quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Sabes que estás a ficar velha quando

Os teus desejos para um novo ano são:

1º- Saúde para toda a família e amigos

2º- Que o teu filho comece, finalmente, a dormir a noite toda.


A todos desejo um ano repleto de felicidade.

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Óh querida tens que comer muita sopinha

Então eu, Morango Azul, portadora de carta de condução há 19 anos, condutora diária sem qualquer acidente registado até há data, que me safo em qualquer carro, usual ou novo, que estaciono veiculo de qualquer comprimento entre dois carros, do lado direito, do lado esquerdo, que manobro entre dois postes para meter o meu carro na garagem, com outro lá dentro e tudo, EU tive um arrufo de transito com uma chavala de 18 anos que terá a carta há 3 meses, se tanto .
 
EU!!!
 
Então a miúda não se deu conta que se encostássemos as duas à respectiva direita conseguíamos passar naquela estrada estreita que eu faço todos os dias! Claro que se fossemos as duas no meio da estrada não passava nenhuma. Ora, EU já estava encostada mas a menina, desconhecedora das dimensões do seu Citroen C1 resolveu travar no meio da estrada, onde ela circulava, e chamar-me de BURRA.
 
Óh minha menina. Que palavra que foi dizer! Eu aproveitei para me divertir à brava, estão  a ver? Imaginem aquelas coisitas entaladas na minha garganta há anos de tantos clientes murcões atender… pois a menina levou um baile jeitoso. Eu faço o sorriso mais rasgado do mundo, com um brilhozinho no olhar como quem diz: es-tás- tão- pho-di-da e levanto-lhe o dedo do meio, estão a ver?... E baixo o vidro e fico assim de braços cruzados e olhos nos olhos já pronta para descarregar o stress naqueles cabelos encaracolados. Entretanto começou a fazer fila atrás dela mas o senhor apercebeu-se logo e recuou para deixar a chavala “manobrar” ,que é como quem diz, encostar-se. Ela lá fez um bocado de marcha atrás o que fez com que a frente do seu carro viesse ainda mais para o meio da estrada… e apontou para mim como quem diz “que queres que faça?” mas com ar de arrogante. Bem, eu como tinha que ir trabalhar lá ajudei a pobrezinha e disse-lhe: “O volante gira minha menina, isso é para rodar” e até apontei o lado para onde ela tinha que o fazer. E depois lá passamos!
 
Sou amiga ou quê?

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Homem ideal

Por Morango Azul… (Não vá virem já para aqui dizer que as mulheres isto, qua as mulheres aquilo…se bem que eu acho que muitas concordarão comigo, mas não generalizando)
 
EU acho que:
 
Ponto n.º 1:
Estado civil: VIUVO
Porquê? Principalmente porque assim já vem domesticado. Sim, todas sabemos o trabalhinho que dá domesticá-los. Ele é ensinar a baixar o tampo da sanita, a não deixar roupa espalhada pela casa, a estender a toalha molhada, e limpar os pêlos da barba do lavatório. Aqui também se inclui o ensinamento de que “a mulher tem sempre razão”, pelo que não vale a pena retorquir.  Garanto-vos que a inexistência destes atritos acalma a alma e não desgasta a relação. Claro que uns vêm mais educados que outros. Uns sabem cozinhar, outros lavar as casas de banho,  aspirar, e alguns sabem levantar a mesa e lavar loiça… uau.
Claro que sendo viúvo não só vem ensinado como vem livre de ex. e mais: ainda traz pensão de viuvez e, com sorte, alguma herança.
 
Ponto n.º 2:
Orfão.
Sim ,mas não é órfão desde a infância não, coitadinhos. É órfão de pai e mãe poucos dias depois de iniciarem relação connosco. Assim livramo-nos logo da sogra com a vantagem de podermos usufruir de  herança… claro que também pode acontecer de nos sair o tiro pela culatra e termos que pagar o funeral dos velhos, mas pronto…. Ai entra o ponto seguinte:
 
Ponto n.º 3
Rico e influente.
Sim, Só rico não chega porque o gajo pode ser sovina. Se tiver poder e influência sempre pode dar algum jeitinho.
Isto do amor e uma cabana já era. Ou melhor, se a cabana estiver nas Maldivas com 5 empregados para nos servir está óptimo, caso contrário… mais vale só que a sustentar gajos.
 
Ponto n.º 4:
Sem filhos.
Só deus sabe a paciência que, em certos dias, é preciso ter para aturar os NOSSOS filhos, quanto mais os filhos dos outros! Não. Até porque filhos dá muita despesa e depois não têm guito para viajar connosco ou levar-nos a restaurantes chicatérrimos.
 
Ponto nº 5:
Sem irmãos/irmãs ou afilhados para sustentar. Este ponto é dificílimo de arranjar. Há sempre um emplastro a viver à custa do gajo mesmo que ele só ganhe o SMN. É que até o sobrinho da falecida aparece para chatear…impressionante…
 

Ponto nº 6:
Que tenha algum jeitinho para o sexo…Daí o ponto um também ser uma vantagem.
 
Ponto n.º 7
Surdo.
Sim, porque assim podemos falar, falar e falar e o gajo nunca reclama. Nunca diz que já está farto de nos ouvir. No entanto é raro encontrar este requisito. Mas lá está: se aplicarmos o ponto n-º1 ele já vem com o truque de “desligar o botão” e deixar-nos falar, falar, só acenando com a cabeça e fingindo ouvir… Ás vezes é suficiente desabafar mesmo que ele não esteja a ouvir.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Rapidinha

Vim cá a correr só para vos desejar um FELIZ NATAL cheio de saúde e amor. Acima de tudo saúde e amor, porque o resto vem por acréscimo.

Divirtam-se!

domingo, 21 de dezembro de 2014

Serviço público - o que fazer se o gato engolir os vossos comprimidos

Isto há dias em que eu dou em maluca nesta casa. É o miúdo a remexer tudo, e não parar quieto um segundo e depois é o gato que me dá tanta canseira quanto o rapaz, isto para não falar quando se juntam os dois à estalada mutua.

Então lá estava eu a tentar comer o meu pequeno almoço, já com o comprimido para a bexiga em cima da mesa (Uro Vaxon- vacina) quando sou, pela milionésima vez, interrompida pelo miúdo que estava a fazer mais uma asneira e saio disparada em direcção à sala e não sei mais o quê.. e quando regresso à cozinha meia cápsula já tinha desaparecido, o pó estava espalhado sobre a mesa e o gato a lambê-lo...

Oh SENHOR dai-me paciência que some apetece fugir!!!

Ligo para o Hospital Veterinário pela linha de urgência 24 h ( o meu gato é muito chic) e mandam-me fazê-lo vomitar. A receita é:

20 ml de água com 7 ml de água oxigenada.

Entretanto o rapaz resolveu tirar o depósito do desumificador e virá-lo sobre as pernas...

Oh SENHOR dai-me paciência!!!

Ainda falta muito para eu ir trabalhar???

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Uma tarde preenchida

Hoje fomos fazer uma sessão fotográfica.
Eduardo, quase com 18 meses, ao lado de uma árvore de natal enorme, cheia de bolas de vários tamanhos... Já estão a imaginar... É que fiquei super satisfeita por ter optado por uma arvore miniatura em cima do móvel, looonge do seu alcance.
Só amanha é que vejo o e resultado.
Depois fomos à casa do pai natal tirar mais uma foto prá prosperidade.
E já começa a cheirar a Natal, que este ano vai ser cá em casa com os meus pais e minha irmã, que entretanto desistiu de França e regressou.
O meu Eduardo está lindo e traquina.
Apesar dos problemas de saúde que surgiram devido à gravidez sou Feliz!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Milagres? É na rua ao lado sff

Ora bem,

Pessoa deixa-me ficar mal, faço figura de urso.

Eu engulo o sapo vivo, faço-me de desentendida, pronto de BURRA mesmo!!!, e depois, assim, logo a seguir vem- me pedir ajuda?

HAHAHA Say what?

VAI-TA-PHODER!

Ouviste bem? Não? Eu repito: VAI-LE-VAR- NO- CU -A -VER- SE -GOS-TAS!

domingo, 14 de dezembro de 2014

Provocam-me...depois...azar!

Pá, estou cá com uma vontade de esganar alguém... mas não é alguém à sorte...não!!! O alvo está bem identificado, ou melhor, os alvos!

Eu engulo a primeira, deixo passar a segunda, quando chega à terceira... só vos digo uma coisa: isto vai pegar fogo, vai tudo pró caralho!

Já usei a técnica do desprezo, agora está prestes a evoluir para a fase: CHA-PA-DA.

Segurem-me que eu mato um, ou dois!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

ó sr. guarda prenda-me e vamos os dois para os calabouços

Mas vocês já meteram os olhinhos, OS OLHINHOS, no militar da GNR que, e muito bem, eliminou um cigano menor???

Oh sr. Guarda... Não havia necessidade de lhe fazerem uma maldade destas... A si claro, o cigano que se phoda, que estivesse na escola.

Oh sr. Guarda... Sr. Guarda

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Acho piada

Quando a “malta famosa” do mundo da blogosfera não publica comentários como este:
 
“Pois que o aparelho custa 5.000 eur mas ela não o pagou. É lhe oferecido como contrapartida da publicidade que está a fazer aqui no blog…se há uns meses ela nem dinheiro para pagar o seguro de saúde tinha…”
 
Nem percebo porque não foi publicado… Até fui educada…não fui?

domingo, 23 de novembro de 2014

Planos para segunda- feira

Acordar cedo, tratar do miúdo e deixa-lo na avó.
Trabalhar uma hora, sair, ir a consulta de gastro, regressar ao trabalho.
Almoçar, trabalhar, sair mais cedo para consulta de urologia para acompanhar infecção urinária com um rim afectado.
Passar pelo supermercado, buscar o miúdo, tentar lanchar, dar sopa ao Eduardo, fazer jantar, dar- lhe banho, adormecê-lo, tomar banho e dormir.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Eu não tenho sorte nenhuma

A nutricionista vai perguntar ao professor dela se o exame ao sangue de intolerância alimentar é válido...

A gastroenterologista manda- me tomar imodium para tratar a diarreia que faz parte da minha vida há quase 3 meses...

Fiz um exame ao intestino que consiste, literalmente, em cagar balões...

O meu filho continua a dar noites terríveis e a comer de madrugada...

Vou ter que fazer fisioterapia a um sitio que até tenho vergonha de contar...

E o outro tem o dedo mindinho do pé pisado e acho que, não tarda nada, vai ter que levar pontos na cabeça, pois estou prestes a fazer tiro ao alvo com a panela de pressão.



quinta-feira, 20 de novembro de 2014

domingo, 16 de novembro de 2014

Se tivesse ido à feira...

Se calhar tinha ficado melhor servida... Ou então não me tinha custado tanto deitar as sapatilhas fora...




Eram brancas... No meio... Mesmo no meinho... Branquinho
Foram a lavar...


domingo, 9 de novembro de 2014

Rapidinha

É só para dizer que não morri. Simplesmente tenho andado a correr contra o tempo e a preguiça e cansaço apoderam-se de mim mal paro.

O Eduardo saiu da creche e está com a minha mãe. Teve consulta de rotina da segunda e, como esteve a brincar com os brinquedos do consultório, apanhou uma virose. Febre e diarreia mas por solidariedade eu e o pai andamos a cagar de esguicho também.

A minha irmã emigrou mas não sabe se fica lá... Uns dias quer regressar noutros tem dúvidas...

Eu estou com uns problemazitos de saúde e ando a consultar vários especialistas e várias especialidades. Não mata mas estraga... É a vida...

O trabalho corre bem... Pelo menos nos dias em que consigo ir trabalhar...

Vou tentar passar por cá mais vezes.

domingo, 26 de outubro de 2014

Ajuda please

Alguém sabe em que estação do metro - linha amarela- tenho que sair para ir ao Hospital da Arrábida? Imagino que não saia mesmo à portinha mas depois apanho um táxi.

Se alguém me puder ajudar, agradecia.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

4 xanax's por favor

O Eduardo fez hoje um raio x à coluna, Stop

Disse a técnica que vê uma "curvatura", stop

O resultado demora uma semana, stop

QUE CARALHO É UMA CURVATURA???????????¿????¿??????????


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Phoda-se que já cansa

Eu tenho tão pouco tempo para ver televisão e quando me sento em frente dela tenho que levar com o caso do meco novamente. Phoda- se que, das duas uma, ou os pais são uns chatos de primeira ou são uns burros ricos. Que querem eles? Não sabem o que aconteceu? Ora eles que passem por cá que eu explico:

Os vossos filhos, alugaram uma casa e pagaram as bebidas e afins com o vosso querido dinheirinho e foram- se divertir. Azar do caralho, a coisa correu mal e olhem... Acidentes acontecem. Se tivessem ido até à praia de carro e morrecem pelo caminho de acidente de viação também estariam a fazer um circo à volta disso?

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Mas quem foi a alminha?

Que se lembrou de meter a Luciana Abreu a apresentar o programa da tarde em directo?

Ela não tem propriamente o dom da palavra... E nota- se o esforço mental que tem que fazer antes de dizer qualquer frase e ver se não sai nenhuma bacurada.

Que biolência...

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

É normal?

Uma endocrinologista e um medico de clínica geral desconhecem a existência de teste de intolerância alimentar ao sangue.

Senhor dai- me paciência!!!

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

sábado, 27 de setembro de 2014

Chega!

O Eduardo passou o mês de agosto comigo, a primeira semana ainda a recuperar da bronquiolite de Julho, e regressou ao infantário dia 01 de Setembro. Finda a primeira semana já estava doente novamente...passou as duas semanas seguintes em casa comigo: a primeira doente e a segunda porque eu estava de férias. Regressou a semana passada e ontem - 5 dias depois- já ficou doente novamente.

Passei-me! É que não há condições!!! É que para além as consequências em termos de saúde do miúdo acresce o facto de eu ter que faltar ao trabalho e continuar a pagar infantário. Vai daí que me deu um flash e decidi: vou tirá-lo do infantário!!! Desde que lá entrou, em Dezembro ultimo, que adoeceu todos os meses, sendo que nestes 9 meses não saiu da casa dos 8 kgs, no que respeita a peso.
É que o batalhão de medicação diária que toma parece que pouco ajuda. Passei-me e comuniquei ao pai da criança que isto ia dar umagrandabolta.

Eliminando a hipótese de mudar de infantário porque, ao que consta, é tudo igual em termos de doenças, sobram as seguintes hipóteses:

a) Deixar o miúdo numa ama;

b) Passar o inverno comigo em casa, ficando eu sem vencimento durante esse período;

c) Deixá-lo com a minha mãe nos dias em que ela não trabalha e faltando eu quando ela tem que entrar ao serviço.

Pois que esta última hipótese é a que está a ganhar votos. A minha mãe trabalha, em média, 3 tardes por semana o que significa que nesses dias eu só posso trabalhar de manhã. E em termos laborais como é que fico? Sei lá!!! Vou ter que fazer uma exposição à administração com apoio de um relatório da pediatra e logo se vê! Se não aceitarem... entra em campo a hipótese b).

E depois do inverno? Logo se vê!!! Uma coisa de cada vez...

Já o levei a uma consulta de homeopatia e vai começar a tomar uns suplementos alimentares que reforcem o seu sistema imunitário. Diz que demora umas semanas a fazer efeito. Vamos lá ver...

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

E é assim

Sinto a tua falta.

Há hora de almoço já não estás lá. A mãe não sabe como estás, nem vale a pena perguntar. Basta olhar para ela e ver as lagrimas e escorrer pela cara abaixo. Eras tu o seu bebé, aquela que estava com ela todos os dias, lhe enchia o telemóvel de mensagens. Diz ela que agora o telemóvel não faz qualquer ruido. Eu fui ao teu quarto e senti e teu cheiro. Só agora reparei que está cheio de fotos minhas. És a minha menina e sinto que aqui não te posso proteger, nem abraçar, nem gozar nem resmungar contigo.

Sinto a tua falta.
Mas tiveste que partir para encontrar algo melhor para ti. Eu cheguei a ponderar o mesmo, em tempos, mas a ideia de ficar sem vocês afastou logo qualquer possibilidade de ir. Não imaginei a minha vida ti nem a mãe.

Custa-me saber que estás longe do meu alcance. Que não te posso abraçar.
Bem sabemos que temos a internet ao nosso dispor mas já foste há dia e ninguém teve coragem de ligar... ninguém quer ver ou  ouvir, sequer, a outra a chorar. A ti deve-te doer mais. Nós continuamos na nossa área de conforto, embora sem ti não seja a mesma coisa, mas para ti é tudo novo.

Sei que não lerás este post pois nem sabes que eu tenho um blog, mas preciso desabafar e dizer que choro por ti todos os dias.

Quando é que esta dor passará?

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Estou triste

Um pedaço de mim, sangue do meu sangue, parte amanhã sem regresso anunciado.

Boa sorte e que Deus te acompanhe.

sábado, 20 de setembro de 2014

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

sábado, 13 de setembro de 2014

Vocês queriam era um filho como o meu!!!

Já se sabe que a ligação entre mãe e filho é forte mas a nossa vai ao ponto de ele, sabendo que eu detesto o que faço profissionalmente, me incentivar a mudar de carreira. Sim, e olhem que ele consegue ser muito persuasivo!


O meu filho de 14 meses esforça-se ao máximo para que seja modelo. Sim, isso mesmo: MODELO. É que à hora de jantar ele resolve armar a puta fazer das suas. Uns dias vomita outros lá resolve se atirar contra às portas, mais precisamente às esquinas, e pisar-se todo. Claro que paro de comer e lá vou a correr com ele para a casa de banho, seja para lhe dar banho, seja para lhe colocar água fria na cara. E com tanta actividade consegue tirar-me a vontade de comer. Graças ao seu esforço já cheguei aos 52 kgs. Também já lhe expliquei que com esta idade já é tarde para ingressar nessa área, ao que ele refuta mostrando-me no tablet gentinha mais feia que eu, mas com tanto entusiamo que até partiu o ecrã.

Esta semana está particularmente empenhado e decidiu fazer greve de fome. O meu filho gosta de mim, ou quê?

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Mais uma volta mais uma viagem

Não me lembro se por aqui contei que em pleno mês de Julho o meu filho apanhou uma bronquiolite...

Agora está novamente doente. Regressou ao infantário na segunda-feira passada, após um mês inteirinho com a mãe, e na sexta já estava com febre. Nariz entupido, ouvido inflamado, catarro e febre... E pronto...ainda vamos no Verão...Nem quero pensar como vai ser o Inverno. Vou passar mais tempo em casa com ele do que a trabalhar... é da maneira que pago poucos impostos!!!

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Estou exaurida

De regresso ao trabalho e ao stress de ter que aturar caloteiros, charlatões e vigaristas que acham que temos que lhes lamber o cú,  ameaçam com televisão, rádio e mais não sei o quê... Oh amigo, desampare-me a loja!!! Se ameaçasse com o facebook ainda se ponderava fazer um jeitinho, agora televisão é pouco...

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

A culpa dos Meets é do meu pai

O senhor meu pai foi à Guerra do Ultramar. Andou por lá a rastejar e a fugir de balas para defender um território. Felizmente o meu pai não morreu, pelo menos fisicamente, psicologicamente só ele sabe como está. Muitos outros não tiveram a mesma sorte. E para quê? Para depois os naturais virem viver às nossas custas para aqui. Para receberem apoios do Estado. Ele é casa, ele é abonos. Trabalhar que é bom nada. Deram-lhes direitos mas não cumprem com as suas obrigações. Mas pior mesmo foi que essa gente se reproduziu feito coelhos. E depois esses coelhinhos já são Portugueses e, como tal, temos que os aturar.

Mas bem, o que eu queria dizer é que a culpa destes vândalos, cobardes que têm que andar em grupo porque se andarem sozinhos ainda levam porrada de algum puto de 10 anos, por cá andarem é do meu pai.

Quando regressou da guerra a minha mãe perguntou-lhe se ele tinha morto crianças. Ele respondeu que sim. Se não o fizesse eles iriam crescer e virar turras (expressão que eles usavam na guerra) como os pais.

Deixaste escapar muitos pai.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Só me faltava esta

Infecção urinária com rim afectado, febre, dores de rins e um filho para cuidar.

Se eu fosse homem...

terça-feira, 26 de agosto de 2014

É verdade

Pode parecer frase feita mas é a mais pura das verdades e retrata o meu estado de espirito actual:

Quanto mais convivo com pessoas e vejo a sua maldade, mesquinhez e crueldade mais eu respeito e adoro os animais e, já agora, as crianças que permanecem puras até serem  minadas por filosofias e atitudes da sociedade.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

A nostalgia de ver um filho crescer

Estou triste.

O meu filho já não é um bebé. Caiu-me a ficha ainda dentro do cabeleireiro onde o levei a cortar a  enorme gadelha o cabelo. Lá se foram os caracóis despenteados, os fios desalinhados. Surgiu uma nova feição e o meu filho está um rapazinho.  E aliando ao facto de já andar e de lhe estarem a nascer as mós... sinto que qualquer dia ele deixa de ser meu e passa a ser um cidadão do mundo. Um ser com vontades, personalidade e ideias próprias.

O meu filho está um homenzinho! Mas eu quero-o só para mim, pode ser?

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Round one

No banco da direita temos 100mg de cafeina ingerida ás 17 hrs como um dos componentes do remédio para as enxaquecas.

No banco da esquerda está 0,5 mg de xanax ingerido ás 21.30 hrs.

Após os adversários se cumprimentarem a cafeina não perde tempo e ataca com o repertório do avó cantigas: ...os famosos moscãoteiros...dartacão, dartacão és tu e os teus amigos... doidas, doidas, doidas andam as galinhas para pôr o ovo lá no buraquinho... é o fungaga, fungagá da bicharada...

Neste momento o xanax está no tapete. O Juiz começa a contagem decrescente... 10, 9, 8,7,6...

É meia noite e o que acontecerá a seguir?

Oh Criador...acorda!

Isto está muito mal distribuído...para não dizer que anda mais de meio mundo tolo!

Então umas são autênticas vacas parideiras, têm resmas de filhos aos quais não ligam  nenhuma e os maltratam chegando mesmo a mata-los.

Outras têm todas as condições monetárias e psicológicas para ter filhos, engravidar é o seu objectivo de vida e depois seguem-se abortos espontâneos uns atrás dos outros, gastam rios de dinheiro em tratamentos e, muitas vezes, sem sucesso.

Umas engravidam sem querer e outras passam anos a tentar.

É caso para dizer: Dá Deus nozes a quem não tem dentes.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Cólicas vs cólicas do lactente

Quem tem filhos, e quem não tem, sabe que nos primeiros meses com o novo membro em casa a palavra mais ouvida é "cólicas".

Logo na primeira consulta a pediatra explicou-me a diferença entre cólica e cólica do lactente:

A cólica é a dor de barriga que já sentimos em algum momento da nossa vida. No bebé deve-se ao facto do aparelho digestivo se estar a adaptar a nova alimentação e que pode ser aliviada com medicação - normalmente aquelas gotas cor-de-rosa ou bebegel. Isto todos nós sabemos.

O que eu não sabia era que existia a "cólica do lactente" que, segundo a pediatra, é o choro do bebé, quase sempre à mesma hora - normalmente fim do dia- e para a qual os médicos não têm explicação nem medicação. Desconfiam eles que é o descomprimir de toda a actividade que se gerou à volta da criança naquele dia. Assim, quanto mais agitados forem os dias, com muito barulho de fundo, a criança a passar de colo em colo, etc., maior será a duração da cólica do bebé naquele noite. Disse a pediatra que o bebé chora "porque sim" e o papel dos pais é confortá-lo e serem compreensivos.

Quem me lê há algum tempo sabe que eu não quis visitas cá em casa quando o Eduardo nasceu.

Coincidência ou não o período de cólicas do lactente nele durou cerca de 3 semanas. Ele chorava 3 horas seguidas entre o biberão das 21 hrs e o da meia noite. Depois dormia e acordava para comer choramingando apenas. Pelas histórias que me contam acho que foi um período bastante curto comparativamente com outros bebés.
Também li, na altura, que os bebés africanos que iam às costas da mãe para os campos não sofriam desta cólica do lactente. Alguns médicos defendem que é por estar em contacto directo com a mãe. Ora, por cá só se ouve "não o habitues ao colo...não pegues logo nele mal chora, olha que eles são manhosos" etc e tal. Coincidência, ou não, foi quando eu comecei a dar mais colo durante o dia ao Eduardo que o período de cólicas do lactente foi diminuindo gradualmente- uns dias somente duas horas, noutros uma- até desaparecerem.

Já se sabe que cada criança é uma criança mas eu continuo a defender que estar num ambiente calmo propicia a que um bebé cresça calmo também. Noto isso naqueles dias em que a rotina foi alterada - por exemplo nos dias de viagem de avião- em que é muito mais difícil de adormecer o miúdo e este passa a noite às (ainda mais) cambalhotas na cama.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Confirma-se: detesto o mês de Agosto

É a primeira vez que tiro férias em Agosto e só assim teve que ser devido ao encerramento, para férias, da creche do Eduardo.

A estadia na Madeira correu bem e a viagem também mas há confusão em todo o lado, coisa que não acontece quando tiramos férias noutros meses. É o aeroporto cheio, é o hotel e os restaurantes a abarrotar, é o transito, é a falta de estacionamento, é a piscina cheia de pré-adolescentes aos berros e saltos lá para dentro como se fossem invisíveis para os pais, são as filas para comprar bilhetes, enfim... só confusão.

Como frequentamos repetidamente certos lugares, como foi o caso do hotel e de certos restaurantes, notamos MESMO a diferença. Se noutros meses andam "connosco ao colo" em Agosto nem tempo têm para nos cumprimentar. É o pedido do almoço que se extraviou e ficamos uma eternidade à espera da comida, é o room-service que se esquece de levar a sopa do menino, depois são as cadeirinhas do bebé ocupadas, a luta por uma espreguiçadeira, a troca dos ingredientes na comida, o que para quem tem restrições alimentares, como eu, pode ser um verdadeiro problema... enfim nada que estragasse as férias mas algo que preferia evitar.  Provavelmente em Julho também será idêntico, não sei, não costumo tirar férias nestes dois meses de verão.

Depois aqui no norte é assim: se não está nortada gelada de arrepiar então está a chover. E assim tem sido este verão. Felizmente na Madeira o tempo esteve bom.

A ideia que tenho é que neste mês ( e se calhar em Julho) não se está bem em lado nenhum. Sim, porque fomos até ao interior e aconteceu o mesmo: falta de estacionamento, restaurante a abarrotar, uma eternidade à espera da comida ao ponto de à saída o dono, que já nos conhece há anos, pedir imensa desculpa pelo serviço (sem nós reclamarmos sequer).

Agosto. Está-se bem é em casa!

quinta-feira, 31 de julho de 2014

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Para mais tarde recordar

Hoje, dia 30 de julho de 2014, o Eduardo deu os seus primeiros passos indo da mesa da sala até à cadeirinha da pápa sem cair.

Está um homenzinho.

13 meses e 1 dia.

Coisas sobre mim

No final de cada ano lectivo eu chorava com saudades dos colegas e com receio do futuro.

sábado, 26 de julho de 2014

Modernices

Hoje é dia dos avós. Dizem.
Cá por casa não dei por nada. A exma. sra. minha mãe foi festejar o dia fazendo uma excursão com um grupo e na segunda-feira vai com outro. Não, ela não trabalha no turismo. É simplesmente uma mulher socialmente muito ocupada.
Feliz dia dos avós a quem o passou na companhia dos netos.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Colecção de cromos

O gerente atende uma cliente que pretende comprar um imóvel que consta na nossa lista de propriedades para venda. A certa altura diz ela:

- Como posso fazer o pagamento? Acho que já tive aqui conta mas foi há alguns anos...

O gerente averigua e responde:

- Tem cerca de 200.000 eur, entre dinheiro à ordem e a prazo.

Ao que ela responde:

- Olhe que bom. Nem sabia.

...
...
...
(Eu não me importava de ser um cromo destes!)

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Não há condições

Às 8.30 da manhã já tinha mudado a roupa da cama do Eduardo. Já lhe tinha mudado de roupa três vezes, trocado a minha t-shirt duas e alternado de chinelos uma.

É em horas como estas que eu não acho piada nenhuma à maternidade. Lamento mas não consigo.
Dou os parabéns àquelas mulheres que acham sempre o máximo serem mãe e os filhos são sempre uns queridos e é só alegrias. Na casa dos outros não sei mas aqui na minha há muita hora sem dormir, muito desespero ao ver a comidinha que tanto me custa a enfiar-lhe goela abaixo, carregada de suplemento alimentar, a voar à minha frente. Muita loucura ao ver o amontoar de roupa para lavar em minutos e a roupa limpa a esgotar-se.

Cá em casa não se namora, não se janta ou almoça a dois, não há mãos dadas nem tempo para sexo porque de noite estamos de rastos e durante a sesta do rapaz há sempre coisas para fazer... Por cá não há avós que queiram abdicar das suas aulas de ginástica, natação, aulas, ensaios e espectaculos de zumba, das idas á praia, nem das suas sestas diárias.

Cá em casa somos três mas eu sinto que me desdobro em dez. E o meu marido até ajuda. Chega mesmo a fazer às vezes. Mas eu sinto-me sufocada e por estranho que pareça quem me oferece ajuda é a minha irmã mais velha, que tem dois filhos já com 6 e 15 anos. Mas se o filho dela não fosse tão irrequieto e violento eu até deixava lá o Eduardo, mas assim, não consigo!

terça-feira, 22 de julho de 2014

Colecção de cromos

Um cliente atende o telemóvel aos berros e diz:

Puta que pariu é sempre a mesma merda. Eu vou já para ai.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Ser mãe é difícil

Se por um lado morremos de saudades e vamos logo buscá-los ao infantário mal acaba o trabalho, por outro é jurar que no dia seguinte eles ficam lá até fechar uma vez que não conseguimos fazer nada com eles agarrados às nossas pernas.

Tanto ficamos com o coração apertado por estarem doentes, como nos dá vontade de os mandar pela janela fora porque não nos deixam dormir.

Se queremos aproveitar ao máximo todas as fazes, vezes há em queríamos que já andassem na universidade.

Complicado... Muito complicado.

domingo, 20 de julho de 2014

Verniz de gel?

Na sequência do posto anterior varias pessoas sugeriram verniz de gel. Ora eu pensei que era um verniz especial que colocavamos em casa mas pelo que pesquisei tem que ser na manicure pois é preciso secar com as maquinas UV. Correcto?
Ando mesmo desactualizada.

sábado, 19 de julho de 2014

E se dúvidas houvesse

De que eu estou completamente passada, a prova está aqui. Na ponta dos meus dedos.

Três anos depois retirei o gel das unhas.

Resultado: fracas e quebradiças. Estão mesmo uma desgraça e nem vale a pena pintar com verniz porque às tarefas domesticas que tenho que fazer... É para a côr durar um dia.

Vamos ver quanto tempo aguento até voltar ao gel, é que eu até o acho muito prático já que durante semanas não me preocupava com as unhas e o aspecto era impecável. Acontece que de há uns meses para cá que o gel descola. Cheguei a mudar de manicure mas de nada adiantou. Ter que ir de 15 em 15 dias arranjar o gel e gastar 30 euros por mês em unhas, não obrigada. Até porque o chato é perder hora e meia a arranja-las por sessão. Hora e meia! E quando se tem um filho de um ano e a paranóia de o ir buscar ao infantário a correr mal saio do trabalho... É mais uma fonte de stress.

Dizem que é verão

Já cheira a outono.
A chuva bate na janela.
Venha daí o pijaminha.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Gente inteligente escreve assim

Isto de andar na blogosfera tem muito que se lhe diga.
Uns é para passar o tempo, outros é para fazer amigos, outros é para desabafar, outros é para cuscar e  outros é para fazer dinheiro.
Uns são anónimos, outros escondem-se em nicknames outros há que dão a cara nua e crua.
 
No próprio blog podemos escrever o que nos apetece. É nosso e ponto. Mas quando precisamos dele para viver, para ganhar uns bons trocos com publicidade, para divulgarmos os nossos produtos nas nossas lojas- sapatarias, pronto-a-vestir, restaurantes-então, se formos inteligentes e repito SE FORMOS INTELIGENTES  não insultamos potenciais leitores e clientes. Mas há certas pessoas que quando alcançam alguma notoriedade lá com o respectivo cantinho acham-se donas do mundo, são o máximo estas queridas que acham que, por exemplo, se insultarem os funcionários das finanças estes vão a correr comprar aquelas sandálias horríveis que elas têm lá em stock e não se conseguem livrar delas.
 
Senão vejamos:
 
Uma blogger que usa a net para divulgar a sua loja e  ganhar dinheiro com publicidade no blog, escreveu:
 
Todas as pessoas que são estúpidas devem trabalhar nas Finanças”… e ainda
…  “Eu quase arriscava dizer que os meus Anónimos mais infelizes trabalham nas Finanças. É todo o género.”
 
Eu não trabalho nas finanças. Mas não gostei do texto. No entanto respondi com comentário algo do género, mas oh que chatice, ela não publicou- vá-se lá saber porquê-:
 
Para quem precisa de clientela este post é verdadeiramente um acto de inteligência.
Os funcionários das finanças limitam-se a fazer o trabalho deles. Se calhar, se tivesse pago os seus impostos a tempo e horas não teria necessidade de ir visitar esses funcionários tão estúpidos. Deve ser mais uma que não tem onde cair morta e acha-se o máximo…
 
 
É claro que nas finanças não se trata somente do pagamento de dividas, no entanto tendo em conta que a senhora não se pronunciou, é capaz de ser bem verdade o facto de estar enterrada em dividas até ao pescoço e depois andar a correr para lá de nariz empinado e rei na barriga.
 

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Politicamente incorrecta # 13

Está na moda escrever livros. Qualquer um escreve livros. Desde a Carolina, ao Gonçalo agora é vez da Dolores, vale tudo.
 
Pois que o livro sobre a vida da mãe de CR7 intitula-se “Mãe Coragem”. Eu não li o livro, nem vou ler, mas o titulo parece-me um tanto ao quanto exagerado. “Coragem” porquê e de quê?
 
A senhora só é conhecida, só não está a passar fome, ela e as outras filhas porque o filho as sustenta. Porque o filho, que foi criado na rua e, consta-se até necessidades passava, foi salvo por um empresário com olho que o trouxe para Lisboa. Para Dolores deve ter sido um alivio, ter menos uma boca para sustentar. Até porque, segundo ela própria, tentou abortar do rapaz e não conseguiu.
 
Ai e tal ela toma conta do neto. So what? Há tantas que o fazem? Por que dificuldade passou a senhora para lhe chamarem de mãe coragem?
 
Repito: acho um exagero e uma desonra para aquelas mães que, efectivamente, são mães coragem. Aquelas que têm que lidar com filhos com doenças crónicas, filhos desaparecidos ou com a morte de um filho. Para isto sim, é preciso coragem...  muita coragem.
 
Se o termo coragem se aplica, neste caso, ao facto de ela ter tido cancro da mama então até o aceito. Também é algo para o qual é preciso muita força para o enfrentar.
 
Mas repito o termo “mãe coragem” está exagerado. Coragem em relação à vida dos filhos não vejo onde, se foi por causa da sua doença então não se lhe chame mãe coragem mas sim mulher coragem, ou algo do género.
 
Não sei a quem o filho sai tão ajuizado e discreto. Quando soube da decisão da mãe,  questionou-a porque tinha ela necessidade de expor a sua vida  (http://www.dn.pt/inicio/pessoas/interior.aspx?content_id=4023396&seccao=ntv).

terça-feira, 15 de julho de 2014

Esquisitices

Eu gosto de café, o entanto raramente tomo porque sou muito sensível à cafeina. Tão sensível que mesmo um simples descafeinado, tomado mais tarde um bocadinho, me afecta o sono.
 
Volta e meia gosto de tomar um descafeinadozinho. Aqui no balcão há daquelas máquinas automáticas que servem em copos de plástico. Pois que o dito cujo não me sabe bem. Já trouxe para cá uma chávena em vidro e realmente o sabor é outra coisa…ou então é só panca minha.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

A moduuss que também eu fui obrigada

Uma pessoa avisa no emprego que tem que abandonar as instalações mais cedo devido a consulta médica com filho menor.
Então não é que o telemóvel toca 2 horas antes da consulta a explicar que se tinham esquecido de avisar mas que a Sra. Dra. estava de férias e de modduss que era para eu não ir vão. OK. Paciência.
E prontuus, fui obrigada a sair mais cedo, já que a entidade patronal já estava a contar com a minha saída antecipada e estava...prontuss, a moduuss que fui obrigada.

Sim... porque desde ontem, para mim, a conceito de obrigada (forçada) mudou completamente.

Foi depois de assistir ao que dizia na televisão uma mãe de uma jovem que, imagine-se lá, a miúda foi obrigada e ir para a porta do estádio com 48 hrs de antecedência para garantir que ia estar na primeira fila do concerto lá dos one direction ou full direction ou lá o que é...Sim, a miúda foi O-BRI-GA-DA  a ir para lá com tanta antecedência. Ela nem queria nem nada e a mãe nem deixou nem nada. A culpa é de "alguém" (não sei quem) que as obrigou, às adolescentes, a irem acampar horas e horas debaixo de calor intenso, todas a desmaiar e o caraças, coitadinhas das miudas. Sim, a culpa é de quem as obrigou a ir, claro está.

E aproveitando a maré, prontuss, também eu fui obrigada a sair mais cedo.

sábado, 12 de julho de 2014

Para quem precisar chorar um bocadinho

Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus:

- "Dizem-me que estarei sendo enviado à Terra amanhã... Como eu vou viver lá, sendo assim pequeno e indefeso?"

 E Deus disse: - "Entre muitos anjos, eu escolhi um especial para você. Estará lhe esperando e tomará conta de você."

 Criança: - "Mas diga-me: aqui no Céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?"

 Deus: - "Seu anjo cantará e sorrirá para você... A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu anjo e será feliz."

 Criança: - "Como poderei entender quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas falam?"

 Deus: - "Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar.”

Criança: - "E o que farei quando eu quiser Te falar?"

 Deus: - "Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar."

 Criança: - "Eu ouvi que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?"

 Deus: - "Seu anjo lhe defenderá mesmo que signifique arriscar sua própria vida."

 Criança: - "Mas eu serei sempre triste porque eu não Te verei mais."

 Deus: - "Seu anjo sempre lhe falará sobre Mim, lhe ensinará a maneira de vir a Mim, e Eu estarei sempre dentro de você."

Nesse momento havia muita paz no Céu, mas as vozes da Terra já podiam ser ouvidas. A criança, apressada, pediu suavemente:

 - "Oh Deus, se eu estiver a ponto de ir agora, diga-me, por favor, o nome do meu anjo."


E Deus respondeu : - "Você chamará seu anjo de ... MÃE!"

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Serviço público


Toda a gente sabe que as hormonas são tramadas e que com a gravidez e pós parto andamos com o sistema nervoso, hormonal, sensorial, financeirical,temperaturial e sonambucal todo phodido alterado.

Nós transpiramos que é uma coisa louca. Estamos sempre com calor e a sensação que temos é que cheiramos a suor, todo o tempo...principalmente quando amamentamos. Depois a fase seguinte é correr com o miúdo ao colo, subir e descer escadas sempre a olhar para o relógio, com horários a cumprir e nós sempre a bufar, até parece que estamos na menopausa. E eu estou a falar no plural porque aconteceu a mais duas amigas minhas, mães, e começo a achar que o mal é geral. Quem não passar por isto pois não sabe a sorte que tem...é que parece que cheiramos sempre mal, por mais cuidamos de higiene que tenhamos.

Pois que uma dessas amigas queixou-me disso mesmo à sua médica e esta recomendou o roll-on da Roc - Keops(eu compro na wells). Pois não vou dizer que é barato, que não é (2 roll-on´s custa 18 euros já com desconto) mas foi remédio santo. Nada de odores nem preocupações.

Já uso há uns meses e vou continuar a usar por mais uns tempos, se calhar até ao fim do verão. Logo experimento regressar aos roll-ons de supermercado.




E não, não me estão a pagar nada por esta informação, se bem que uns frasquinhos de graça vinha mesmo a calhar.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Politicamente incorrecta # 12

Pois que a Sra. Dona Pipocona publicou um post onde diz estar indignada com a multicare, uma vez que eles lhe cancelaram a apólice, imagine-se lá, QUE ABUSO, porque ELA NÃO PAGOU o seguro. Que mundo cruel em que nós vivemos.
 
Diz  a mesma senhora, aquela que pões fotos todos os dias da sua roupa de marca caríssima , carteiras e óculos de sol absurdamente caras, joias e maquiagem e assume que são dela (mas todos sabemos que é emprestado pelas marcas), que não tinha dinheiro na conta quando o débito directo caiu e que não viu ou não prestou a devida atenção (palavras dela) à carta de aviso de pagamento que lhe foi enviada para casa (really?).
 
Disto vejo eu aqui no banco todos os dias: andam todas impiriquitadas, bons carros, boas carteiras, cabelo arranjado e unhas feitas e depois não têm onde cair mortas e acham-se donas da razão.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Politicamente incorrecta #11

Pois que vi nalgum lado que a avó paterna do Cristiano Ronaldo tinha falecido e ele continuava de férias na Grécia com a sua Irina.

Pois o que é que era suposto ele fazer? Largar tudo para ir a um funeral de uma pessoa com a qual não convivia directamente? é que lá por ser avó...não quer dizer nada. Até porque se consta que o moço até aos seus 10-12 anos foi criado na rua e a passar fome. Onde estava a avozinha e é obvio que depois de vir sozinho para a escola do Sporting perdeu o contacto directo com a família. Mas, nem que a senhora tivesse sido a melhor avó do mundo, há que ser prático e deixar de criquices:

Primeiro: a senhora faleceu, está morta, quinou, bateu a bota, está a fazer tijolos. Não é a presença dele que lhe vai dar vida, pois se desse tenho a certeza que o moço apareceria.

Segundo: esta treta que a sociedade inventa que o velório é para se despedir do falecido e tal...treta. Repito:  a senhora faleceu, está morta, quinou, bateu a bota, está a fazer tijolos. Não ouve as despedidas. E para quem acredita nessas coisas então sabe que a senhora está no purgatório a contar os seus pecados e como tal, ainda lá fica uns aninhos, pelo que podem  despedir-se e falar com ela muitíssimas vezes sem ser na igreja ou no cemitério.

De qualquer das maneiras tenho a dizer que o rapaz até se despediu da avó com uma mensagem no facebook. E prontosss, teve o mesmo efeito (nenhum porque no purgatório não há internet porque isto é um antro de pecado) e lá continuou a gozar as merecidas férias.



Adenda: convém começar a ver quando é que se vai quinar porque isto de phoder interromper as férias aos pobres não está com nada. Eu já avisei lá em casa: é favor morrerem à segunda para eu gozar bem os 5 dias de luto e nunca nas minhas férias. Agradecida.

Oh faxavor

Estou com uma dúvida existencial.

Suponhamos (detesto esta palavra) sim suponhamos que eu, emigro e deixo uma procuração a alguém com plenos poderes para basicamente, fazer tudo. Do género, celebrar contratos de arrendamento, vender bem imóvel, comprar acções, vender acções, movimentar as minhas contas, sei lá..tudo.

Suponhamos (detesto esta palavra) que eu me zango com essa pessoa e quero a procuração de volta, ou seja quero-lhe tirar os poderes. Mas o gajo procurador manda-me phoder não devolve a dita cuja. Ora, suponhamos, que enquanto eu chego e não chego a Portugal, encontro e não encontro o gajo,o procurador, phodo-lhe a cara à chapada e não phodo, exijo-lhe o documento, o gajo vende uma propriedade minha e eu só dou conta anos depois que a papelada não está em meu nome.

Ponto n.º 1: como é que eu caço a procuração ao grandessíssimo filho da puta senhor?

Ponto nº 2: adeus imóvel, certo?


terça-feira, 8 de julho de 2014

Estagiários

Tempo houve que por cá passavam estagiários. Uns atrás dos outros, sempre sem se renovarem contractos mas todos remunerados. Uns mais despachados que outros, uns mais burrinhos outros mais inteligentes, uns simpáticos outros nem por isso, uns dedicados outros baldas. Mas pronto, ao que recebiam também não se lhes podia exigir muito (no meu entender).
 
 
De há uns meses para cá que, no seguimento da redução de custos, acabaram-se com os estágios. E quando soube questionei logo? Quem é que vai trabalhar agora? Sim, quem? Quem atende os telefones, quem tira fotocópias, mas mais importante, quem é que culpamos agora? Sim, quem? Porque era tudo culpa do estagiário! Nós, burros velhos cá dentro nunca nos enganávamos, nãããooo. Bem, também é certo que alguns atrapalhavam mais do que ajudavam… Mas pronto, sempre eram eles que iam ao arquivo e saiam de lá sujinhos ou iam ao café buscar-nos o pequeno almoço.

Angustiada

Ando angustiada.
 
O horário reduzido de amamentação acabou porque o rapaz fez um ano. É deixá-lo na creche às 8.15h e ir busca-lo às 17hrs, com sorte. A sensação que tenho é que não tenho tempo para estar com o miúdo. Chegar a casa, fazer as lides domésticas, a sopa dele, o nosso jantar, pôr roupa a lavar, estender roupa, lavar os biberões, tomar banho… O tempo voa. Quando dou por ela só me sentei para comer e mal… E já está na hora de deitar o miúdo e sinto que passei pouquíssimo tempo na sua , verdadeira, companhia.
 
Para agravar a situação venho trabalhar com o coração apertadinho pois o rapaz não come de manhã. Pura e simplesmente não come. Não quer leite (já experimentei vários), vomita  a papa, fruta não quer, iogurte nem vê-lo. Mas se ele estivesse no percentil 95% como muitos eu não estava tão preocupada. O problema é que nem há percentil para ele, de tão baixo que está o peso. Como está frequentemente doente (não passa duas semanas seguidas sem ficar doente, ou é bronquiolite ou é virose) ou não come porque não tem apetite ou come e vomita. Está um pau de virar tripas. Mas está reguila, traquina, com ar saudável. Não quer é comer… A sopa até come bem. Acho que vai começar a comer sopa às 7.30hrs da manhã.

Coisas que me irritam

Gente sonsa.

domingo, 6 de julho de 2014

Teorias e blá blás blás

Está a dar no canal 1 a divulgação de uma feira anual, ou lá o que é aquilo, que se chama barrigas de amor. Pelo que percebi são tendas com diversos assuntos relacionados com bebés. Num desses espaço falava-se de yoga para crianças dos 2 meses aos 12 anos e que ajudava a aumentar o vinculo entre mãe e filho.

Ora isso é muito bonito e ajuda a vender o conceito criado, no meu entender por algum desempregado que decidiu inventar algo para fazer, nada contra os empreendedores, a as mães de primeira viagem e cheias de nhe nhe nhés devem aderir em massa loucas que são pelas crias. Acho que não são precisas estas teatralidade s para se ter um elo forte com os nossos filhos. É que as mães, 99% delas, já passaram 48 horas por dia com os filhos mais algumas de noite.

Pois eu sugiro outro tipo de conceito. Aulas para as mães se mentalizarem que são pessoas. Que têm o direito a estar duas horas a relaxar a mente sem se sentirem culpadas, sem se sentirem monstros ou porque deixaram a criança mais um bocado no infantário ou porque querem passar um fim de semana a dois. Aulas para nos mentalizarmos que precisamos de tempo para nós e que não somos super mulheres que têm que carregar o mundo de casa, trabalho e familiar às costas. Isto é que é difícil, criar laços com os filhos é a lei da natureza, é inato. Difícil mesmo é distanciarmo-nos um pouco desta rotina de biberões, fraldas, sopas e papas.

sábado, 5 de julho de 2014

Porque é que não me dediquei mais à matemática

Eu estou aqui a tentar calcular o ângulo exacto que me permite cair da janela de um segundo andar sem morrer nem ficar inválida, mas que seja suficientemente capaz de me proporcionar uns quantos ossos partidos, por forma a garantir um internamento de, vá, pelos menos 15 dias. Um mês era o ideal.

Trigonometria sempre foi um ponto fraco...quer-se dizer, desenrascava-me mas neste caso o erro pode sair caro. Até porque há algumas variantes. Ora vejamos, na frente do prédio tenho jardim, na traseira é cimento é capaz de ser melhor. Por outro lado aqui na lateral como tem a rampa da garagem sempre é mais um andar de queda, mas isso implica mais cálculos e o meu cérebro anda tão cansado... que chatice pá. Será que há por aí alguém bom em matemática?

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Comentário que vira post

Em resposta a este : http://afarmaciadeservico.clix.pt/2014/07/menos-muito-menos.HTML

Tenho um bebé de 1 ano.
Sim, a vida muda muito e não temos tempo para nada, nem para nós. Porque é impossível a vida continuar a mesma. E se era para a vida continuar  na mesma não se tinha filhos. Se é para os abandonar em creches e/ou nas avós dias inteiros, fins de semana e afins então é melhor não os fazer pois as crianças estão a ser criadas por outras pessoas.
 
90% dos pais e mães abdicam do seu "time alone" para estar com o filho, para brincar com ele, para o ver crescer, evoluir. Ser pai/mãe é isso, é estar presente e isso implica muitas mudanças, que normalmente, os pais/mães aceitam de bom gosto porque ver um filho crescer é mais importante que estar constantemente nos copos com os amigos ou longas tardes no cabeleireiro ou a dar à perna no shopping. Os pais não querem perder a primeira palavra do bebé, o primeiro passo, a primeira asneira. Querem estar lá quando ele tropeçã e cai, magoa-se. Querem ser eles a abraçá-lo e não a educadora ou a avó que fica dias e dias com ele. Querem chegar a casa do trabalho e ver o sorriso de alegria do miúdo e não ir buscá-lo às 22hrs já a dormir e deitá-lo na cama sem falar com ele.
 
Isto são coisas que só quem é pai percebe e eu, antes de ter filhos, também não compreendia e criticava as minhas amigas que nunca podiam (ou não queriam, acho eu agora) alinhar nos nossos programas.
 
É obvio que não devemos cair num extremo absoluto. De vez em quando precisamos desanuviar a cabeça, estar sozinhos um bocado ou, principalmente, a dois. Mas nunca, se retoma a vida de antigamente porque, antigamente, sem filhos, afinal, a vida não fazia sentido nenhum. Viagens, jantares, concertos, bebedeiras, é tudo muito bonito e deve existir na nossa vida até certa altura.

Depois...depois é que a vida ganha sentido.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Amigos, amigos

Encontro um, supostamente, amigo do meu marido, por quem ele tem imensa consideração e tal e não sei mais o quê que me diz o seguinte:

Ai o homem só fala do filho. Anda mesmo babado, passa o tempo todo a contar peripécias do miúdo. Aliás, elogia mais o filho que a mulher.

Ao que eu, respondo: Faz ele muito bem. Mulheres há muitas e filhos são filhos!

Venenoso do c@ralho...

terça-feira, 1 de julho de 2014

Eu sei que percebo pouco de bebés e tal

mas eu acho que perguntar se uma criança de 12 meses come sozinho com colher um bocadinho de nada assim pró exageradissimo.

Não senhora infermeira o meu filho não come de colher, aliás o meu filho engasga-se com sólidos e vomita tudo. Como eu já ando com vomitado pelos olhos, mais cadeirinhas para limpar, roupa para lavar e passar a ferro até virem os peixeiros, vou adiar a colher por mais uns meses e deixá- lo badalhocar o tabuleiro da papa, o chão, a roupa e as mãos com a comidinha sólida que ele não quer comer.

Quando chegar a fase do mcdonalds ele vai mastigar tudo direitinho... e sem precisar de colher.

Coisas sobre mim

Babo-me quando durmo profundamente.

domingo, 29 de junho de 2014

1 ano

É só para dizer que o Eduardo faz um aninho hoje.

Foi um ano de felicidade, descobertas e cansaço.

Não me lembro da minha vida antes dele...excepto nas noites em que não prego olho... Nem me imagino sem o Eduardo. Realmente uma criança muda tudo, tudo mesmo!


Vai haver lanche e bolo do homem aranha porque enganaram- se na padaria. O que eu tinha encomendado mesmo era um bolo do super homem... Paciência!

Agora vou vestir o príncipe.

Coisas que ultrapassam a minha ( cada vez mais pequena) inteligência

Fiz um bolo de iogurte na yammi para o Eduardo levar para o infantário.
Fiz em forma de silicone, ou seja, antiaderente.
Saiu queimado dos lados e em baixo mas cru por dentro.
Como? Como?
Lixo!

sexta-feira, 27 de junho de 2014

quinta-feira, 26 de junho de 2014

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sou só eu?

Quanto mais espaço livre tenho para estacionar mais figuras tristes faço, preciso de muitas manobras, até parece que tirei a carta ontem... e jã lá vão 18 anos de condução diaria.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Money can´t buy?!

A propósito da outra que tentou vender o filho de 18 meses tenho a dizer que já desconfiava. A pobreza naquele meio não é só material mas também de espirito. Não me é difícil compreender a venda visto haver mães e haver progenitoras. Estou certa que, felizmente, 99.99999998% das mulheres não venderiam os seus filhos por preço algum. Nem por milhões. Porque filho não tem preço, a não ser para progenitoras egoístas, estupidas e egocêntricas.

 Do outro lado da historia está um casal que paga para ter um filho. E isto só poder ser desespero. Temos assim uma mulher que deseja muito ser mãe a outra que se quer ver livre dos filhos. O que não percebo é porque é que aqueles casais não optam pela adopção ou pela barriga de aluguer (legal ou não... porque comprar crianças também é ilegal).

E estava eu a comentar algo parecido com isto aqui em casa quando me saem estas palavras:

"Filho, a mãe não te vendia por milhões de milhões... se bem que certas noites a mãe até de dava de graça".

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Mamã, eu avisei

Foi desta.
 
Tantas noites a ameaçar e na noite passada o miúdo tanto rebolou, tanto rebolou que passou por cima das pernas do pai, enquanto ambos dormiam, e puuummmmcatrapuuummmmm aterrou no chão.
 
Já encomendei duas barreiras de protecção para a cama, estou à espera da entrega porque parece que a transportadora (comprei online) está com dificuldades em fazer entregas depois das 16 hrs…ainda gostava de saber como fazem aos clientes que chegam a casa às 8 da noite. Quando voltarem a ligar vou propor a entrega para as 8 da manhã…já que 4 da tarde é tarde…

sexta-feira, 20 de junho de 2014

As maravilhas da maternidade

Às vezes questiono-me se é para isto que tive filhos... Para andar a dormir mal, cansada, irritada, stressada, esgotada, impaciente, preocupada, dorida de corpo e, por vezes, de alma.

Umas vezes quero que ele já ande, outras que já fale, outras quero que já tenha 10 anos e outras que já esteja na universidade.  E depois bate-me uma tristeza por pensar assim e acho que não vou dar conta do recado, e apetece-me fugir, apanhar um avião e ir para o calor curtir uma praia em silêncio. E mais triste fico porque a criança não pediu para nascer... E a culpa é minha que a pus ao mundo e agora tenho que aguentar esta fase, até à próxima, porque pelo que percebi vai ser sempre assim: uma fase atrás das outra.

E o tempo vai passando e vou ficando esquecida de mim própria, da minha pessoa e dos outros porque não tenho tempo para nada. Como agora...não posso escrever mais...está aqui a choramingar agarrado às minhas pernas...até já. Vou ser mãe...pessoa, talvez um dia, quem sabe.

Se me sair o euromilhões compro um.




BMW X6
Até lá é sonhar
 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Podiam-me ter avisado, pá.

Que é impossivel estar sozinha na praia com um bebé de 11 meses.

Vou eu carregada com o puto debaixo de um braço e um saco enorme cheio com toalhas, brinquedos, protectores, fraldas, água, iogurte e t shirt suplente, para estar duas horas a tirar, constantemente, areia da boca do rapaz. É que só sossegou quando vomitou tudo.

Não há condições nem paciência que aguente.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Depois de ser mãe aprendi a #1

A relativizar.
Aquelas situações que antes geravam stress ou aborrecimento agora passam mesmo ao lado. É deixar andar, azar, paciência. Há coisas mais importantes como o meu filho estar com saúde, não se atirar para dentro da sanita,
não cair da cama abaixo, não se engasgar ao comer os cereais  do gato, não me esquecer do rapaz nalgum lado, não adormecer ao volante, não sair de casa em pijama, não depositar um zero a mais na conta de algum cliente, etc e tal.
Por exemplo: ontem amassei o carro ao metê-lo na garagem. Se alguma vez tinha acontecido? Não! Um ano atrás e tinha sido um drama…agora…paciência!!!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Eduardo´s report

O Eduardo está bem, está um traquina e só faz asneiras.

Fora as doencinhas normais de quem anda no infantário e a dificuldade em ganhar peso (sai à mãe) não há preocupações de maior...quer-se dizer... há o normal para um bebé de 11 meses que gatinha a uma velocidade estonteante, anda com joelhos pisados, já se levanta e aguenta em pé sozinho e anda agarrado ao sofá. Só quer estar onde não pode e só quer brincar com coisas que não são brinquedos. Adora as portas de correr dos guarda fatos e já as empenou 2 vezes. Leva tudo à boca e gosta de comer seja papel higiénico, folhas de revistas, pêlo das alcatifas, areia da praia, cereais do gato e de roer os chinelos dos pais.

O pior são as noites. Ele dorme mas não deixa ninguém dormir porque tem sonos muito agitados. Acorda com muita frequência e chora. Mal chegamos à beira dele volta a adormecer. Dá mil voltas e não consegue estar na cama de grades porque, apesar do resguardo completo, rebola com tanta força que vai contra as grades e acorda. Temos dormido à vez na cama de casal com ele ao lado e mesmo assim o rapaz corre os quatro cantos e vem contra nós. Enfim, esta noite não caiu porque lá ao fundo está a cama dele. De lado temos uma barreira mas já encomendei outra e o próximo passo é deixá-lo sozinho na cama de casal.

domingo, 15 de junho de 2014

Eduardo o verdadeiro roqueiro

Então hoje lá levamos o Eduardo ao seu primeiro concerto.

Fomos à casa da música ao "Baby Rocks", que mais não é que uma banda ao vivo, todos com ar roqueiro mas de biberão na mão, a interpretar músicas dos AC/DC em versão AB/DB (antes da birra/depois da birra) com letras adaptadas à realidade infantil. Devo dizer que até os pais se estavam a divertir.

Ora, o meu Eduardo resolveu contribuir para o verdadeiro espectáculo com a sua mais recente descoberta: mete os dedos à boca, lá até ao fundinho, e blác... vomita a papinha toda em pleno concerto.

Mainada. Isto de saber ser roqueiro não é para todos!

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Ah estás tão magra, estás a fazer dieta?

Não querida, não estou. Sei é fazer filhos. E arranjei um que vomita antes de eu jantar ou durante o meu jantar... Quem é que fica com vontade de comer depois de ter que lhe dar banho, lavar cadeirinha, limpar chão de vomitado, roupa, etc e tal... e o cheiro que fica na sala? Não há estomago que aguente...

Mais uma noite sem comer.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Dúvida existêncial

Estou a pensar retirar um sinal que tenho na cara e tem vindo a crescer. Não sei se hei-de tirá-lo num dermatologista ou num cirurgião plástico.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Ah o feriado...que coisa boa...como começar bem o dia...

Proposta para um feriado bem passado:

Nada como começar o dia a lavar à mão roupa vomitada, cadeirinha da papa e chão. De seguida aspire a casa que está cheia de pelo de gato e sacuda bem os tapetes. Depois descubra uma inundação na lavandaria e passe a próxima meia hora a arrastar máquina de lavar roupa e a secar o chão.

Aproveite agora para passar a esfregona pela casa toda e estenda a roupa que lavou à mão. Para apreciar da nossa hospitalidade o marido pode disfrutar do sofá da sala e comando da televisão enquanto você realiza todas estas tarefas relaxantes. Agora, já toda transpirada e como ainda são dez e meia da manhã sugerimos-lhe um bom banho mas rápido porque o rapaz daqui a bocado tem que comer outra vez.

sábado, 7 de junho de 2014

Palavras para quê?

"Dono de gatos é mais inteligente do que o de cães
 
Optar por ter um gato ao invés de um cão indica a diferença de personalidades entre os dois tipos de donos. Um estudo a Universidade de Carrol, nos Estados Unidos, não só defende esta teoria como indica que aqueles que têm um gato em casa são mais inteligentes dos que os que preferem ter um cão, lê-se no site da edição brasileira da revista Exame."
 
 

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Já agora...

Aqui no norte parece inverno...Será que este mau tempo vem acompanhado de subsidio de Natal?

Da minha infância

Ia e vinha sozinha, já de noite no inverno, da escola primária. Tinha as chaves de casa guardadas numa caixa de fósforos. Entrava e ficava a ver televisão até a minha mãe chegar do trabalho perto das 20 hrs.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Só por causa das coisas

Chegamos na sexta-feira e no domingo reservamos uma semaninha de férias na Madeira em Agosto, exactamente no mesmo hotel - Pestana Grand Ocean 5 estrelas.

Pois é, isto não é para quem quer...é só para quem pode!



terça-feira, 3 de junho de 2014

Querer é poder? Nem sempre!

Durante as férias, atendendo à simpatia, disponibilidade e eficiência dos funcionários que nos atendiam naquele hotel Pestana de 5 estrelas, dei por mim a dizer ao meu marido:

- eu gostava de ser assim para os meus clientes. Mas ainda a frase ia a meio e tive logo que concluir rapidamente:

 - mas não consigo!

Mas a verdade é que os meus clientes também não são assim para mim. E com "assim" quero dizer que eles não entram no banco em modo zen, relaxados porque estão de férias e cuja única preocupação é onde esticar a toalha e que bebida vão beber, que era o modo em que eu me encontrava.

Não, infelizmente os meus clientes bancários entram cheios de pressa, mesmo que estejam desempregados ou reformados sem terem a-ponta-de-um-corno para fazer todo o dia, mas ainda assim estão cheios de pressa. Depois há 5% deles que não têm pressa nenhuma e temos que fazer de relações públicas porque os gajos querem conversas existenciais sobre a origem do universo, outras começam a contar as peripécias dos filhos delas e nunca mais se calam... e a fila a crescer e quem tem pressa sou eu mas não os posso mandar embora e já sei que vou ouvir piada e/ou boca do caramelo seguinte. Há também aqueles que lá vão reclamar, e alguns reclamam por tudo e por nada, mas o que eles não percebem é que 99% das vezes, euzinha que estou a levar com o frete, não tenho culpa nenhuma que haja crise, as taxas de remuneração dos depósitos estejam baixas, que já não se ofereçam cartões de crédito a torto e a direito, que tenha ficado sem condições para pagar o empréstimo do Mercedes, etc e tal. Mas tenho que os aturar. Agora não os aturo com aquele ar simpático e amável com que fui tratada pelos funcionários daquele ( e de outros) hotéis.

Sim, eu gostava de ser assim uma querida para os meus clientes. Mas não consigo. Eles não se dirigem a mim em estado zen nem eu ando à caça de gorjetas.

sábado, 31 de maio de 2014

Começas a achar que até te está a safar bem nesta coisa de ser mãe,quando:

Em pleno hotel uma velhinha inglesa vem ter connosco e diz:

- Tenho observado o vosso filho e ele é um bebé muito feliz. Eu tenho 3 netos mas ele é adorável. Ainda o vou raptar.

Verdade seja dita que Eduardo não sai à mãe em simpatia. Ele é um bebé muito sorridente, cativa a atenção de qualquer pessoa e assim foi nestas férias. Batia palminhas aos turistas que passavam, ria-se para eles e tagarelava uns "tá, tá, tá", isto, mais o facto de ninguém o ouvir chorar, brincar sozinho alguns minutos bastando nós estarmos por perto, chapinhar na piscina às gargalhadas... o meu filho é um amor, lá isso é verdade.

(Por mãe entenda-se mãe e pai)

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Preso por ter cão...

Foi impressão minha ou um gajo ganhou o que havia para ganhar e agora querem corre-lo de lá para fora?

Foi impressão minha ou o tipo avançou quando ninguém tinha tomates para pegar naquilo, visto a má reputação do antecessor, e agora, dado o demérito dos outros ele até fez boa figura, e vem um oportunista e quer aproveitar-se da situação?

E o gajo conseguiu um bom resultado, imagine-se se não conseguisse?

Isto de bestial a besta é um segundo.

Voltei

Voltei de lá, ainda agora estava na Madeira e agora já estou cá.

Realmente quando estamos de férias o tempo passa a correr. E perguntam vocês: levaste o miúdo doente de férias? Levei sim senhor e com ordem médica. Disse ela: levem o rapaz para onde quiserem desde que não vá para o infantário apanhar mais uma virose. E como somos bem mandados lá fomos: antecipamos uns dias a viagem à madeira porque as previsões meteorológicas apontavam chuva... Mas já se sabe que isso vale o que vale... Com receio de ir passar 5 noites à ilha com uma criança de 11 meses e estar a chover...lá fomos, menos noites é certo mas os dias foram espectaculares sempre com sol.

O hotel é cinco estrelas, literalmente. Daí haver pouco ou nada a apontar de mal. O Eduardo adorou a piscina interior e foi só chapinhar, rir e beber alguma água com cloro (é para limpar as tripinhas).

Tanto no avião como no hotel o Eduardo portou-se lindamente, apesar de ter sido acordado cedo... Cedo, tipo 4 da manhã! Pois, com voos às 7 hrs, teve que ser.

Foi bom e sobe a pouco.

Quero voltar para a iiillllhhhaaa!

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Mais uma volta mais uma viagem

Mais uma virose, seguida de otite, aftas na língua, tosse e catarro.
Mais 2 semanas em casa.
E ando eu a pagar uma fortuna de creche para isto. Ao menos não aturo clientes...

domingo, 18 de maio de 2014

Coisas sobre a maternidade que parece mal falar, mas cá vai porque eu sou assim.

"Ai e tal ser mãe é maravilhoso e o sorriso deles compensa tudo."

Tem dias meus amigos, tem dias!

Nós quando decidimos ter filhos já sabemos que vai dar trabalho e não sei mais o quê, mas na hora do vamos ver... a coisa aperta. É que, pode não parecer, mas nós mães somos humanas... quer-se dizer, começo a achar que não, que somos extraterrestres com super poderes.

Há dias em que eles estão irritantes, insuportáveis mesmo. Só fazem birras, não querem comer, não querem dormir, ele é limpar vomitado, lavar roupa, estender roupa, passar a ferro. É o tirar a temperatura, dar banho de água morna, insistir novamente para comer... mais vomitado, mais roupa para lavar menos roupa para vestir no armário... é o puto que não engorda e não come e não nos deixa dormir e nós só queremos desaparecer, estalar os dedos e estar numa praia deserta com uma garrafa de champagne  fresquinho ao lado a saborear o silêncio, a paz, os passarinhos a cantar, as ondas  a bater na areia... ah que maravilha...mas acorda pá! O puto está a ver se entra de cabeça na retrete e é preciso tirá-lo de lá e quando dás por ela já está a comer os cereais do gato. É que eles têm tantos brinquedos mas só querem brincar com o que não podem.

Hoje está um tempo espectacular não está? O que estão a fazer? Eu estou a gozar as maravilhas da maternidade. Febre, ranho e vomito. Bom domingo para todos!

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Dilema

Passaram 3 meses desde que comecei a tomar o antidepressivo. Agora, e com aconselhamento médico, vou começar o desmame. Ou melhor, já comecei e só vos digo uma coisa: puta que pariu.

São dores de cabeça, tonturas, enjoos... um nervoso miudinho e soneira constante.

Acho que vou ter que tomar uma decisão:

ou drogada, calma e feliz

ou sóbria, nervosa e a gritar a velhinhos e bater em criancinhas.

Opiniões precisam-se.

Se há coisa que nós (portugueses) somos é desenrascados!

Então lá vou eu ao hipermercado e entre outras coisas compro costeletas do cachaço e asas de frango.

Ao chegar à caixa para pagar a menina constata que o código de barras das asas de frango não é válido pelo que resolve o assunto da seguinte forma:

Uma vez que o preço daqueles produtos são semelhantes questiona-me se eu autorizo que ela passe duas vezes o lote das costeletas e nenhuma o lote das asas de frango... e ainda fico beneficiada nuns cêntimos...é ou não é desenrascada?

(Coitado de quem faz a gestão de stocks...)

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Crise? Qual crise?

Tenho a dizer que a crise acabou.
A julgar pelo número de portugueses que se deslocou a Turim, não posso tirar outra conclusão.

Contudo, cheira-me que quando chegarem vão recomeçar as lameixices, as corridas aos apoios sociais, as manifestações de rua contra o aumento generalizado dos preços, a diminuição da qualidade de vida, cartazes em punho que há muito desemprego, que anda tudo a comer em cantinas sociais, que as propinas são muito elevadas, que o IRS é uma roubalheira, etc e tal...mas só quando chegarem.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Por aí não sei...

Mas aqui faz um frio do caraças. Apesar de estar céu limpo a nortada é tão forte que está mesmo desagradável andar na rua. Reparo na vestimenta de quem passa e uns trazem casacos outros andam de manga curta... vá-se lá entender...é que está mesmo frio.

Poupem-nos

O casal está bem e é só amor, só love no facebook com selfies e não sei que mais paneleirices... Depois separam-se e são só bocas, lavar de roupa suja que ele é um malandro, que ela é uma porca e tal e mais não sei o quê...Passado umas semanas fazem as pazes e voltamos ao love, abraços, selfies, declarações de amor e tal.

Please, chega!

domingo, 11 de maio de 2014

Coisas de mulher

Nunca tenho roupa para vestir...Mas o guarda fatos está a abarrotar... de quê? Não sei... trapos acho eu...É vestidos para ocasiões especiais, sapatos para ocasiões especiais. Depois há vestidos para o dia-a-dia, calçado para o dia-a-dia... Depois é casacos de inverno: compridos, médios, curtos, de fazenda, impermeáveis, de pele... Há ainda as t-shirts de andar por casa, as de sair, as de ir à praia, as curtas, as compridas, as cavadas, as com manga, os cai-cai...Agora chegam as sandálias: abertas à frente, fechadas atrás, fechadas à frente, abertas atrás, de dedo, sem dedo, com tacão, sem tacão. Roupa de ir à praia: tenho vestidos justos, vestidos largos, saias, mini saias, calções de ganga, de algodão, lisos, estampados...

Ai isto é uma canseira, está tudo cheio...mas não tenho o que vestir.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Mais uma volta mais uma viagem

E o Eduardo regressou à creche na segunda-feira, quase mês e meio depois, e eis que hoje, sexta, já está doente novamente.

Para já está com febre...vamos ver o que por ai vem...

quinta-feira, 8 de maio de 2014

O que fazer quando não se percebe nada de determinado assunto ?

Normalmente confia-se nos profissionais da área, mas o que fazer quando se consulta dois e cada um diz uma coisa? Felizmente não se trata da área da saúde mas sim de uma simples cozinha, ou melhor, de uns armários superiores para  a minha copa.

Um diz que é o melhor e que não trabalha como os demais, que os seus materiais são mais resistentes e não sei quê, o outro diz que nunca ouviu falar em orlas das portas de 30 mm que oprimeiro tanto apregoa... e eu fico baralhada. O primeiro apresenta um orçamento mais elevado  e o segundo diz que o valor final pode ser revisto.

Se já estava com dúvidas, depois do segundo me dizer que ainda dá para fazer um descontinho, eu nem sei para que lado me hei-de virar até porque tenho boas referências de ambos.

Como calar um homem em 5 segundos

Enquanto dá a sopa ao filho diz:

- Esta sopa está muito liquida.

Ao que eu respondo:

- Amanhã fazes tu a ver se fica melhor.

Fim de conversa.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Aviso

Eu nem me lembro que tenho um mail associado ao blog. Assim, se me mandarem algo para lá, por favor, avisem-me por comentário.
Agradecida.

Babuzeiras do avô que raramente foi pai

Diz o meu pai que não devemos dar pão ao miudo (com 9 meses) porque pode-se engasgar…
 
Ahhh?
 

terça-feira, 6 de maio de 2014

Pergunta para psicólogo responder

Quando era o meu pai a deixar-me na faculdade dava-lhe sempre um beijo de despedida. Nunca fiz isso à minha mãe...

Da minha infância

Lembro-me de irmos os quatro- pai, mãe, irmã e eu- de noite roubar areia à praia. Nós miúdas ficávamos na carrinha e eles acartavam baldes de areia. Lembro-me de ter medo que a policia aparecesse e nos levasse presos.

A areia servia para o meu pai usar nas obras lá de casa.

domingo, 4 de maio de 2014

Hoje é o meu dia

E enquanto o Eduardo não consegue fazer ele próprio uma prendinha para mim, o pai vai-me presenteando com isto:

Resumindo

As férias foram óptimas, o Eduardo portou-se lindamente e daqui a um mês há mais.
Fomos até Peniche para fugir da chuva do norte mas apanhamos as nortadas
do nosso belo litoral. Ainda assim aproveitamos a piscina interior para dar a conhecer novas sensações ao Eduardo.

Fomos convidados a ir até Lamego às caves da murganheira e viemos abastecidos de umas garrafitas de czar para acrescentar às millesime que ainda estão no frigorífico.

Para mal dos meus pecados hoje, dia da mãe, vou almoçar à minha sogra... Não me apercebi da data em si quando marcamos mas para o ano desmarco-me. Quero passar o dia da mãe com o meu filho em paz e sossego e ate já sei o que vou fazer: marco um fim de semana fora e está feito.

sábado, 3 de maio de 2014

Onde foste?

Também fui aqui:






                                        Caves da Murganheira - Lamego

sexta-feira, 25 de abril de 2014

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Em modo pausa

Este cantinho encerra para férias.
Vou curtir o meu filho, aproveitar o sol, namorar, comer e beber.
Seguem-se momentos em família.
Até breve.
Uma santa pascoa para todos.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A dar voltas no túmulo

Já é sabido que eu não nutria amores pela minha falecida avó. Já a minha prima odiava-a. Aliás, o sentimento era reciproco. Apesar de viverem a mais de 400 kms de distância elas não podiam ouvir o nome uma da outra. E se vocês (alguns) acham que eu sou má, à beira daquelas duas eu sou um pintainho.
 
Eu "simplesmente" ignorava a senhora, não lhe dava confiança, era ela na casa dela e eu na minha. Nunca me meti na vida dela, nunca critiquei as suas opções, nunca lhe exigi dinheiro nem lhe destrui património. Nem toda a gente poderá dizer o mesmo. Mas avante…
 
A vida dá muitas voltas e vai-se a ver a minha rica prima perdeu o emprego, perdeu a casa e quando ficou sem subsidio mudou-se para a casa de quem? Da falecida avózinha!
 
Avó estás certamente a dar voltas no tumúlo mas olha…tem paciência.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Serviço público

Os bancos fecham quinta-feira ao meio dia e reabrem segunda em horário normal.

Babuzeiras do avô que raramente foi pai

Todos os brinquedos que o Eduardo tem são adequados à sua idade.
 
Na minha mãe tem uma piramide de argolas para bebés com mais de 6 meses. Ora o rapaz já tem 9 e o meu pai diz para não o deixarmos brincar com aquilo porque é muito pesado e ele ainda atira ao ar e acerta num dente…
 
Ahhh?

E mais não digo

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Descobertas

Este fim-de-semana levamos o Eduardo à praia pela primeira vez.

Ficou a olhar, muito admirado, para as mãos cheias de areia... e olhou e voltou a olhar e fiquei com a sensação que não achou piada nenhuma. Pediu colo e de lá não quis sair.

Ora a mãe adora praia, o pai adora sol... se o rapaz não gostar de praia vai ser devolvido à precedência e os planos de irmos às Maldivas daqui a 10 anos mantêm-se... Se não quiser ir...fica em casa com o gato!

Mulheres e homens, homens e mulheres

Há anos que eu digo: não podemos dar confiança aos homens. E neste caso refiro-me ao namorado, companheiro ou marido.
 
Repito: não lhes podemos dar confiança.
 
Nada de muitas melices, nhé, nhés, nhés, mimos, telefonemas constantes e afins. Os homens não querem gajas chatas atrás deles. Não querem mulheres sempre a exigir atenção. Não querem pessoas a fazer fita porque eles vão sair com os amigos. Ora, a ser assim, o melhor mesmo é não lhes passar confiança e sermos ( ou aparentarmos ser) umas gajas seguras de nós e não stressar porque eles se divertem com os amigos (de vez em quando, claro, que se for para ser frequentemente que vão lá acampar para a casa da mãezinha deles). É dar pulinhos de alegria se nos trocam e vão passar o fim de semana com os amigos. Sim, porque eles VÃO quer queiramos quer não, por isso o melhor mesmo é aproveitar para pormos a conversa em dia com as amigas e amigOS e ficar com um sorriso rasgado quando lhes passamos esta informação, nem que acabemos por não sair de casa e nos deitemos às 9 da noite...Desde que eles continuem a pensar que nos estamos a divertir na sua ausência está optimo.
 
Quanto mais corremos atrás de um homem pior… mais ele nos caga na cabeça e faz de nós gato sapato… Se calhar isto também se aplica às mulheres mas como só me relaciono com homens só posso falar do que vivi.

domingo, 13 de abril de 2014

Babuzeiras do avô que raramente foi pai

Diz o meu pai que não devemos deixar o miudo brincar com os legos (grandes) que a minha mãe lá tem… diz ele que o rapaz pode cair ao gatinhar e bater com a cara neles.
 
Ahhh?

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Ai minha senhora

Eis que vou sossegadinha no meu automóvel e me deparo com esta cena:

Uma velha senhora empurra um carrinho de bebé.

Lá dentro vai uma menina com aproximadamente 3 anos de idade.  Ela vai se joelhos, de rabo para a avó e com as mãos a agarrar uma parte do carrinho e, ao que parece, a dançar.
Como se não bastasse, a senhora resolve atravessar a estrada e descer o passeio com a miúda naquelas figuras. Ora uma roda toca o chão e o carrinho balança, e com ele a miúda balança também... eu a ver quando a menina caia no alcatrão e eu ía ter que me incomodar e dar duas chapadas na velha a levar ao hospital...acho que até parei de respirar por uns segundos... a outra roda assenta no chão e a coisa compõem-se. Felizmente não aconteceu nada, pelo menos naquele momento, porque não segui a velha senhora.

Tenho a certeza que a velha senhora não irá ler isto mas gostava mesmo de lhe perguntar se ela acha que os cintos de segurança nos carros de bebés existem somente para enfeitar.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Coisas de homem

Já há muito que digo que falar para um homem ou falar para uma porta é a mesma coisa.

No sábado tive que dar umas voltas e disse ao meu marido para dar a papa ao Eduardo às 15hrs e  o iogurte às 17hrs. Antes de sair repeti a orientação e acrescentei que a papa era feita com 150 ml de água.
...

Quando chego a casa ele tinha dado a sopa às 15hrs e a papa às 17hrs...

Depois queixam-se que as mulheres são chatas e que estão sempre a falar e a dizer o mesmo mas nem assim eles fazem as coisas correctas.

Claro que quando digo que falar para um homem ou falar para uma porta é a mesma coisa me refiro aos nossos homens. Sim, porque os de fora estão sempre disponíveis para ouvir, aconselhar, cantar a canção do bandido e há algumas que até vão na cantiga, mas isso é outra história...

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Nunca me aconteceu

Esta semana dois clientes distintos ficaram a saber que têm dinheiro a prazo.
Sim, ficaram a saber porque já não se lembravam. Num dos casos falamos de 6.000 EUR que o homem teima que não são dele (estao lá há anos) e, pelo sim pelo não, não vai mexer neles.
Dá Deus nozes a quem não tem dentes.

Acham que posso ficar com MAIS problemas psicológicos?

De noite é calmante para dormir, coisa que não faço porque o miúdo tem dentes a nascer, e de manhã é café para acordar.

Isto estar bonito, está...

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Fez-se um Homem

Desde que foi pai o meu marido revelou-se um ser ainda mais espectacular.
Toda a delicadeza, educação, sensibilidade, preocupação e amor com que sempre me tratou foi agora estendida ao filho. Cá em casa há muito amor. Há paz. Não há discussões. Não há cobranças. Tudo flui normalmente.
Nutre pelo Eduardo o amor de Pai. Não se limita a brincar com o filho, trata dele também. Faz biberões, muda fraldas, adormece-o, aspira-lhe o nariz, tira-lhe a temperatura, dá-lhe de comer. Vai ao médico connosco e na hora das vacinas é ele que segura no bebé, que eu não tenho coragem. Tem mais paciência que eu. Para quem não queria ter filhos acho que até se está a safar muito bem. Diz ele que "o nosso pequenito merece tudo". Fica todo vaidoso quando dizem que o Eduardo é a cara chapada do pai…e é! Está encantado.
Fisicamente a nossa relação está "estagnada", dormimos por turnos no quarto do rapaz mas espiritualmente estamos em sintonia. Ele reconhece que, nesta fase, o bebé precisa de nós. Eu já consigo descansar quando o bebé está doente ao encargo do pai, custou, mas tive que me habituar, caso contrário ficava maluca. A medicação também me deixa mais relaxada...
Em relação às tarefas domésticas também não há desentendimentos. O que há para fazer, faz-se. O meu marido consegue ver que o é preciso fazer e mete mãos à obra. Básicamente desde que comecei a trabalhar que não sei o que é arrumar uma cozinha ou lavar biberões. Vai ao supermercado, trata do caixote do gato, diariamente, desde que engravidei, põe a mesa, faz bacalhau à Brás e caldo verde na Yammi e umas omeletas maravilhosas…arroz nem pensar. 
Não estou surpresa, estou convicta de que diz uma bela escolha.
...Só não deixou de ressonar nem de ser Benfiquista…que pena pá, ficavas perfeito!

terça-feira, 1 de abril de 2014

:)


Auto retrato pós 9 meses do parto

As mamas estão porreiras, também ao que paguei pelo silicone, mal corria.
O rabo está rapado e a barriga sem os abdominais a que estava habituada (também não faço exercício nenhum) e ligeiramente saída.
 
Estou com 54 kgs, menos 2 do que quando engravidei e uma duvida existencial: como é que há mães que continuam gordas depois de ter filhos. A sério que não percebo… mas se calhar eu é que não sou normal. Senão vejamos:
 
Nos dias de semana não almoço para poder sair às 14.30 hrs e ir buscar o rapaz pelo que como "qualquer coisa" no intervalo das 11.30hrs. Depois de chegar a casa é uma correria entre mudar-lhe de roupa, dar-lhe o iogurte, ver na caderneta quantas vezes cagou na creche, dar-lhe água, fazer as camas, apanhar a roupa, lavar os biberões, dar comida ao gato que não me larga, brincar com o meu filho, fazer a sopa dele...que nem me lembro de comer. Chega à noite e às vezes estou tão cansada que nem me apetece comer quanto mais cozinhar, o que eu quero mesmo é dormir. Vale a paciência de santo do meu marido que lá vai ao take away ou faz umas omeletes. Ao fim-de-semana lá se come qualquer coisinha mas sempre a correr que o rapaz atira os brinquedos ao chão um cento de vezes, isto quando não resolve cagar enquanto eu como e lá tenho que lhe ir mudar a fralda e quando regresso… lá se foi o apetite até porque a comida já está fria e está na hora de lhe dar a papa, e a seguir tenho que fazer uma máquina de roupa que ele vomitou tudo de noite com a tosse, e depois ficar uma hora a brincar com ele para o meu marido poder relaxar na sua cagada diária e esperar que o rapaz faça o seu sono de beleza de 30 minutos para eu poder tomar um banho e preparar a roupa para o dia seguinte.
 
Felizmente tenho empregada para limpar o pó e passar a ferro. Espera…se calhar é isso. Limpar o pó e passar a ferro engorda. É que só pode ser isso. Está explicado.