segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Quando a idade começa a pesar...

Se há coisa que não entendo são aquelas mães/pais que decidem que os filhos dão muito trabalho, que não os estão para aturar e os abandonam.

Os anos passam, a idade começa a pesar e lá lhes bate o arrependimento e tentam procurar os filhos e reatar a relação. Mas há laços que se perdem, aquela mãe/pai é afinal um mero estranho para aquele descendente.
Eu NÃO sou adoptada mas se fosse não teria qualquer curiosidade em conhecer os meus pais verdadeiros. Mãe/pai é quem cria, quem educa, quem ensina, quem passa noites sem dormir , quem nos segura a cabeça enquanto vomitamos, quem nos leva à escola e nos deseja boa sorte para o exame, é quem não dorme enquanto não chegamos a casa da discoteca, é quem chora de emoção no dia em que recebemos o canudo, é quem nos coloca em primeiro lugar tenhamos 2 meses, 10 anos ou 50.

Mas depois há sempre aqueles iluminados que dizem que o sangue fala mais alto e que "mãe é mãe " e "pai é pai"...é o caralho tanas! Ser progenitor qualquer um pode ser. Mãe e Pai só o é quem ama. E é por isso que uns morrem sozinhos na cama do hospital e outros morrem acompanhados e amados até ao último minuto.

Não é porque se chega a velho que o passado deve ser perdoado ou esquecido. Quem não cuidou dos seus não espere que alguém cuide deles.

4 comentários:

A Bomboca Mais Gostosa disse...

Excelente texto. Só tenho a subscrever. Vejo que pensamos de forma parecida em muitos aspectos.

Eve disse...

adoro quando dizes umas boas verdades

De Sonhos se faz a Vida disse...

É pequenino é giro mas depois perde a piada... ás vezes penso que as pessoas tratam os seus bebés como se fossem animais ou mero lixo!
Depois ai como será que é o meu filho e lembram-se de os procurar! Ás vezes queria saber, queria entender qualquer coisa...

Bocagiano disse...

« "mãe é mãe "...é o caralho tanas!»

Esta fica para mim, pode ser ? :)