sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Afinal a educadora sempre apareceu...

não para me impingir rifas mas para dizer que entre o Natal e a passagem de ano vai haver uma redução de pessoal na creche porque alguns funcionários vão aproveitar para tirar férias. Assim, disse-me que era melhor o Eduardo ficar em casa porque a auxiliar dele era uma das colaboradoras a faltar. No entanto, podia levá-lo caso pretendesse mas avisa já que o bebé vai ficar noutra sala com os meninos mais velhos e com pessoal que ele não conhece.

Ora a ver se eu percebi: anda uma pessoa a levar gradualmente o filho de 5 meses à creche para ele se ambientar ao espaço em si e à sua auxiliar, já que pagamos forte e feio e a educadora nem entra naquela sala, para depois, das duas uma:

- ou passa uma semana sem ir à creche, correndo o risco de "se esquecer" do ambiente e da auxiliar e todo o período de adaptação ter sido em vão;

- ou deixo-o na creche numa sala estranha, com meninos maiorzinhos, que já andam, fazem asneiras e podem magoar o bebé, com auxiliares e educadoras que ele nunca viu...ou seja, como se fosse a primeira vez.

O "engraçado" disto tudo é que POR ACASO, mas só POR ACASO, eu não faço intenções de ir trabalhar antes de dia 02 de Janeiro, porque se fizesse mudava logo de ideias. É que não deixo o rapaz naquelas circunstâncias nem que a vaca tussa.

1 comentário:

Anónimo disse...

Não sei pk, mas esse infantário parece-me estranho :(

jokas
LA