sábado, 27 de setembro de 2014

Chega!

O Eduardo passou o mês de agosto comigo, a primeira semana ainda a recuperar da bronquiolite de Julho, e regressou ao infantário dia 01 de Setembro. Finda a primeira semana já estava doente novamente...passou as duas semanas seguintes em casa comigo: a primeira doente e a segunda porque eu estava de férias. Regressou a semana passada e ontem - 5 dias depois- já ficou doente novamente.

Passei-me! É que não há condições!!! É que para além as consequências em termos de saúde do miúdo acresce o facto de eu ter que faltar ao trabalho e continuar a pagar infantário. Vai daí que me deu um flash e decidi: vou tirá-lo do infantário!!! Desde que lá entrou, em Dezembro ultimo, que adoeceu todos os meses, sendo que nestes 9 meses não saiu da casa dos 8 kgs, no que respeita a peso.
É que o batalhão de medicação diária que toma parece que pouco ajuda. Passei-me e comuniquei ao pai da criança que isto ia dar umagrandabolta.

Eliminando a hipótese de mudar de infantário porque, ao que consta, é tudo igual em termos de doenças, sobram as seguintes hipóteses:

a) Deixar o miúdo numa ama;

b) Passar o inverno comigo em casa, ficando eu sem vencimento durante esse período;

c) Deixá-lo com a minha mãe nos dias em que ela não trabalha e faltando eu quando ela tem que entrar ao serviço.

Pois que esta última hipótese é a que está a ganhar votos. A minha mãe trabalha, em média, 3 tardes por semana o que significa que nesses dias eu só posso trabalhar de manhã. E em termos laborais como é que fico? Sei lá!!! Vou ter que fazer uma exposição à administração com apoio de um relatório da pediatra e logo se vê! Se não aceitarem... entra em campo a hipótese b).

E depois do inverno? Logo se vê!!! Uma coisa de cada vez...

Já o levei a uma consulta de homeopatia e vai começar a tomar uns suplementos alimentares que reforcem o seu sistema imunitário. Diz que demora umas semanas a fazer efeito. Vamos lá ver...

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

E é assim

Sinto a tua falta.

Há hora de almoço já não estás lá. A mãe não sabe como estás, nem vale a pena perguntar. Basta olhar para ela e ver as lagrimas e escorrer pela cara abaixo. Eras tu o seu bebé, aquela que estava com ela todos os dias, lhe enchia o telemóvel de mensagens. Diz ela que agora o telemóvel não faz qualquer ruido. Eu fui ao teu quarto e senti e teu cheiro. Só agora reparei que está cheio de fotos minhas. És a minha menina e sinto que aqui não te posso proteger, nem abraçar, nem gozar nem resmungar contigo.

Sinto a tua falta.
Mas tiveste que partir para encontrar algo melhor para ti. Eu cheguei a ponderar o mesmo, em tempos, mas a ideia de ficar sem vocês afastou logo qualquer possibilidade de ir. Não imaginei a minha vida ti nem a mãe.

Custa-me saber que estás longe do meu alcance. Que não te posso abraçar.
Bem sabemos que temos a internet ao nosso dispor mas já foste há dia e ninguém teve coragem de ligar... ninguém quer ver ou  ouvir, sequer, a outra a chorar. A ti deve-te doer mais. Nós continuamos na nossa área de conforto, embora sem ti não seja a mesma coisa, mas para ti é tudo novo.

Sei que não lerás este post pois nem sabes que eu tenho um blog, mas preciso desabafar e dizer que choro por ti todos os dias.

Quando é que esta dor passará?

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Estou triste

Um pedaço de mim, sangue do meu sangue, parte amanhã sem regresso anunciado.

Boa sorte e que Deus te acompanhe.

sábado, 20 de setembro de 2014

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

sábado, 13 de setembro de 2014

Vocês queriam era um filho como o meu!!!

Já se sabe que a ligação entre mãe e filho é forte mas a nossa vai ao ponto de ele, sabendo que eu detesto o que faço profissionalmente, me incentivar a mudar de carreira. Sim, e olhem que ele consegue ser muito persuasivo!


O meu filho de 14 meses esforça-se ao máximo para que seja modelo. Sim, isso mesmo: MODELO. É que à hora de jantar ele resolve armar a puta fazer das suas. Uns dias vomita outros lá resolve se atirar contra às portas, mais precisamente às esquinas, e pisar-se todo. Claro que paro de comer e lá vou a correr com ele para a casa de banho, seja para lhe dar banho, seja para lhe colocar água fria na cara. E com tanta actividade consegue tirar-me a vontade de comer. Graças ao seu esforço já cheguei aos 52 kgs. Também já lhe expliquei que com esta idade já é tarde para ingressar nessa área, ao que ele refuta mostrando-me no tablet gentinha mais feia que eu, mas com tanto entusiamo que até partiu o ecrã.

Esta semana está particularmente empenhado e decidiu fazer greve de fome. O meu filho gosta de mim, ou quê?

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Mais uma volta mais uma viagem

Não me lembro se por aqui contei que em pleno mês de Julho o meu filho apanhou uma bronquiolite...

Agora está novamente doente. Regressou ao infantário na segunda-feira passada, após um mês inteirinho com a mãe, e na sexta já estava com febre. Nariz entupido, ouvido inflamado, catarro e febre... E pronto...ainda vamos no Verão...Nem quero pensar como vai ser o Inverno. Vou passar mais tempo em casa com ele do que a trabalhar... é da maneira que pago poucos impostos!!!

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Estou exaurida

De regresso ao trabalho e ao stress de ter que aturar caloteiros, charlatões e vigaristas que acham que temos que lhes lamber o cú,  ameaçam com televisão, rádio e mais não sei o quê... Oh amigo, desampare-me a loja!!! Se ameaçasse com o facebook ainda se ponderava fazer um jeitinho, agora televisão é pouco...