sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Há um ano atrás

estava nas Maldivas, com o meu piolho na barriga. Lembro-me de ver um papo ( por várias vezes) na minha barriga de 16 semanas(quase nenhuma) e pensar que era o bebé a mexer. Agora sei que já eram contracções e eu, mãe de primeira viagem, desconhecia os sintomas.
Felizmente correu tudo bem e ele já tem 7 meses.

Da minha infância

Os patos lá de casa eram considerados animais de estimação porque eu adorava-os.  Cuidei deles até entrar para a faculdade, depois os horários eram difíceis e passou o meu pai a fazer isso.

Quando algum morria, por doença ou velhice claro, eu enterrava-os e colocava frequentemente flores e velas a arder sobre a "campa" deles.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Mais uma

Eduardo com mais uma bronquiolite. Stop.

A segunda num mês. Stop.

Mais uns dias sem trabalhar. Stop.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Destino ou pura coincidência

Desde miúda que algo me atraía a Veneza. Sem saber porquê, sempre nutri um sentimento familiar, profundo mas tranquilo em relação àquele lugar. Era como se eu sempre soubesse, cá no fundo, que pertencia lá. Nunca dei demasiada importância ao assunto e deixei a vida fluir sem pressões para lá ir, associando o fascínio a tal cidade a vidas passadas, ou às mascaras venezianas que considero de uma elegância pura.

A vida fluiu e levou-me lá no ano passado por altura do meu aniversário. Coincidência, acto do destino ou pura ilusão, a verdade é que há uma forte probabilidade do meu filho ter sido concebido lá!

Às vezes penso se não estará a linha mestra da nossa vida já traçada à nascença e por muitas voltas que dermos vamos sempre ao seu encontro.

Deixo foto do meu cantinho cá me casa dedicado a Veneza, feito antes de saber que estava grávida:






Mais vale tarde que nunca

Desafio lançado por Nadinha de importante

Qual a personalidade que mais admiras?(pode já ter falecido)- Admiro-me a mim. A frieza que tenho em certos momentos, a determinação e força com que aguento/ei certas coisas. Estou bem comigo própria.  

  Qual o político preferido, Português? Sei que é difícil, mas tentem... Talvez Sá Carneiro. Falta saber se fosse vivo se não iria desiludir como os restantes, é que depois de morto somos todos santos.

  Qual o livro que mais te marcou? - Muitas vidas, muitos mestres - Brian Weiss

  Qual a música que te marcou, na adolescência, pode ser uma banda? - Forever Young: Alphaville

  Qual a tua cidade Portuguesa preferida? - a minha!

  Qual o programa de televisão de que mais gostas, aquele que és mesmo fã? -  Não ligo muito a tv. Agora cá me casa só dá canal Panda e é bem divertido.

  Quais são a tua principal qualidade e defeito? qualidade: sou fiel em convicções e actos. defeito: rancorosa.

  Sushi ou Hamburguer? Hambúrguer.

  Londres ou Paris? - Nem uma nem outra. Roma e Veneza.

  Qual é o vosso destino de férias preferido? - Maldivas.

  Qual é o vosso jogo de tabuleiro preferido? - Só sei jogar damas, foi o meu pai que me ensinou.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Ai e tal a natureza sabe o que faz

Discordo!

Pelo menos, parcialmente. Porque se há espécies em que a cria já anda passado uns minutos, bebe o leitinho das maminhas sem ser necessário andar a espreme-las, sem elas criarem gretas, mamites e outras cenas com pus e a cria dorme sossegadinha de noite, no caso da espécie humana a coisa deixa um bocado a desejar.

A natureza diz que o ser humano deve dormir, aproximadamente, 8 horas por noite, mas depois inventa bebés que comem de 3 em 3 horas, ficam doentes e não conseguem respirar em condições, ganham dores de dentes, etc e tal e não deixam ninguém dormir. Das duas uma: ou uma mulher quando passa à categoria de mãe deixa de ser considerada um ser humano ou o significado de  "aproximadamente" da natureza comporta um desviozinho de 5 horas, no mínimo.

A natureza dotou as mulheres de tensão pré menstrual. Ora tal coisa associada ao pequeno desviozinho de 5 horas, já são dois erros monumentais. Aliás essa mistura de TMP com cansaço psicológico extremo, a que todas as mães são sujeitas, acrescido do facto das criancinhas não saberem voar, ioouu, pode levar a voos pela janela fora com consequências infelizes. E de quem é a culpa? - Da natureza!

A natureza diz que se sexo é normal e uma necessidade. Pois ai discordo totalmente. Sexo é a coisa mais dispensável do mundo. Aliás, era só o que me faltava andar à meses sem dormir mais de 3 horas, com tensão pré mestrual, sem tempo para comer e ainda ter que me preocupar em sexo.

A natureza coloca a mãe num estado de alerta tal que mesmo quando o seu filho está a dormir ela acorda com o chorar do filho do res/chão. Menos natureza, ok? Menos!

Na espécie humana até a merda nos traz consumições. Sim, porque não me consta que os animaizinhos andem a meter gel pelo cu das crias acima...estas cagam naturalmente. Então porque raio os nossos bebés não cagam, ganham cólicas e sofrem que se fartam? Alô natureza? Tás a dormir?

E já agora querida natureza, se és assim tão boa, faz mas é o favor de curar a bronquiolite do Eduardo depressa, ok?!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

E aos que pensam e dizem "Ah e tal tens sorte, faltas ao trabalho para dormir, és uma ingrata e tal e não sei mais o quê"

Tenho a dizer em minha defesa que já fui trabalhar:
 
Com problemas gastro-intestinais - vulgo caganeira;
 
Com dores de dentes;
 
Com gripe;
 
Algaliada durante uma semana;
 
De luto;
 
Com infecção urinária.
 
Se trabalho recebo, se não trabalho não recebo. Acho que também é assim as outras pessoas pelo que não devo favores à entidade patronal nem ela a mim. E tendo em conta o salário mensal, miséria (sim porque toda a gente pensa que os bancários ganham balurdios, eu não ganho), mais dia menos dia não me vai deixar pobre.

Gazeta

Primeiro foram os dentes de baixo, depois a bronquiolite e agora são os dentes de cima.
Cá em casa não se dorme há semanas. Apesar de o pai ficar com o Eduardo até às 3 da manhã a verdade é que pouco durmo porque estou em estado de alerta. Sinto o meu cérebro activo e sempre à busca do mais pequebo ruido. Acabo por ouvir o miudo do r/c a chorar, a vizinha a ralar a sopa, o vizinho a puxar o autoclismo, os carros a entrarem da garagem, o cão da vivenda ao lado a ladrar, o meu marido a ressonar, enfim, tudo, tudo, tudo. Resultado: ZOMBIE!
 
Tendo em conta que no meu trabalho um engano pode significar perder um mês, ou mais, de salário resolvi não arriscar mais e ficar por casa. Assim, levei o rapaz à creche às 9 horas, voltei para casa, pus a máquina da roupa a lavar, esterelizei os biberões, fiz as camas, meti roupa do bebé de molho, arrumei roupa que estava seca, tomei um banho quente, comi umas torradas com leitinho (sem lactose) e cacau e fui-me deitar. Até estava zomza. Adormeci perto do meio dia e acordei antes das duas da tarde com uma dor de cabela MONUMENTAL. Tomei um ben-u-ron 1000 mg, fui estender a roupa que estava na máquina, temperei o peixe para o jantar e enfiei-me na cama até às 15.30hrs, para ir buscar o Eduardo à creche.
 
Continuo zombie mas já consigo abrir mais um bocadinho os olhos.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Coisas que acontecem em qualquer local de trabalho perto de si

Começas a trabalhar, frequentemente, 10 minutos antes da tua hora: ninguém repara, ninguém agradece.
Um dia atrasa-te e começas a trabalhar 3 minutos depois da tua hora: todos te olham de lado como se fosses um criminoso.
 
 
Trabalhas, frequentemente depois do teu horário, sem receber horas extras nem agradecimentos. Um dia, isolado, precisas de sair 1 hora mais cedo e tens que explicar detalhadamente o motivo da antecipação de saída, implorar, dizem que vão pensar e que isto não pode ser sempre assim e que não é para abusar.
 
És uma pessoa organizada, tens o serviço em dia e a secretária organizada. O colega do lado anda a pastar, tem o serviço atrasado e a secretária cheia de papeis por todo o lado. Passas tu por não fazer nenhum enquanto o colega é dos que trabalha que se farta, coitadinho.
 
 
Raramente fazes chamadas particulares durante o horário de trabalho. O colega do lado está sempre a "namorar" ao telefone. No dia em que precisas mesmo atender aquela chamada, e o fazes, és logo surpreendida pelo olhar reprovador do chefe.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Colecção de cromos

 
Cliente. Bom dia queria 500 eur sff
 
…(Eu preparo as notas)…
 
Cliente: Não tem notas de 200 eur?
Eu: Não. Só tenho notas de 50 eur e 10 eur.
 
Cliente: Tem notas de 100 eur?
Eu. Não. Só tenho notas de 50 eur e 10 eur.
 
Cliente: Não me pode dar uma nota de 500 eur?
Eu: Eu vou repetir: só tenho notas de 50 eur e de 10 eur.
 
Phoda-se que são chatos!!!!!!!!

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Mais dentes a caminho?

O eduardo finalmente recuperou da bronqueolite mas nem por isso dorme tranquilo. Desconfio que os dentinhos de cima vão dar um ar da sua graça só espero que seja em breve porque já não aguento de cansaço.

Não estou a perceber

Relativamente à tragédia do Meco, qual o motivo para andarem agora à procura de uma "testemunha chave"? Não há um sobrevivente? Ele que fale!
E não foi um acidente? Querem culpar quem? O mar? O sobrevivente? A estupidez humana? O azar?
 
Está-me a escapar algo?!

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Eu sei que a minha mente é pequenina

É que esta história da adopção/co-adopção por casais homosexuais mete-me confusão. Isto porque me meto no lugar de uma criança que se vê diferente das outras porque estas têm um pai e uma mãe e aquela criança terá um pai a viver com a madrasta, a mãe a viver com outra mulher que também é sua mãe. Outro cenário é a criança ser orfã de mãe e ser co- adoptada pelo marido do pai, que se divorciam passado uns anos (sim porque os homossexuais também se divorciam, como toda a gente, não é por ser homossexual que o amor é eterno) e passa a ter um pai biologico, um pai adoptivo e um padastro, caso o pai biologico refaça a sua vida e outro padastro caso o pai adoptivo também refaça a vida dele.
E com tanto bullying por aí fora, a que não estará sujeita esta criança?

Prontus, a minha cabeça já deu um nó... imagina a da criança.

Como cortar as unhas dos pés a um bebé de meses

Atendendo que a fera em questão não pára um segundo sossegado com os pés e mãos só vejo uma maneira possível:

1º Anestesiar bem a criança - pode ser com uma marretada na cabeça ou através da ingestão de álcool.

2º Pegar na tesoura e proceder ao corte.

3º Aproveitar que ele está anestesiado e tomar um banho de espuma na banheira seguido de um bom amasso com o companheiro/a, daqueles de acordar a vizinhança.

4º Quando a criança acordar agir naturalmente.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Eu podia ser como as pessoas normais...

que quando estão doentes e cansadas, com dores de cabeça e enjoos (da medicação dose de cavalo), comem uma sopinha e bebem um chazinho e vão para a caminha.

Pois eu não. Caminha às 19hrs ou 20 hrs com um filho de 6 meses é impossível porque o miúdo quer atenção, brincadeira, barulho, blá, blá, blá.
Como estou enjoada dos remédios e já estou a prever passar a noite a vomitar, resolvi adiantar o processo e jantar uma bela de uma pizza. É que se é para sofrer ao menos tenho algum proveito antes.

Espera-me uma noite difícil...

Eu e a minha bexiga

Esta madrugada urinei com sangue.
 
Ainda assumi funções no turno das 3 hrs (o pai fica com o Eduardo até às 3 hrs e eu fico depois) e decidi ir ao médico depois das 9 hrs, mas comecei a pensar, a pensar, e como já não ia dormir mais e não (eu despertando de noite não volto a adormecer) resolvi ir ao Dr., às 4 da manhã! Se fosse ao hospital ficaria horas à espera de ser atendida porque não iam incomodar o Sr. Dr. (foi o que aconteceu a uma amiga minha). Por isso resolvi ir ao atendimento permanente no particular. Em 5 minutos fui chamada, fizeram análises à urina, medicaram-me e fui emborinha à minha vida, que é como quem diz, à farmácia de serviço. Para meu espanto as luzes da mesma estavam todas desligadas, o que me levou a pensar que o funcionário da clinica se tinha enganado a ver a farmácia de serviço. Lá liguei a incomodar o rapaz que me diz que é mesmo assim, para tocar à campainha. Lá o fiz, e o sr. Farmaceutico abriu uma janelinha imbutida na porta e atendeu-me ali, na rua mesmo. Vocês sabem o frio que faz às 5 da manhã em Janeiro? Pois…ainda saio de casa com infecção urinária e regresso com uma gripe de bónus.

Da minha infância

Lembro-me de fazer muita batota no monopólio.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Teoricamente o frasco tem abertura anti-criança

Mas eu não o consegui abrir e tive que ir bater à porta da vizinha de baixo, que também tem um bebé, para me abrir o frasco do ben-u-ron xarope porque o Eduardo estava com febre.

Que mãe maçarica que o rapaz arranjou...

Tal e qual

Foto de Minions Sinceros.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

CR7

PARABÉNS RONALDO!
TÁS CÁ DENTRO!

Da minha infância

Tinha ( e ainda tenho) um ursinho de peluche chamado Tonico.
A minha irmã no beliche de cima enforcava o ursinho deixando-o pendurado sobre a minha cama.

domingo, 12 de janeiro de 2014

É mais ou menos assim

Quando namoras todos perguntam quando casas. Depois casas todos perguntam quando vais ter filhos, depois tens o primeiro todos perguntam quando vem o segundo...

Estás a tentar engravidar, só te aparecem grávidas à frente, e tu com receio de não conseguir...

Estás grávida só te aparecem recém mamãs com bebés saudáveis e lindos, e tu cheia de medo do parto e com receio que algo de mal aconteça, que o bebé tenha algum problema...

O bebé já está cá fora, saudável e lindo (graças a Deus), e tu andas feita zombie de cansaço e só te aparecem mamãs a gabar os seus rebentos que desde os 2 meses que dormiam a noite toda, e tu com vontade de esganar alguém...

Depois... depois não sei... digam-me vocês...

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Colecção de cromos

Um cliente queixa-se que levantaram, com o seu cartão multibanco, 200 eur + 200 eur, e que não foi ele mas desconfia que foi ou a esposa ou a filha.
 
Ora o banco, obviamente, não se responsabiliza por levantamentos por multibanco com uso do código pessoal. Como o cartão não foi clonado a resposta ao cliente só pode ser uma: faça queixa às autoridades.
 
Mas o cliente só quer saber quem foi. Se a esposa, se a filha, para saber a quem dar uma coça quando chegar a casa.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

E prontuuss

Ao quinto dia após regresso ao trabalho os colegas de Lisboa lá me actualizaram as passwords.

Sim foram só 4 dias sem fazer nenhum ao balcão! Desde que me paguem ao fim do mês...quero lá saber!

Perfect timing

Andei o dia todo com vontade de dar um valente peido mas este mostrou-se tímido e foram necessárias algumas palavras de incentivo para o convencer. Já no final do dia lá se resolveu a conhecer o mundo exterior. Saiu potente,  ruidoso e fedorento...dois segundos antes do meu marido entrar no quarto.

Não há romantismo que aguente!

As putas das noites

Então não é que desde que comecei a trabalhar o meu querido filho resolveu passar as noites a virar-se de 2 em 2 minutos. Uma coisa é ele estar doentinho e apesar de custar até se tolera, outra coisa é não haver explicação. Chega a um ponto em que não aguento de cansaço. Acho que vou começar a fecha-lo sozinho no quarto, é que quem inventou a maternidade esqueceu-se de actualizar o chip para "mãe passa a ser robot, não precisa dormir nem comer".
São 5 da manhã, só dormi 3 horas, o rapaz está acordado, já tomou o leite, e eu vou mas é pôr a roupa a secar e fazer o meu almoço.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Estive quase para colocar no facebook dela mas...contive-me

Foto de Ganda Cena.

Afinal não é assim tão má...

Parece que nos EUA faz um frio de rachar.

Um prisioneiro conseguiu fugir da cadeia há dois dias atrás. Com as temperaturas a rondar os 20 graus negativos lá para aquelas bandas o senhor não aguentou o frio e entregou-se às autoridades no dia seguinte.

Ai não...

A cadeia sempre é mais quentinha!

...

E come de graça

...

E vê televisão.

...

E tem roupa lavada

...

E recebe visitas

...

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Mudam-se os tempos...

 
 
Há 8 anos que mal entra o Janeiro começo logo a pesquisar no calêndário qual o periodo de férias que vou tirar.
Normalmente as datas tinham em conta as viagens ao estrangeiro que pretendiamos fazer. Basicamente iamos para fora duas a três vezes por ano. Iniciava o ano a fazer férias de sol lá para as caraibas ou Maldivas. Fugia do mês de Agosto a sete pés, porque aqui onde moro é só parolos, transito, praias cheias, restaurantes a abarrotar, não se está bem em lado nenhum eeu fazia trabalho-casa-trabalho.
 
Agora com o Eduardo o caso muda de figura. O que me interessa é estar com ele em tempo ameno. Este ano nada de viagens longas, ficamos por Mondim de Basto, duas vezes no ano, por 3 noitinhas de cada vez. Para o ano está planeado irmos até Porto Santo em voo directo. Por motivos de encerramento da creche sou obrigada a tirar 15 dias de férias em Agosto e faltar ao trabalho os outros 15 dias… Já decidi alugar uma barraca o mês todo e ir para a praia perto das 9.30 hrs e enfiar o rapaz à sombra nas horas de maior calor. Quando começo a planear mentalmente todas as "tralhas" que tenho que levar por causa do Eduardo…é basicamente a casa às costas. Mas estou mortinha para lhe mostrar coisas novas, vê-lo a gatinhar e andar na relva, molhar os pés na piscina, levá-lo para um parque infantil, jogar à bola com ele… tanta coisa…
 
E o tempo que nunca mais aquece…

Estou mais descansada

Ora muito bom dia!
É isto, por hoje!

Constrangimentos


A minha amiga perdeu o bebé. Foi há uns dias.

Agora quando me pergunta se o Eduardo está bem eu fico retraída. Como se fala alegremente e com orgulho do nosso filho a alguém que perdeu o seu?

domingo, 5 de janeiro de 2014

Recado ao pizzaiolo aqui do tasco ao lado

Quando eu pedi uma pizza portuguesa SEM cebola o que eu queria mesmo dizer era:
no fucking onions on my pizza
Agradecida!
Ah e se voltar a acontecer perdem um cliente.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Produtividade no nosso país


De regresso ao trabalho, após 10 meses de ausência, tive que contactar os serviços centrais para reactivarem o meu utilizador. Esperei, esperei, os clientes a olhar para mim e eu sem poder trabalhar, continuei à espera, comi, tomei um descafeinado, defini o período de férias que me dá mais jeito, esperei, li emails, fui à internet, não fui ao blogger porque está bloqueado, esperei… Passado 5 horas nada… Fui embora.

No dia seguinte, hoje, continuei sem acesso aos programas. Liguei para Lisboa e a resposta foi que estavam a tratar do assunto e que depois ligavam quando estivesse resolvido. E prontuuss, é isto…mais um dia sem trabalhar. Os clientes a olhar para mim e eu a fingir que trabalho, na internet, nos mails, no messenger com colegas de trabalho a meter conversa em dia…

 E depois dizem que os portugueses são pouco produtivo… I wonder why.

Quem tem mãe tem tudo


O Eduardo continua doentinho. Está melhor mas estas coisas demoram a passar. Ele é nariz entupido, expectoração, chiadeira, soro, nebulizações… noites sem dormir. E eu a regressar ao trabalho praticamente zombie… Já não bastava a dor da separação por tantas horas…

A minha mãe ofereceu-se para ir lá para casa estes dois dias, quinta e sexta, para que o miúdo não tenha que sair e apanhar frio. Psicologicamente, para mim, é completamente diferente deixá-lo na creche com estranhas ou deixá-lo na casinha dele, no quentinho com a avó. Mas segunda-feira não me safo…tenho mesmo que o deixar na creche.


Em relação ao trabalho optei por entrar uma hora mais tarde – 9.30 hrs- trabalhar seguido sem interrupção para almoço e sair duas horas mais cedo – 14.30 hrs, pelo menos enquanto os colegas não gozarem férias…

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Desejos para 2014

Muita saúde para o meu filho, para quem eu amo e para quem me ama.

Harmonia familiar.

Algum dinheiro.


A quem segue este blog, os meus desabafos e a minha vida às vezes simples outras vezes complicada, desejo um excelente 2014 e que os vossos desejos se realizem.
Como começo a trabalhar quinta-feira em breve regressará a rubrica "colecção de cromos" em homenagem às dezenas de clientes que tenho que aturar atender diariamente.