mãe é única e especial.
Feliz dia da mãe.

sábado, 4 de maio de 2013

Nojento

O meu gato apanha moscas e depois come-as!

O drama, o horror...

Mas há quantos anos é que os funcionários do sector privado trabalham 40 horas?

E desde quando descontar 2.5% do salário para um subsistema de saúde que só traz vantagens e impede de se morrer à espera de uma consulta no público, onde se arranja atestado médico de um dia para o outro, onde as operações e consultas ficam quase de graça, é assim tão disparatado?

Estavam habituados a regalias...que se deem por felizes por as terem tido estas décadas todas...os privados nunca as tiveram.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Coisas de homem

Ele: Onde estão os sacos do lixo?

Eu: Já te disse onde é o novo sitio deles na despensa.

Ele:  Mas só disseste UMA vez!

(no comment)

Politicamente incorrecta # 8

Pá...não gosto de velhos...É que não posso com eles.

Gente chata que está sempre a dizer o mesmo, povo desconfiado que não acredita nos familiares próximos mas entregam as poupanças da vida ao primeiro engravatadinho que lhes bater à porta.
Gente que reclama que antigamente é que era, que nem beijos na boca davam, que havia respeito, não era a pouca vergonha que é hoje e no entanto o mundo está cheio de pais incógnitos.
Povo mimalho que quer rivalizar com os netos e noras.
Velhos teimosos que caminham na beira da estrada, mesmo existindo passeio, porque acham que os carros têm obrigação de se afastar.
Gente que não estimou os filhos, que os abandonou à sua sorte e agora de velhos querem ir morar com eles, alterar as suas rotinas e implicar com a educação dos netos.
Povo mentiroso que diz aos vizinhos que são ignorados/maltratados para serem sempre os coitadinhos e vitimas.
Não gosto de velhos. Pronto!