sexta-feira, 25 de abril de 2014

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Em modo pausa

Este cantinho encerra para férias.
Vou curtir o meu filho, aproveitar o sol, namorar, comer e beber.
Seguem-se momentos em família.
Até breve.
Uma santa pascoa para todos.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A dar voltas no túmulo

Já é sabido que eu não nutria amores pela minha falecida avó. Já a minha prima odiava-a. Aliás, o sentimento era reciproco. Apesar de viverem a mais de 400 kms de distância elas não podiam ouvir o nome uma da outra. E se vocês (alguns) acham que eu sou má, à beira daquelas duas eu sou um pintainho.
 
Eu "simplesmente" ignorava a senhora, não lhe dava confiança, era ela na casa dela e eu na minha. Nunca me meti na vida dela, nunca critiquei as suas opções, nunca lhe exigi dinheiro nem lhe destrui património. Nem toda a gente poderá dizer o mesmo. Mas avante…
 
A vida dá muitas voltas e vai-se a ver a minha rica prima perdeu o emprego, perdeu a casa e quando ficou sem subsidio mudou-se para a casa de quem? Da falecida avózinha!
 
Avó estás certamente a dar voltas no tumúlo mas olha…tem paciência.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Serviço público

Os bancos fecham quinta-feira ao meio dia e reabrem segunda em horário normal.

Babuzeiras do avô que raramente foi pai

Todos os brinquedos que o Eduardo tem são adequados à sua idade.
 
Na minha mãe tem uma piramide de argolas para bebés com mais de 6 meses. Ora o rapaz já tem 9 e o meu pai diz para não o deixarmos brincar com aquilo porque é muito pesado e ele ainda atira ao ar e acerta num dente…
 
Ahhh?

E mais não digo

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Descobertas

Este fim-de-semana levamos o Eduardo à praia pela primeira vez.

Ficou a olhar, muito admirado, para as mãos cheias de areia... e olhou e voltou a olhar e fiquei com a sensação que não achou piada nenhuma. Pediu colo e de lá não quis sair.

Ora a mãe adora praia, o pai adora sol... se o rapaz não gostar de praia vai ser devolvido à precedência e os planos de irmos às Maldivas daqui a 10 anos mantêm-se... Se não quiser ir...fica em casa com o gato!

Mulheres e homens, homens e mulheres

Há anos que eu digo: não podemos dar confiança aos homens. E neste caso refiro-me ao namorado, companheiro ou marido.
 
Repito: não lhes podemos dar confiança.
 
Nada de muitas melices, nhé, nhés, nhés, mimos, telefonemas constantes e afins. Os homens não querem gajas chatas atrás deles. Não querem mulheres sempre a exigir atenção. Não querem pessoas a fazer fita porque eles vão sair com os amigos. Ora, a ser assim, o melhor mesmo é não lhes passar confiança e sermos ( ou aparentarmos ser) umas gajas seguras de nós e não stressar porque eles se divertem com os amigos (de vez em quando, claro, que se for para ser frequentemente que vão lá acampar para a casa da mãezinha deles). É dar pulinhos de alegria se nos trocam e vão passar o fim de semana com os amigos. Sim, porque eles VÃO quer queiramos quer não, por isso o melhor mesmo é aproveitar para pormos a conversa em dia com as amigas e amigOS e ficar com um sorriso rasgado quando lhes passamos esta informação, nem que acabemos por não sair de casa e nos deitemos às 9 da noite...Desde que eles continuem a pensar que nos estamos a divertir na sua ausência está optimo.
 
Quanto mais corremos atrás de um homem pior… mais ele nos caga na cabeça e faz de nós gato sapato… Se calhar isto também se aplica às mulheres mas como só me relaciono com homens só posso falar do que vivi.

domingo, 13 de abril de 2014

Babuzeiras do avô que raramente foi pai

Diz o meu pai que não devemos deixar o miudo brincar com os legos (grandes) que a minha mãe lá tem… diz ele que o rapaz pode cair ao gatinhar e bater com a cara neles.
 
Ahhh?

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Ai minha senhora

Eis que vou sossegadinha no meu automóvel e me deparo com esta cena:

Uma velha senhora empurra um carrinho de bebé.

Lá dentro vai uma menina com aproximadamente 3 anos de idade.  Ela vai se joelhos, de rabo para a avó e com as mãos a agarrar uma parte do carrinho e, ao que parece, a dançar.
Como se não bastasse, a senhora resolve atravessar a estrada e descer o passeio com a miúda naquelas figuras. Ora uma roda toca o chão e o carrinho balança, e com ele a miúda balança também... eu a ver quando a menina caia no alcatrão e eu ía ter que me incomodar e dar duas chapadas na velha a levar ao hospital...acho que até parei de respirar por uns segundos... a outra roda assenta no chão e a coisa compõem-se. Felizmente não aconteceu nada, pelo menos naquele momento, porque não segui a velha senhora.

Tenho a certeza que a velha senhora não irá ler isto mas gostava mesmo de lhe perguntar se ela acha que os cintos de segurança nos carros de bebés existem somente para enfeitar.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Coisas de homem

Já há muito que digo que falar para um homem ou falar para uma porta é a mesma coisa.

No sábado tive que dar umas voltas e disse ao meu marido para dar a papa ao Eduardo às 15hrs e  o iogurte às 17hrs. Antes de sair repeti a orientação e acrescentei que a papa era feita com 150 ml de água.
...

Quando chego a casa ele tinha dado a sopa às 15hrs e a papa às 17hrs...

Depois queixam-se que as mulheres são chatas e que estão sempre a falar e a dizer o mesmo mas nem assim eles fazem as coisas correctas.

Claro que quando digo que falar para um homem ou falar para uma porta é a mesma coisa me refiro aos nossos homens. Sim, porque os de fora estão sempre disponíveis para ouvir, aconselhar, cantar a canção do bandido e há algumas que até vão na cantiga, mas isso é outra história...

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Nunca me aconteceu

Esta semana dois clientes distintos ficaram a saber que têm dinheiro a prazo.
Sim, ficaram a saber porque já não se lembravam. Num dos casos falamos de 6.000 EUR que o homem teima que não são dele (estao lá há anos) e, pelo sim pelo não, não vai mexer neles.
Dá Deus nozes a quem não tem dentes.

Acham que posso ficar com MAIS problemas psicológicos?

De noite é calmante para dormir, coisa que não faço porque o miúdo tem dentes a nascer, e de manhã é café para acordar.

Isto estar bonito, está...

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Fez-se um Homem

Desde que foi pai o meu marido revelou-se um ser ainda mais espectacular.
Toda a delicadeza, educação, sensibilidade, preocupação e amor com que sempre me tratou foi agora estendida ao filho. Cá em casa há muito amor. Há paz. Não há discussões. Não há cobranças. Tudo flui normalmente.
Nutre pelo Eduardo o amor de Pai. Não se limita a brincar com o filho, trata dele também. Faz biberões, muda fraldas, adormece-o, aspira-lhe o nariz, tira-lhe a temperatura, dá-lhe de comer. Vai ao médico connosco e na hora das vacinas é ele que segura no bebé, que eu não tenho coragem. Tem mais paciência que eu. Para quem não queria ter filhos acho que até se está a safar muito bem. Diz ele que "o nosso pequenito merece tudo". Fica todo vaidoso quando dizem que o Eduardo é a cara chapada do pai…e é! Está encantado.
Fisicamente a nossa relação está "estagnada", dormimos por turnos no quarto do rapaz mas espiritualmente estamos em sintonia. Ele reconhece que, nesta fase, o bebé precisa de nós. Eu já consigo descansar quando o bebé está doente ao encargo do pai, custou, mas tive que me habituar, caso contrário ficava maluca. A medicação também me deixa mais relaxada...
Em relação às tarefas domésticas também não há desentendimentos. O que há para fazer, faz-se. O meu marido consegue ver que o é preciso fazer e mete mãos à obra. Básicamente desde que comecei a trabalhar que não sei o que é arrumar uma cozinha ou lavar biberões. Vai ao supermercado, trata do caixote do gato, diariamente, desde que engravidei, põe a mesa, faz bacalhau à Brás e caldo verde na Yammi e umas omeletas maravilhosas…arroz nem pensar. 
Não estou surpresa, estou convicta de que diz uma bela escolha.
...Só não deixou de ressonar nem de ser Benfiquista…que pena pá, ficavas perfeito!

terça-feira, 1 de abril de 2014

:)


Auto retrato pós 9 meses do parto

As mamas estão porreiras, também ao que paguei pelo silicone, mal corria.
O rabo está rapado e a barriga sem os abdominais a que estava habituada (também não faço exercício nenhum) e ligeiramente saída.
 
Estou com 54 kgs, menos 2 do que quando engravidei e uma duvida existencial: como é que há mães que continuam gordas depois de ter filhos. A sério que não percebo… mas se calhar eu é que não sou normal. Senão vejamos:
 
Nos dias de semana não almoço para poder sair às 14.30 hrs e ir buscar o rapaz pelo que como "qualquer coisa" no intervalo das 11.30hrs. Depois de chegar a casa é uma correria entre mudar-lhe de roupa, dar-lhe o iogurte, ver na caderneta quantas vezes cagou na creche, dar-lhe água, fazer as camas, apanhar a roupa, lavar os biberões, dar comida ao gato que não me larga, brincar com o meu filho, fazer a sopa dele...que nem me lembro de comer. Chega à noite e às vezes estou tão cansada que nem me apetece comer quanto mais cozinhar, o que eu quero mesmo é dormir. Vale a paciência de santo do meu marido que lá vai ao take away ou faz umas omeletes. Ao fim-de-semana lá se come qualquer coisinha mas sempre a correr que o rapaz atira os brinquedos ao chão um cento de vezes, isto quando não resolve cagar enquanto eu como e lá tenho que lhe ir mudar a fralda e quando regresso… lá se foi o apetite até porque a comida já está fria e está na hora de lhe dar a papa, e a seguir tenho que fazer uma máquina de roupa que ele vomitou tudo de noite com a tosse, e depois ficar uma hora a brincar com ele para o meu marido poder relaxar na sua cagada diária e esperar que o rapaz faça o seu sono de beleza de 30 minutos para eu poder tomar um banho e preparar a roupa para o dia seguinte.
 
Felizmente tenho empregada para limpar o pó e passar a ferro. Espera…se calhar é isso. Limpar o pó e passar a ferro engorda. É que só pode ser isso. Está explicado.