quinta-feira, 21 de agosto de 2014

A nostalgia de ver um filho crescer

Estou triste.

O meu filho já não é um bebé. Caiu-me a ficha ainda dentro do cabeleireiro onde o levei a cortar a  enorme gadelha o cabelo. Lá se foram os caracóis despenteados, os fios desalinhados. Surgiu uma nova feição e o meu filho está um rapazinho.  E aliando ao facto de já andar e de lhe estarem a nascer as mós... sinto que qualquer dia ele deixa de ser meu e passa a ser um cidadão do mundo. Um ser com vontades, personalidade e ideias próprias.

O meu filho está um homenzinho! Mas eu quero-o só para mim, pode ser?

3 comentários:

Feijoca disse...

Estás tramada, Morango Maria.
Isto de ser mãe (pai) é, por vezes, muito doloroso...

Life is Sweet disse...

Mas a boa noticia é que ele vais ser teu para sempre.

gotadeluar disse...

Como te compreendo. Crescem tão depressa que nem damos por isso.