segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Contado ninguém acredita #4


Agora que já passaram uns meses sobre o assunto acho que já consigo falar sobre ele.
O que vou contar aqui, apesar de ter sido tema de livros, filmes e novelas, aconteceu, infelizmente, na vida real. Na MINHA vida. Por ser um tema longo vai ser dividido por alguns posts para não vos massacrar… e só segue quem quer.

No dia seguinte a enfermeira chefe veio falar comigo, pedir desculpas pelo sucedido e perguntar se havia algo que pudesse fazer por mim. A resposta só podia ser uma: Não há nada a fazer, eu preferia que isto nunca tivesse acontecido, Aliás isto não pode acontecer…e se a outra mãe tivesse tido, também, um rapaz?
Disseram-me que iam apurar responsabilidades e que a pessoa seria despedida… eu não queria o mal de ninguém, mas o susto que apanhei não foi brincadeira.

A minha médica ficou em choque. Ela, que trabalha no S. João, diz que nunca teve conhecimento de casos destes.

Eu até queria reclamar por escrito…mas optei por “esquecer o assunto”. Só o contei à minha amiga Cristininha e cá por casa é assunto tabu… No entanto não deixo de pensar que pode haver por aí muita gente trocada nos berçários… se no privado aconteceu isto, nem quero imaginar no público, há uns anos atrás (actualmente acho que as crianças também vão logo para perto da mãe), com trilhentas mães a darem à luz e quando qualquer um entrava e saía da maternidade...

5 comentários:

A Bomboca Mais Gostosa disse...

Realmente é um bocado assustador pensar isso. Olha, eu infelizmente não fui trocada, sou mesmo filha de quem sou, sou o focinho chapado do meu pai e da minha mãe.

IN_AND_OUT disse...

No hospital onde tive o meu filho, é impossível isso acontecer. Os filhos nunca saem de perto das mães, para nada. Nem saem do quarto sequer.

Orquídea disse...

é assustador e arrepiante pensar numa coisa destas....que tudo corra bem um dia que for a ter, que não me troquem a criança :(

uba disse...

Até me benzo!
Mulher, devias ter feito a denúncia, a reclamação. Sabes porquê? Porque são raras as pessoas que fazem reclamações nos organismo públicos, daí a treta de que "funcionam bem e nunca tiveram reclamações".
beijocas

Roger disse...

Subscrevo todas as palavras da/do uba!