quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Update

Andei desaparecida é verdade. Aqui vai algo para vos fazer rir...

Ligaram-me do meu SAMS/SIB poucas horas antes do meu internamento para cirurgia à medula para retirar tumor benigno. E que disseram?: que não emitiam termo de responsabilidade, que teria que pagar a cirurgia e mainada.

Dizem eles que é uma cirurgia muito cara que que devia ser seguida pelo sector público (para o qual também desconto) e por ser referente a doença congénita não comparticipavam.

Ora estão a ver como fica o sistema nervoso de uma pessoa que está a horas de entrar num bloco operatório para ser sujeita a uma cirurgia de alto risco. É claro que os insultei de ladrões! Ladrões que só querem sócios que não apresentem despesas. Lembrei-lhes que o SAMS não é um seguro de saúde onde existem exclusões mas sim uma entidade de apoio na doença, como diz o regulamento. Este não menciona exclusões. E blá, blá, blá.

Como eu sou gaja que não depende dos outros para nada, lá fui ao banco liquidar a poupança, paguei e pronto.

Agora estou aqui indecisa se os meto em tribunal ou se denuncie o caso à comunicação social - o CM e a TVI deverão achar o máximo este caso, ou se faça as duas coisas.

Sou obrigada a descontar para o SAMS e para a segurança social. Não tenho culpa de ter doença crónica. Uma coisa é certa: se pensam que vou mudar de sindicato estão muito enganados. Vou continuar lá a apresentar despesas todas!!! Depois é só juntar tudo e ir para tribunal. Mortinhos para correr comigo estão eles: mas não lhes dou esse gostinho.

Tenho dito.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Dúvidas existenciais

Porque é que um dos mais conceituados e caros cirurgiões plásticos do país apresenta a cara com manchas e cicatrizes?

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

A sério até me irrita

Frequentemente dou uma vista de olhos pelo Shiuuu e digo-vos: às  vezes revolta-me.

Há gente que não sabe o que são problemas.

Há povo que adora fazer-se de vitima e espera que sejam os outros a tomar decisões por eles, por serem cobardes e não quererem enfrentar a realidade.

E mais fácil meter a cabeça debaixo da areia e culpar os outros -  companheiro/a, pais ou patrões-  a ter tomates para dizer: BASTA! QUEM MANDA NA MINHA VIDA SOU EU.

Alguém escreveu que preferia ser internada ou presa para assim fugir da sua vidinha. Vamos lá ver se eu explico isto sem me exaltar.

Querida:
Fala quem sabe!
EU fui operada à MEDULA (achas que tens problemas?) há 50 dias. Fui atropelada, na passadeira, há 5 dias (continuas a achar que tens problemas?).
Sabes em que isso ajudou a resolver os meus "problemas/dificuldades" prévios? NA-DA!

Na vida só não superamos o que não queremos ou o que é fisicamente impossível, como doenças graves. Deduzo que não tens problemas de saúde pois dizes que estarias bem na prisão.

Faz-te à vida!!!




terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Cruzes credo

Qual a probabilidade de seres atropelada, numa passadeira, um mês depois da cirurgia à coluna?

Isto há coisas que só acontecem comigo...

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Por cá

A cirurgia à medula foi um sucesso. Em muito contribuiu para isso o facto de ter escolhido um dos melhores neurocirurgiõe do país: Dr. Luis Távora.

A recuperação está a ser lenta e dolorosa. O meu filho está com a minha mãe porque eu pouco me mexo e um miúdo de 2 anos exige muito de nós. No entanto vem cá a casa todos os dias, fica uma horinha a brincar comigo, vê o doi-doi da mamã e regressa á avó. Ao fim de semana fica cá e eu fico estoirada.

Isto de ter que estar quieta dá cabe de mim... Não tenho paciência... E depois a minha cabeça não pára de maturar em merdas e na tv é só violência e atentados e injustiças e séries repetidas e gouchas e assaltos ao poder e não-sei-mais-o-quê...

Estou desanimada.

Vou regressar à cama.

Até qualquer dia.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Diário de recuperação a tumor medular. Enfermeiro: marido

Dia 1: a doente, em  repouso absoluto, tem que se levantar para fazer o pequeno almoço, tomar medicação e acordar o sr. Enfermeiro para lhe medir as tensões.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Modas

Sou só eu que acho parolo, azeitola e piroso esta coisa de andar com pernas à mostra e de meias grossas, por baixo dos botins, a verem-se?

E afinal esta moda das maratonas não passa de uma estratégia de marketing para se lançar livros  e ganhar uns trocos! Os "opinion makers" vêm para a net dizer que correr é o máximo e tal e o rebanho quer ficar "in" e vai tudo comprar uns farrapos de running  e umas garrafas de plástico "um must -  leves e coloridas" para beber a sua bebida energética, uns relógios que medem o ritmo cardiaco e os kms percorridos e mais não sei o quê, um óculos todos "nice" e bonés de marca para não assarem a moleirinha. Ah, e cremes protectores e batons xpto.

E o sushi? Aquela coisa "deliciosa" que se "aprende a gostar". Ou seja, não presta para nada mas se insistires, habituas-te... Dah... Cáputoderaciocionio! Mas pronto, se não comes peixe crú estás "out". e a malta quer mesmo é estar "in" e por isso bora lá comer peixe por cozinhar e colocar umas fotos na net mas antes de irmos para a caminha vamos mas é cear um prego no pão, que isto não mata a fome.

E esta coisa da "parentalidade positiva" e "Workshops" para mamãs e papás e tal, para no fim de contas se chegar á conclusão que cada criança é uma criança, há que respeitar a sua personalidade e  cada familia é que sabe, cada um tem o seu ritmo e o que funciona para um bebé não resulta com outro. Mas pá, é chic seres um pai/mãe interessado por esta coisa da criançada. Se bem que com tanta formação, livros, workshops e não sei mais o quê, resta tempo para estar com o  miudo? Brincar com ele? Fazer puzzles e jogar às escondidas? Eu não sei! Mas EU acho que esta moda de tirar curso para aprender a lidar com o NOSSO próprio filho é uma grande balela. Mas está na moda!

E agora, como eu sou uma gaja "in" vou mas é sair para almoçar e numa hora tenho que: comer, lavar as mãos ao miúdo, pôr-lo a fazer xixi, arrumar os brinquedos, metê-lo no carro, levá-lo à ama, atravessar duas cidades e estar na fisioterapia a horas. Isto, minha gente, é a MINHA maratona. 60 minutos, muitas calorias queimadas e de TACÃO!

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Pimenta no cú dos outros para mim é refresco

Aqui há uns meses o meu chefe tinha cirurgia marcada com previsão de 15 dias de recuperação.

Nesse período de 15 dias eu tinha UM dia de férias marcado. UM! Ao que ele me vem com a treta que a lei prevê estas situações e que as férias poderiam ser canceladas por "conveniência do serviço".

Após a resposta de que eu nesse dia não vinha trabalhar, fosse justificado por férias ou baixa médica, lá gozei as ditas.

Agora, com a minha cirurgia à porta, com recuperação de 30 dias, e ele com férias de uma semana marcadas para essa altura, o direito ao seu precioso descanso passou a ser "um direito irrevogável".

Quero lá saber. Quem ficar cá que se desimerde!



quarta-feira, 14 de outubro de 2015

E quando alguém que tu conheces se suicida?

Esta semana um cliente aqui do banco suicidou-se.

Não é a primeira vez que ouço falar de pessoas que, lá nas redondezas, decidem acabar com a própria vida.  Normalmente a minha reacção é encolher os ombros e dizer "paciência", foi o que eles quiseram.

Mas desta vez foi diferente.

Eu conheço o senhor. Atendi-o centenas de vezes. E quando digo centenas não estou a exagerar. Foram 8 anos a vê-lo ao balcão semanalmente. Era uma pessoa muito amável, simpático e acessivel. Daqueles clientes a quem não conseguimos dizer não. Fazíamos-lhe todas as vontades e não era por ser podre de rico, que não era, era mesmo porque era uma rica pessoa.

E fiquei muito triste quando soube que se suicidou. E fiquei  a pensar se não poderia ter feito nada para o ajudar. Senti o peso da "sociedade" porque afinal de contas a sociedade somos todos nós. E sinto que a sociedade falhou com ele. Ninguém sabe o porquê. Eu pergunto: ninguém reparou que precisava de ajuda? Mas, e o que é que podemos fazer?

Não sei. Só sei que fiquei triste e incomodada com o assunto.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Oferta de emprego - trabalho temporário

Procura-se

Homem alto, moreno, musculado, com barba, cabelo rebelde e perfumado.

Que saiba agarrar uma mulher pela cintura, suavemente, encosta-la à parede, segurar-lhe o queixo, roçar seus lábios nos dela, fazê-la perder o fôlego e beijá-la len-ta-men-te e com paixão.

É permitido roçar de coxas, ferrar os lábios e um ligeiro puxão de cabelo.

Candidato que reúnam estas aptidões é favor enviar currículo com foto de corpo inteiro.


Remuneração: à altura do desempenho.

sábado, 19 de setembro de 2015

Hotel Dom Pedro Baia – Machico – Madeira

Eu já frequentei vários hotéis. Muitos hotéis!!!

Tenho a dizer que este foi o pior de sempre. Está classificado como 4 estrelas mas não corresponde a tal. Fomos enganados!

- Ficamos em regime de Tudo Incluído. Tanto ao almoço como ao jantar havia UM prato de carne e UM prato de peixe. Comida bem confecionada mas sem variedade e com molhos integrados, o que limita as (poucas) escolhas para quem tem problemas de intolerância à lactose, como eu.

- Na mesma semana serviram borrego quatro vezes.

- As baratas passeiam-se ao lado dos hóspedes, pelos corredores fora, na maior calma. Devem estar de férias também.

- Um problema de canalização fez com que o corredor tivesse a tampa de saneamento aberta dias a fio e cheirasse a esgoto, coisa que não incomodava as baratas!

- Há elevador mas no piso de acesso ao restaurante há vários degraus, o que impossibilita o acesso com carrinho de bebé e a deficientes motores. (Nem sei como é que isto é legal)

- Não tem ar condicionado mas no restaurante tem ventoinhas. Há um numero limitado de quartos “tipo CLUB”  que possuem ar condicionado, mini bar e varanda (foi nesse que ficamos) mas são mais caros.

- Muitas, muitas escadas!

- Quatro guarda-sois na piscina! Quatro! 1-2-3-4 para todos o hotel (???)


Lado positivo: pessoal muito simpático, existem sempre táxis à porta do hotel,  a praia é excelente e fica a 5 minutos de distância a pé.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Pobre e mal agradecido

O meu filho estava doente com febres altas, não comia e eu estava sem dormir há 3 dias. Factos que o meu chefe conhecia.

Ainda assim apresentei-me ao serviço no último dia anterior às férias porque era fim do mês, há mais trabalho, para não deixar o chefe pendurado e blá, blá, blá . Entrei mais tarde e saí meia hora mais cedo. Deixei o meu serviço feito, o do chefe adiantado e antes de sair perguntei-lhe se tinha mais alguma coisa para eu fazer. A resposta foi:

- Não. Não tenho mais serviço para ti mas como chegaste mais tarde acho que deverias
esperar pela hora de saída.

Acontece que eu não lhe pedi opinião. Perguntei-lhe se tinha trabalho. Não tendo, basei.

No dia seguinte o meu filho dava entrada no hospital onde acabaria internado por 2 dias.

Tenho a dizer que numa próxima será assim:


- Estou, chefe? É para avisar que estarei de baixa a próxima semana porque tenho o meu filho doente. Xauzinho.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

É pá, já não escreves nada de jeito.

Primeiro: eu nunca escrevi nada de jeito!

Segundo: a minha vida é uma rotina. Não acontecem coisas extraordinárias diariamente. Há o dia-a-dia de um casal com um filho de 26 meses, o stress de cumprir horários, o pouco tempo para estar com o miúdo, o vê-lo a crescer cada vez mais lindo. Não acordo radiante e pronta para correr 10 kms.
 
Terceiro: Nem sempre me apetece partilhar os acontecimentos. Poderia ter feito aqui o diário, ao minuto, de ter um filho internado dois dias na CUF, por estar com febre aftosa. Poderia ter contado como o meu coração chorava sempre que era preciso enfiar-lhe o cateter, nas mãos ou nos pés. E como foram precisas cinco pessoas para  o segurar… E como ele gritava... Nas febres de 40º…Mas não me apeteceu. Preferi abraçá-lo e dizer-lhe que tudo iria passar.

Quarto: Não passei as férias a tirar selfies ou centenas de fotos. Na realidade tirei cinco.

Quinto: Contarei como foi o hotel na Madeira, não porque me pagam para fazer publicidade mas sim porque o hotel é HORRIVEL e talvez dê jeito a alguém ter essa informação. Mas agora não. Não me apetece.

Sexto: Nem sempre tenho hipótese de escrever quando quero e quando posso nem sempre tenho vontade…


E é isto 
...
...
...

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Resumindo

Aguardo ansiosamente contacto do médico com data da cirurgia à medula. Nada de especial...quer-se dizer: fisioterapia pré-operatória, horas no bloco operatório com risco de lesões, dois dias na unidade de cuidados intensivos e mais uns quantos a injecções na barriga para evitar tromboflebites. Vou operar a Lisboa, no privado, e ficar 6 dias sem o meu filho...

O meu marido está deprimido, não sabe porquê...

O Eduardo está com amigdalite e faz, há dias, 39.9º de febre. Está a penicilina e não durmo há 3 noites e o miúdo não come há dois dias.

A minha irmã estava na fila da segurança social e andou à porrada com uma fulana de bairro social. Parece que levou mais do que deu.

Amanhã entro de férias, se é que se pode chamar fé-ri-as quando se tem um filho doente. Temos viagem marcada para a Madeira no fim da semana e nem sei que faça.

Tudo bem, portanto!

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Também quero


Oh pá...

Se querem dar 20 eur/dia para os pescadores não apanharem sardinha...

Não podem distribuir uns 20 eur/dia aqui ao veraneantes por não poderem ir à praia devido a ausência de sol? É que a malta também tem despesas!!! É a conta do hotel, as portagens, as esplanadas, as compras no shopping, o bilhete do cinema... é que só se poupa mesmo no protector solar e nas mijadelas no mar...


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Anda tudo tolo

Óh pá, juro que não percebo.

Esta onda de violência entre ex-casais não me entra na cabeça.
 Já começo a admirar o meu ex-marido. Divorciamo-nos e pronto. Foi cada um para seu lado viver a sua vidinha. Mas a malta acha que não existem mais mulheres/homens à face da terra? E qual é o problema de se ficar sozinho? Mal vale só que mal acompanhado!

Depois são aquelas que se queixam que são mal tratadas mas continuam com eles. Devem adorar ser vitimas, só pode! Não percebo esta falta de auto-estima. Eu quando me divorciei, estava desempregada, não quis pensão de alimentos e fui viver para um sótão- por dois anos! AH e tal, não tinhas filhos - pois não! porque não sou burra de ter filhos numa relação de stress e desgaste. Há a pilula, os implantes, os aparelhos DIU...

Depois há aqueles que criticam quem não sabe o preço de um kilo de laranjas. Pois eu admito: Não sei o preço de um kilo de laranjas assim como não sei o preço de um kilo de bifes, nem um kilo de batatas, nem de nada! Minha gente: É CO-MI-DA! A primeira necessidade a satisfazer! Que me adianta saber o preço? Vou deixar de comer? Vou deixar de dar sopa ao Eduardo porque os legumes estão caros? Mas pior, vi uma senhoreca que retirou as laranjas do saco quando reparou no preço delas mas estava com relógios de marca, cabelo pintado, e telemóvel de ultima geração. Isto para mim são prioridades trocadas. É claro que aproveito as promoções - detergentes, fraldas, toalhitas, shampoos -  mas não deixo de comprar o essencial e CO-MI-DA é essencial.

Depois são os incendiários e o sistema que nada faz a esta malta...

Enfim,

Nem sei que diga...



quarta-feira, 29 de julho de 2015

Era uma vez… (não recomendado a sensíveis e/ou inocentes que acreditam no pai Natal)

Era uma vez uma menina de vinte e poucos anos.

Linda, alta e de cabelos compridos a bater no fundo das costas.

Essa menina vinha de famílias pobres e trabalhava há uns anos, ganhando o ordenado mínimo.

Certo dia é-lhe diagnosticado cancro.

Um dos traumas dessa menina foi perder o seu lindo cabelo. Não tinha possibilidades para mandar fazer uma peruca com o seu próprio cabelo.

Quando o rapou chorou. Imenso.

Depois da batalha veio a vitória e a menina, felizmente, está bem e já regressou ao trabalho.

Após receber o seu primeiro salário a menina fez extensões no cabelo.

(Esta é uma história verídica. Qualquer semelhança com campanhas eleitorais é pura coincidência.)

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Expliquem-me como se eu fosse MUITO BURRA

Uma pessoa entra nas urgências de um hospital do SNS ás 6.30h.

Está com uma toalha encharcada em sangue que corre abundantemente.

Apresenta-se ao guiché com o cartão de cidadão e acrescenta que é isenta.

Dizem-lhe que tem que apresentar o documento comprovativo da isenção, que estão sem sistema e que não é chamada para triagem enquanto o sistema não "regressar".

Entretanto continua a sangrar.

Na triagem dão-lhe pulseira AMARELA.

Espera.

É cozida e tem que fazer um raio x à cabeça, mas como não há sistema não o pode fazer.

Tem que tomar medicação mas como não há sistema não a podem passar.

Resolve ir ao centro de saúde.

Á saída do hospital, às 10 hrs, pede uma justificação para apresentar no trabalho mas não conseguem tirar porque não há sistema e a impressora não funciona.

Digam-me: isto é normal? É que eu deixei de compreender aquando da pulseira AMARELA!!!

A pulseira laranja é para quem? Mortos-vivos?
E a vermelha deduzo que é para estado clínico: Morto, não?!



sábado, 18 de julho de 2015

Ah e então conta lá como é o Barceló Punta Umbria

Basicamente é como estar num parque infantil.

É crianças por todo o lado. Tem excelentes condições para os miúdos, várias actividades, várias piscinas, parque infantil, boa comida e praia, um areal imenso, mesmo do outro lado da rua.

Para o ano regressamos mas no nosso carro e no conforto e segurança da nossa cadeira Cibex. Não compensou, nem em termos financeiros nem em termos de horas dispensadas, termos ido de avião Porto-Faro.

Ah e tal, pela Raynair o voo é barato e rápido.

     Nem sempre! Se levarmos bagagem de porão - e com miúdos pequenos temos mesmo de lavar a tralha toda atrás- o voo encarece ( e acresce o custo do parque de estacionamento low cost).
                           Se contarmos com a viagem de casa até ao aeroporto, mais o tempo de check-in, voo, levantar malas, levantar carro alugado (1 hora à espera), parar no supermercado para comprar fraldas, boiões de fruta, leite e não sei mais o quê para o puto, e mais hora e meia de estrada até ao hotel... Chegamos lá mais depressa e mais confortáveis na nossa viatura.

Ficamos perplexos com a quantidade de casais com 3 filhos. TRÊS!!! Nós devemos ser mesmo fraquinhos porque UM chega-nos perfeitamente!!!
Aliás, penso que éramos o único casal com um filho, tenho em conta que nos outros elas já ostentavam a barriga de grávida do segundo.

A comida era muito boa e variada. O hotel tem a politica de turnos para melhor organização. Atribuem um turno ao quarto e vamos comer dentro daquele horário. Escolhemos o tudo incluído mas há outras opções.

Também tem SPA e Piscina interior mas não usamos por isso não sei como é.

Só não concordo com a politica de estacionamento pago pelos hospedes. Eu bem sei que aquela zona é muito procurada mas 10 eur/dia acho demais, assim como 13 eur por duas espreguiçadeira à beira-mar. Mas lá está, só paga quem quer.

Para o ano há mais.



quinta-feira, 16 de julho de 2015

Era suposto ninguém reparar? (Não recomendável a sensíveis)

Eu já me ando a conter há uns dias mas aqui vai:


Mostrar publicamente careca de quimioterapia é como ter mamas de silicone e usar decote até ao umbigo: 

                            É ÓBVIO QUE TODOS VÃO REPARAR!!!

Logo: é óbvio que o objectivo era CHAMAR A ATENÇÃO.

Na vida politica nada se faz inocentemente…


Não menosprezando o momento difícil, é óbvio, que não levou um lencinho na cabeça ou uma peruca discreta (porque dinheiro não lhe falta para comprar um das boas) porque não quis. E não quis porquê?

 Ah e tal, está no direito dela!
Pois está. Assim como a malta está no direito de comentar a torto e a direito, afinal o tempo da ditadura já acabou. 


quarta-feira, 15 de julho de 2015

Conhecedores da Madeira digam qualquer coisinha

Estou a namorar este hotel, para ida em Setembro, mais por causa do acesso a praia do que por qualquer outra razão. Alguém conhece o hotel e a praia de Machico?

Dom Pedro Baia Club - 4 estrelas

http://www.dompedrobaiahotel.com/pt/index.html

terça-feira, 14 de julho de 2015

???

Quando eu tinha 18 anos (a long time ago, portanto) trabalhei uns meses numa loja de pronto a vestir.

O meu (futuro) cunhado fazia uns biscates de fotografia e um cliente pagou-lhe em cheque.

Como eu passava todos os dias à porta daquele banco a caminho do trabalho, ofereci-me para levantar o cheque. O meu pai disse que me dava 50 contos (250 eur) caso eu o conseguisse fazer. Na altura eu não percebi ao que o meu pai se estava a referir. Agora percebo perfeitamente. O cheque cruzado só pode ser pago, ao balcão, a clientes da mesma instituição, o que não era o caso. No entanto, eu consegui fazê-lo1

É claro que não estava à espera que cumprisse a palavra mas volta e meia, em ambiente de galhofa e apostas e tal, eu ia sempre relembrando o acontecimento.

Ontem, (20 anos depois) ele disse à  minha mãe para levantar essa quantia do banco e me entregar porque "ele é um homem de palavra".

Das duas uma: ou está com peso na consciência ou tem medo que eu morra na cirurgia à medula e depois o venha atormentar... Só pode!

domingo, 12 de julho de 2015

Pá, a sério, expliquem-me como se eu fosse MUITO burra

Ai e tal estou depois do ter tido o meu filho engordei muito.”

Pá não percebo. Não é má vontade é não perceber mesmo!!!

Uma coisa é uma pessoa alargar de ancas, ficar com 2 ou 3 kgs a mais. Pronto, vá que não vá. Se bem que eu meses depois do parto estava com menos 7 kgs do que quando engravidei, mas pronto…Já estou a dar tolerância.

Agora: Estar um cachalote 2 anos depois do miúdo nascer e dizer que a culpa foi da gravidez, desculpem lá. A gravidez não tem nada a ver com isso. Vocês já ERAM CACHALOTES antes de engravidar, não ponham as culpas na criança.

Eu afirmo: NÃO SEI COMO É QUE MULHERES COM FILHOS PEQUENOS ENGORDAM!!! NÃO SEI!!!

1º- Tempo: Sim, onde arranjam tempo para comer? E falo ainda no período de amamentação! Há dias em que nem tempo para mijar quanto mais comer! Depois do regresso ao trabalho, nem se fala!

2º - Vontade: e havendo tempo, qual a vontade? Se o dia correu bem e lá se conseguem sentar a jantar por cinco minutos é levantar-se da cadeira 10 vezes. Seja para apanhar brinquedos, para lhe meter a chupeta,  para limpar vomitado, para trocar a fralda acabadinha de borrar, para ir socorrer o puto que se espetou contra a esquina da porta e está todo pisado a chorar e consequente vómito seguido de banho…, para proteger o gato que vai levar um puxão de cauda e antes que ferre no puto mais vale lá ir dizer “não, não”.

Que canseira. Deixem-me lá ir dormir um bocado!!!

3.º - E as doenças? Sim, os vossos filhos não vos pegam as viroses, caganeiras e afins?


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Comentário que vira post


Em relação àquela mulher que agora virou heroína porque FINALMENTE deixou o gajo que a espancava e traia:

Eu não percebo.
A primeira podemos apanhar todos.
As restantes só apanhamos se quisermos.
Esta gente vive como se não houvesse mais homens à face da terra e, pior, como se fosse preciso homem para se viver.
E mais: não só acreditam no Pai Natal como acreditam que ele vai mudar, que não vai voltar a acontecer...
Really???

Então e o aniversário do Eduardo?

Correu mal…

O miúdo foi à consulta de rotina dos 2 anos no Sábado e no Domingo já estava com uma virose/gastroenterite/ou-outra-merda-qualquer que o pôs a vomitar de meia em meia hora.


Passado umas horas estava o pai no mesmo estado acrescido de diarreia e passado um dia estava a mãe. Nos dias seguintes atingiu o avô e a madrinha. Nada de grave mas o suficiente para impedir clima de festa. Vale que a minha irmã mais velha fez um bolinho no fim-de-semana seguinte e o miúdo já estava óptimo para correr, saltar e cair na relva.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Really???

Está mesmo a dar em directo a trasladação do Eusébio em dois dos quatro canais nacionais???

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Palavras infelizes que só quem não tem filhos profere (ou tem mas nunca lhes trocou uma fralda na vida)

A propósito do menino de 3 anos que morreu atropelado na marginal de Vila do Conde um homem na casa dos 40 anos disse:

- "A culpa é dos pais".

E eu não me virei a ele porque a conversa não era comigo, mas tive que me conter muito!!!

Ora quem tem filhos sabe que eles nos cegam, que num instante estão muito quietinhos e a seguir estão a trepar os móveis, a correr por todo o lado, tiram-nos as mãos e fogem, querem descer pelas escadas, correm nos corredores do supermercado enfim.

Uma criança pequena consome-nos. Quem nunca desejou ter 5 olhos e 8 mãos?

Oito mãos era o que aquele casal de Guimarães precisava ontem. Eles iam para a praia com o menino de 3 anos e o irmão de meses.
Oito mãos para poder tirar as tralhas todas da mala do carro, o filho de 3 anos e o irmão bebé de meses. Uma pequena distração e o miúdo corre em direcção à praia, no outro lado da rua, e é mortalmente atropelado. Dizem que a condutora não ia com velocidade.

Que culpa tem os pais? Eles só queriam proporcionar umas horas de diversão aos filhos. Um casal com 2 filhos não vai para a praia para descansar nem bronzear. Um casal com 2 filhos vai para a praia para os fazer felizes. Para lhes mostrarem o mar. Um casal com 2 filhos não consegue estar 2 minutos deitado na toalha. Um casal com 2 filhos não consegue dormir na praia. Um casal com 2 filhos leva tanta tralha atrás que até dá vontade de desistir.

Aquele casal está em sofrimento e não teve qualquer culpa do que aconteceu mas vão carregar esse peso, injustamente, para toda a vida pois eles próprios estarão a pensar "e se"...

Muita força, é tudo o que lhes posso dizer...




domingo, 28 de junho de 2015

3 anos de blog

Fez este fim-de-semana 3 anos que iniciei o blog.

Desabafos de uma mulher que "tinha tudo e não tinha nada". Boa vida, viagens, jantares, sestas ao fim de semana. Paz e sossego. Até ao dia em que o relógio biológico acordou aos berros.

Eu passei a querer um filho mas o meu namorado não queria. Dilema: ele não tinha o direito de me impedir de ser mãe nem eu tinha o direito de o obrigar a ser pai.

Meses passaram e acabei por engravidar na semana do meu aniversário, da primeira vez que fizemos amor sem protecção.

Entre uma gravidez de risco, o nascimento, a retirada do infantário por estar sempre doente, a mudança de posto de trabalho para os serviços centrais, e o Eduardo prestes a fazer 2 anos, somos uma família feliz e realizada.

Não sei como consegui viver tantos anos sem este miúdo na minha vida. Viajamos e jantamos fora menos vezes mas a nossa vida está completa e com sentido.

Eduardo és o nosso mundo.

Mandamos um homem ao supermecado

Entre outras coisas pedimos para comprar ice tea de LIMÃO e SHAMPOO para cabelo pintado.
Resultado:



terça-feira, 16 de junho de 2015

Meter nojo

Amanhã entro de férias.
Domingo vamos para Sul de Espanha - Barceló Punta Umbria.
I see you there?




sexta-feira, 12 de junho de 2015

Planos para o fim de semana

Sexta à tarde: ir ao parque e ao supermercado com o Eduardo (Sim, eu não trabalho à sexta à tarde- por enquanto)

Sexta à noite: jantar
                      - entradas: allheira assada e presunto
                      - refeição: coxinhas de frango recheadas com picados vários assadinhas no forno com batatas e arroz branco.
                        vinho: Lambrusco
                        sobremesa: não há, não tenho tal hábito.

Sábado de "madrugada": ir para o salão fazer unhas de gel e depilação

Sábado à tarde: dormir a sesta e depois tentar fazer alguma actividade onde o Eduardo não apanhe frio...

Domingo: fazer sopa de carne, fazer sopa de peixe, passar a ferro, fazer tarte de laranja e merengue e entrar na neura do "quase segunda-feira".

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Trabalho há muito, remunerado é que não!

Ora que a minha irmã foi a uma entrevista para emprego e ficou de se apresentar a titulo "experimental" na manhã seguinte.

Chegada ao local a empregadora adiantou que "está crise", que "nem sempre"paga a horas e que a última empregada tinha ido embora sem avisar.

Em conversa com a funcionária que já lá trabalhava há 4 meses foi-lhe dito que "nem sempre recebia o salário pela totalidade".

Posto isto a minha irmã, à saida para almoço disse:

- Já não regresso. Para trabalhar de graça fico em casa que há lá muito que fazer.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Efeitos secundários do implanon

Regresso ao passado - adolescência - espinhas e borbulhas no peito e costas.

Aumento do prazer sexual.

Ausência de menstruação.

Sinto o cabelo mais fraco mas não sei se será do implante...

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Despedi a empregada. Satisfeitos?

A partir de agora vai ser assim:






Espero que ninguém fique com peso na consciência por ter contribuído para o aumento do desemprego.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Oh macho latino, sente-se aqui por favor, tenho umas coisinhas a dizer-lhe

Isto é assim:

Tolerar mulheres ressabiadas porque não se sustentam sozinhas e têm que aturar homem para as ajudar nas contas e, logo, não poderem pagar empregada, eu até tolero. Coitadas!

Agooooraaaaa

Virem para aqui HOMENS ressabiados porque ACHAM que quem paga a empregada é o coitadinho do explorado do marido, a coisa muda de figura!!!

Caro "Rico em humildade" a ver se eu percebi:

Uma mulher tem de ser criada do marido! Não deve ter empregada para não gastar o dinheirinho do maridinho para assim lhe sobrar mais para ele gastar em, sei lá, putas, tabaco, vinho, casino, carros, whatever!?
Ou seja, a mulher deve tratar da casa de toda a familia sozinha, trabalhar fora e ainda ter que passar horas agarrada aos tachos, ao aspirador, ao pano do pó, ao ferro de engomar,  e com um sorriso nos lábios!!!Já o homem, que não gosta de fazer a ponta-de-um-corno em casa, deve ficar com os tomates assapados no sofá a assistir à cena. Caso este possa e queira aliviar a lide doméstica para evitar conflitos resultantes da repartição de tarefas, caso queira que haja mais tempo para estarem com os filhos, então, ele é um coitadinho de um explorado!!! Certo!?

E em resposta à sua pergunta: Não, não lhe vi o saldo bancário! Mas de todos os que corriam atrás de mim depois do divórcio escolhi o Mais rico. Sabe, é que pior que aturar homem, ter que cozinhar todos os dias, lavar cuecas, aturar os seus roncos de noite e os peidos ao longo do dia, levar com a sogra, a cunhada, a ex-mulher, os afilhados da ex-mulher, os amigos, nunca ter o controle do comando da TV,  ter o tampo da sanita sempre para cima, o frigorífico cheio de cervejas e o facto de ser benfiquista, pior mesmo mesmo, é aguentar isto tudo e ainda levar com um gajo pobre que tem que contar tostões.

Amor e uma cabana não é para mim. É público e o próprio foi informado atempadamente.

Orgulho-me de dizer que me sustento sozinha, não preciso de homem para me pagar as contas mas é bom que o faça de vez em quando. É bom poder frequentar restaurantes caros, hoteis de 5 estrelas, ir de férias para as Maldivas, andar em bons carros. Sim, é MUITO bom!

Se o meu marido fosse assim tão maltratado e explorado, como acusa, já se teria ido embora. Pelo que, pelo seu raciocinio, só posso tirar uma conclusão: EU SOU MESMO BOUA CARÁLHO!

domingo, 31 de maio de 2015

Eu sou um ás na cozinha

Quer- se fizer, o puto do merengue não alourava resolvi aumentar temperatura.
Fui fazer não-sei-o-quê e o resultado, após algumas tentativas de reanimação, subentenda-se facadas, é este:


sexta-feira, 29 de maio de 2015

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Dúvida existêncial

Alguém sabe o que aconteceu à Série "How to get away with murder" ou "Como defender um assassino"???

Simplesmente interromperam a emissão...deixaram a trama a meio...

Isto é assim???

terça-feira, 19 de maio de 2015

Na ilha

As férias foram boas.

O hotel – H10 Las Palmeras – é bom. Tem serviço tudo incluído, o nosso quarto tripo era espaçoso, os empregados atenciosos. Tenho a dizer que atenderam o nosso pedido de quartos o mais próximo possível ( a minha mãe e irmã também foram) e deixaram-nos fazer o check – out ás 14 hrs por causa do miúdo.

A temperatura andou pelos 30º e nada de nortadas como aqui no norte, só um ventinho suave agradável.

As piscinas são de água aquecida e à tarde a piscina das crianças parece sopa, quentinha, quentinha.

Dentro do hotel temos actividades para os miúdos acima dos 3 anos.

A 20 metros do hotel tem um supermercado aberto 24 horas, parque infantil e variadíssimas lojas para recuerdos.

Voamos pela rayanair e foi tudo bom. Funcional e acima de tudo pontual.

O  Eduardo delirou com a piscina mas passou-se no restaurante. Não queria lá entrar, não comeu sopa a semana inteira, andou a papas, fruta e leite. Não quis arroz nem massa. Pouca carne comeu e nenhum peixe. Tentamos comida de boião e sopa no quarto mas não adiantou. Foi tudo para o lixo. Na farmácia e supermercados só havia papas para fazer com leite, coisa que ele também não comeu. A sorte é que levei 2 pacotes de papa daqui, senão entrava em histeria. Tive que fazer racionamento de papa e leite em pó, se bem que também bebeu leite de vaca. Obviamente que as noites foram cansativas porque sua Exa. tinha fome e lá andava eu a fazer biberões de madrugada. Deduzo que o miúdo estranhou o ambiente do restaurante, com muita agitação, pois em termos de sabor a comida era idêntica à nossa.

Fora do hotel? Não faço ideia. Só fui ao supermercado!

Faltam 31 dias para as próximas: Barceló Punta Umbria Beach Resort


Estratégia: Levar as sopas congeladas de casa. Sugestões?

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Quero voltar para a ilha

Já terminaram as férias em Tenerife.
Bem,  só vos digo: férias com miudo de quase 2 anos é cansativo. O puto não pára quieto. É só bola, piscina, parque. Estou a precisar de férias para descansar destas férias.
O hotel é bom, o serviço muito bom, temperaturas excelentes  e a viagem correu bem. Depois dou pormenores e também tenho que me actualizar do que se passou.
Agora é desfazer malas, lavar roupa e preparar psicologicamente para regressar  á correria do dia-a-dia e horários.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Exagero ou talvez não

Pá, isto de ser educador é muito difícil.

São as mais variadissimas teorias e estudos sobre isto e aquilo e não-sei-mais-o-quê!

Acabei de ler um blog em que o miúdo foi aprender inglês com 18 meses. Pá, eu acho que eles mal falam português quanto mais o inglês. E não ficarão baralhados com a aprendizagem de duas línguas em simultâneo? Ou, pelo contrário, não será excelente para o seu desenvolvimento?

Dúvidas senhores, dúvidas. Afinal o que é melhor para eles? E nós? Que na idade deles não tivemos nada daquilo e estamos aqui grandes e felizes? Mas e se realmente for bom para eles e não for para a nossa carteira ou horário familiar? Deveremos ficar com sentimento de culpa?

Só vos digo: tantas teorias!!! Que cidadãos estaremos a criar com esta ideia de perfeição?

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Status: Busy

Pois que ando muito atarefada com trabalho, médicos, fisioterapia e malas.

Malas para viajar uma semana com um puto de 22 meses... O que vale é que há supermercados mesmo no centro da Praya de Las Americas (Tenerife - Vamos para o H10 Las Palmeiras). Compro lá as fraldas e os brinquedos de praia mas mesmo assim é preciso levar quase a casa toda.

Ele é roupa fresca para o dia, roupa quente para a noite. Roupa suplente caso se suje, borre ou vomite.
Carradas de cremes. É o protector solar, o creme pós sol, o champoo, o gel de banho, o creme para a cara, a pomada para o rabinho, o perfume, os oculos de sol...

Babetes, biberões, leite em pó, liquido da loiça para lavar os biberões, omo para lavar a roupa suja não vá o miudo apanhar alguma virose e começar a vomitar e cagar de esguicho, fraldas para a praia, fraldas XL para a noite... ben-u-rons, bebegels, ai...

Só vos digo: ando exaurida só de pensar em tanta tralha...

E para o mês que vem, repete-se tudo outra vez pois vamos para o Barceló Punta Umbria no sul de Espanha.

Só vos digo uma coisa: a minha vida é cansativa!

:p

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Duvidas existênciais

Por momentos fico confusa.

Quem é que paga imposto de circulação para andar na estrada? Os automobilistas ou os peões?

E itinerários complementares (IC) são locais autorizados a peões? Onde estão os passeios?

E quem teve a bela ideia de autorizar ciclistas a circularem aos pares e quem se esqueceu de os obrigar a ter seguro?


Os amigos dos homens e as amigas das mulheres


Pois que os homens têm muitos amigos. Bons amigos, dizem eles, de longa data e com quem ir para os copos é um espectáculo. Passam horas seguidas a beber uma cervejas e comer uns tremoços, falam basicamente de mulheres, futebol e carros. Gargalhadas e anedotas, amena cavaqueira. Muitas vezes cravam dinheiro e nunca mais o devolvem.

Pois que as mulheres têm um grupo mais reduzido de amigas. Algumas de longa data outras nem por isso. Para se conseguirem juntar é complicado devido aos compromissos familiares, normalmente filhos. Quando conseguem uns minutos juntas falam, normalmente de coisas sérias. Das suas preocupações do dia-a-dia, das doenças dos filhos, dos atritos com o marido, desabafam, falam todas ao mesmo tempo. Zangam-se frequentemente quando alguma diz "eu avisei-te", já sabias que isso ia acontecer", muitas vezes ouvem as verdades na cara, não gostam e amuam.

Quando se trata de assuntos importantes como, por exemplo, mudança de residência ou nascimento de um filho o comportamento dos amigos e das amigas é este:

Os amigos dele: desaparecem.

As amigas dela: ajudam a empacotar os caixotes,. Levam um lanchinho. Emprestam coisas dos próprios filhos, como banheira, esterilizador, biberões, roupinha. Oferecem prendas aos miúdos pelo aniversário.

Cada um que tire as suas próprias ilações.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Ponto da situação

Após consultados 4 neurocirurgiões:

 - o 1.º disse que não operava. Que não era a “especialidade dele”, que nunca tinha feito nenhuma cirurgia à medula ancorada com lipoma envolto em raízes e que o ideal era consultar um neurocirurgião pediátrico.

- os 3 restantes foram unanimes: opera-se! Liberta-se a medula e retira-se parcialmente o lipoma.

Destes 4 neurocirurgiões tenho a destacar o Dr. Maia Miguel. Para além das referências técnicas 
serem excelentes demonstrou ser uma pessoa excepcional, de elevado bom senso e bastante atencioso. Basta dizer que se dirigiu á clinica de Todos-os-Santos propositadamente para me consultar, porque em termos de agenda era conveniente para mim uma vez que ia do Norte a Lisboa consultar dois médicos no mesmo dia. Apesar de referir que tecnicamente a cirurgia não era complicada, mas por ser comum efetuá-la ainda na infância, enviou-me para o Dr. Luís Távora neurocirurgião pediátrico.


O Dr. Luís Távora vem dar consulta ao Porto duas vezes por mês e em princípio a cirurgia será em Outubro na CUF DESCOBERTAS – Lisboa.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Pobres e mal agradecidos

Está um canal de tv a acompanhar a vidinha de um grupo de emigrantes clandestinos que atravessaram o Mediterraneo há uns meses.

Pois dizem eles que estão muito aborrecidos. Que não há trabalho e que os italianos são uns mafiosos. Assim sendo, querem sair de lá.

Pois meus amigos, lamento imenso não haver centenas de postos de trabalho bem remunerados à espera de V. Exas. É que sabem, em Italia também existe desemprego e até dizem que é elevado, pelo que, cidadãos nacionais, com formação académica e profissional estão em casa sem trabalho.

Por isso pergunto: Estavam à espera do quê?


De cama, comida e roupa lavada? Subsídios para não trabalhar? Poderem procriar à vontade para terem filhos com cidadania europeia? Poupem-me! Vocês estão em Italia não em Portugal!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

O que eu tenho a dizer da prova de amamentação

Concordo plenamente!

E nem percebo porque existe a prova de sangue. A meu ver é completamente desnecessária.

Qual é o drama? O mal? A vergonha? O desrespeito por sei lá quê? Em se ter que espremer um seio para fazer tal prova? Não o fazemos perante o patrão maS sim perante um profissional de saúde habituado a ver sangue, mamas, vaginas, fezes, urina, vomitado, etc e tal.

Ou há gente muito púdica ou eu sou muito open mind… e já agora pergunto: e o acompanhamento da gravidez e o parto? Como foi? De perninhas fechadas minhas senhoras? E deduzo que top less “nos algarves” está fora de questão? Certo? Ou talvez não?

Menos senhoras, menos.

É que, infelizmente, há muita gente mentirosa por ai fora.

AH, e se for por causa de arrebentar o silicone, estejam descansadas. Não explode!

terça-feira, 21 de abril de 2015

sexta-feira, 17 de abril de 2015

E o Eduardo?

Está bem, obrigada.

Desde que saiu do infantário, há 6 meses, não ficou mais doente. É que nem uma gripe no auge do inverno. Nada!

Se há coisa que me arrependo é de ter metido lá o miúdo com 5 meses… se eu soubesse o que sei hoje…

De resto, está traquina, reguila, come razoavelmente bem, principalmente se for carne, faz puzzles que é um espetáculo, adora o parque, só quer rua mas falar que é bom… pouco, muito pouco. Diz a pediatra que é preguiçoso pois percebe tudo o que dizemos mas não se precisa esforçar porque os paizinhos e os avozinhos entendem o que ele quer por gestos e sons.


Chora que se farta ao cortar o cabelo e está lindo, lindo, lindo!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Dúvida existencial

Porque é que os médicos se atrasam tanto?

 Hora e meia de atraso e ainda não me chamaram... E estou no particular...

Boooriiing

terça-feira, 14 de abril de 2015

Incomodada

Estava eu na fila do McDrive, para enfardar um hambúrguer cheio de gordura depois de receber mais uma má noticia no consultório do neurocirurgião, quando ouço um homem aos berros a dizer algo do género “ Volta já para aqui! Entra aqui dentro e agora!”

Olhei eu redor à espera de encontrar um cão com o rabo entre as pernas a tremer de medo por antever o castigo do dono perante tanta brutalidade verbal e gestual. Mas enganei-me, naquela rua lateral só lá estava uma mulher. Uma senhora que nem 40 anos deveria ter. Muito bem vestida, cabelo arranjado, com a carteira ao braço e que se pôs em marcha em direcção à voz que continuava a barafustar.

Eu olhava fixamente para a cena e a minha cabeça já tentava arranjar uma maneira de impedir o que  previa… porque se o gajo começasse ali á estalada eu tinha que fazer alguma coisa mas ao mesmo tempo não estava a ver o quê… aperceberam-se que eu estava a olhar e ela lá entrou na carrinha de alta cilindrada e estofos em pele.

Lá dentro o gajo levantava os braços e tentava tirar o carro da rua mas estava tão descontrolado que as manobras bruscas não lhe saiam bem.

Desconfio que a coisa não correu bem quando chegaram a casa.

E fiquei incomodada pela situação, pela classe social e mais ainda pela impotência sentida em evitar/resolver a questão. Caso ele começasse à estalada que poderia eu fazer? Intervir como?
Businar/ir lá bater ao vidro/ chamar a policia (que quando chegasse eles já estariam longe)?

E se eu vou tentar ajudar e o gajo ainda me bate também, ou dá uma facada ou um tiro, sim porque isto anda tudo tolo, e depois ela ainda chega a tribunal e diz que não aconteceu nada e ando eu a incomodar-me e a faltar ao trabalho…?!

Fiquei incomodada!

quarta-feira, 8 de abril de 2015

És pai/mãe? Se sim, és incompetente!

Á conta deste artigo intitulado "Os pais não sabem brincar" tenho a dizer que ser pai/mãe é difícil.

É difícil porque a sociedade actual exige que sejas perfeito. Que sejas o pai/mãe dedicado em exclusivo ao teu filho a 250%, que sejas excelente profissional dedicado a 250%, carinhoso cônjuge a 250%, extremoso filho a 250% e cidadão exemplar a 250%.

 Qualquer decisão em relação ao teu filho é contestada. Teorias e mais teorias.

Tens que brincar com imaginação de criança, brincar só não chega. E nada de pressas, afinal tudo em casa aparece feito: O jantar preparado, na perfeição, com produtos biológicos e saudáveis. Já para não falar da roupa impecavelmente passada a ferro que também aparece prontinha no lugar… Calma, nada de pressas, afinal nesta sociedade nem temos horários a cumprir nem nada.

Eu queria dizer tanta coisa, mas não tenho tempo.

Digo apenas que os pais/mãe de hoje em dia vivem com a espada da incompetência a milímetros da cabeça.

Por um lado temos que lhes dar independência e autonomia para se tornarem adultos seguros, mas depois acusam-te de autoritarismo e rispidez. Se lhes dás muita atenção é porque os estragas de mimo, se tentas ter vida própria é porque és um pai/mãe desleixado.

Se lhes ralhas mais alto um bocadinho é porque és bruto, se lhes dás uma sapatadinha nas mãos ou na fralda és acusado de violência. Se tentas pela via do diálogo com palavrinhas mansas e o puto não liga nenhuma, é porque estás a ser permissivo e a criar um adulto sem limites que vai tentar o suicídio da primeira vez que ouvir um não da namorada.

Eu queria dizer tanta coisa, mas não tenho tempo.

Digo apenas que os pais/mãe de hoje em dia vivem com a espada da incompetência a milímetros da cabeça.

Eu? Eu tento fazer o meu melhor. Dentro das minhas limitações temporais e, agora infelizmente, de saúde também. Por isso, estou de consciência tranquila e o sorriso do meu filho, os seus beijos e abraços dizem-me que sim, sou somos bons pais, apesar de nem sempre brincarmos com imaginação de criança porque, perdoem-nos, somos adultos.

À autora desse texto digo apenas: perdoa-me por ter crescido e não conseguir brincar com o meu filho como se tivesse a imaginação da idade dele. Perdoa-me por estar cansada por me ter levantado 3 vezes durante a noite para lhe medir a temperatura e limpar a cama vomitada e ainda assim estar ao serviço às 08.30 h. Olha, perdoa-me por ser humana.



terça-feira, 7 de abril de 2015

Coisas que me irritam

Vi 2 minutos de uma reportagem na SIC.

Basicamente era sobre o aumento de beneficiários do banco alimentar…

Que cada vez mais pessoas de classe média lá vão parar a pedir ajuda...

Dizia a entrevistada, uma utente do serviço, que não se deve ter vergonha porque a necessidade pode bater à porta de qualquer um. Coisa que concordo plenamente já que ninguém sabe o dia de amanhã e obviamente ninguém quer que os filhos passem fome. O que não gostei de ver foi que a senhora, de cor, preta, mulata, escura, o que lhe quiserem chamar, tinha cabelo grosso e esticado. O que é estranho, uma preta de cabelo liso não é normal, não me venham cá phoder.


E lá está, o que me irrita é que há gente com as prioridades trocadas, com dinheiro par alisamentos mas sem dinheiro para comida. Isso é que me irrita!!!

quinta-feira, 26 de março de 2015

Procuro

Neurocirurgião especializado em coluna vertebral/medula espinal.


O que eu tenho a dizer sobre o acidente aereo...

Só tolos, phoda-se!!!

Mas porque é que o gajo (aposto que está enterrado em dividas) não se atirou de uma ponte abaixo depois de ingerir meio kilo de cianeto?

segunda-feira, 23 de março de 2015

Mas alguém que me explique?

Correr nas maratonas dá dinheiro?
 
… Mas é que tem que ser muito, meesmo muuito para elas lá irem com poucas horas de sono e despejarem os filhos bebés nas avós.
 
Se bem que comigo?...Nem a pagar! Porquê?
 
1º pretendo passar o máximo de tempo possível com o meu filho. Já basta deixá-lo na avó quando tenho que trabalhar
2º não tive filho para ganhar dinheiro com ele em publicidade, patrocínios, livros e afins
3º adoro dormir
4º já “corro” o suficiente à semana, entre levantar, vestir, maquiar, estender roupa, escovar o gato, dar o leite ao miúdo, vesti-lo, sair de casa, deixá-lo na avó, enfiar-me no carro novamente, chegar ao trabalho e picar o ponto a horas. Também na hora de almoço costumo fazer jogging entre trabalho-casa mãe-farmácia-trabalho.
5 º não tenho gordura para queimar
6º estou com mau feitio

terça-feira, 17 de março de 2015

Se a moda pega, não tarda nada, temos as autoestradas bloqueadas por centenas de calhaus cravados em alcatrão.

E quando eu pensava que o caso do Meco estava arrumado vejo dois trambolhos de mármore cravados em plena praia com o nome dos
 
coitadinhos que faleceram enquanto trabalhavam arduamente para sustentar as suas famílias
 
dos jovens vitima de uma onda maquiavélica que em conjunto com Deus _todo _poderoso _João _Gouveia  sofreram um castigo brutal
 
sedentos de poder que decidiram rebaixar-se a práticas de praxe para pertencer a um grupo de elite
 
estudantes bêbedos e/ou drogados  que decidiram ir brincar para a praia de madrugada no inverno
 
infelizes, vitimas de um acidente trágico e que todos lamentamos.
 
Por momentos pensei que seria uma escultura de homenagem realizada por colegas da Universidade, sei lá, do curso de artes ou assim, mas não.
 
Aquele trambolho é obra do escultor João Cutileiro que, a troco de uma bela quantia paga pelos papás das vitimas - interessadas a dar espetáculo porque querem que fique provado, a todo o custo, que os filhos eram uns santos dignos de estátua – lá veio concordar que “a história está a ser muito mal contada”.
 
Isto não basta fazer luto. É preciso fazê-lo em grande!
 
 
         

sexta-feira, 13 de março de 2015

O porquê de eu detestar médicos

Nasci com um tumor na coluna visível a olho nú – O médico disse que só se operava caso inchasse: MENTIRA!
 
Em 2007 fiz uma ressonância magnética para estudar o tumor e o neurologista diz: “ah isto dá-lhe dificuldades em andar em bicos de pé, não dá?” – NEGLIGÊNCIA: o burro do médico não detectou que as raízes da zona pélvica estavam comprimidas e consequentemente a provocarem-me problemas de bexiga.
 
Em 2012 repeti ressonância magnética após pioria dos sintomas – O neurocirurgião diz que operar não garante melhoria dos sintomas. INFORMAÇÃO INCOMPLETA. Esqueceu-se de dizer que operar podia evitar pioria dos actuais sintomas e surgimento de novos.
 
Conclusão: não tenho sorte nenhuma!
 
Estado actual: kgs de exames para mostrar ao medico de família para ser reencaminhada para um hospital central a fim de ser, ou não, operada à medula devido a agravamento e surgimento de novos sintomas.  Prevejo entraves e chatices, perda do processo e filas de espera e reclamações e eu a mandar tudo prá puta que os pariu…
 
Entretanto aguardo consultas a titulo particular com neurocirugiões para aferir da sua opinião.
 
Tudo bem, portanto!

quarta-feira, 11 de março de 2015

Sou só eu?

Que tem que fazer um esforço enorme para perceber o que o Herman José diz e quando percebo não lhe acho piada nenhuma?

É que ele parece um pavão...

segunda-feira, 2 de março de 2015

A pedido de muitas familias

Conto rapidamente o meu dia dos namorados:

Pela primeira vez, desde que o Eduardo nasceu, fomos dormir uma noite fora. Sim, 19 meses depois lá deixámos o miúdo com quem? Com a minha santa mãe, quem mais haveria de ser?!

Fomos jantar ao solar dos presuntos (adoro!!!) e dormir ao Altis. Usei uma lingerie difícil de colocar e pior de tirar... aquilo não dá jeito nenhum, a menos que não se use cuecas...mas pronto, avançando.: Foi dormir sossegaditos numa cama XL até o corpo acordar por si.

Almoçamos do Arcos e regressamos ao norte para encher o rapaz de beijos. Rapaz esse, que nem deu por falta dos pais...e anda uma mãe a criar um filho para isto.

Prendas: dei-lhe uma gravata Boss e recebi uma camisa de fato e um casaco de malha.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Façam lá o jeito ao velhinho

Nos 10 minutos de tv que vi passou uma entrevista a um senhor de 92 anos que está muito aflito porque perdeu 100.000 eur nas aplicações do BES. Haveria muito para dizer, mas não tenho tempo.

Só acho que alguém poderia deixar o homem morrer sossegado e passar-lhe um cheque para ele levar no caixão.

Depois EU é que sou má.

Quer-se dizer, uma pessoa trabalha a vida toda para quando morrer levar o caixão forrado a notas de 500 eur e depois, nada!

Depois EU é que sou má!

Tenho dito.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Oh querida tens que comer muita sopinha

Ando eu sossegadinha a viver a minha vida e com pouco tempo para cá vir mas ainda assim consegui conquistar uma anónima ressabiada e de mal com o mundo.

Por respeito a quem passa por aqui não publico o comentário de índole insultuosa e sexual que tal infeliz deixou. No entanto, agradeço- lhe bastante a gargalhada que me provocou...

Querida, se achas que me atinges com palavrões deves ser ingénua, ou melhor, burra mesmo! Ainda tu não eras nascida e já eu os conhecia a todos. Quanto ao bacanal que sugeriste, faltou incluires o gato. Sim, sexo sem gato não tem piada. Só posso concluir que és uma fedelha adolescente virgem, não por opção, mas porque ninguém te pega. Um elefante deve ser mais atraente que tu.

Obrigada por alegrares este fim de dia. Passa cá mais vezes, pode ser que tenha algo para ti. Se quiseres também te aconselho um bom cirurgião plástico a ver se dá um jeitinho a essas fuças nogentas cheias de acne, borbulhas e gosma.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Noite dos namorados

                                                              Altis

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Isto do implanon

Colocar não dói. Aliás, já dei peidos que me magoaram mais que a colocação do implante.
 
Levamos anestesia geral e ficamos com o braço doridos uns dias.
 
Diz a médica que é um método muitíssimo eficaz e que só perde efeito se tomarmos medicação para a epilepsia, tuberculose ou se engordar acima dos 90 kgs (never!!!).
 
É um método que impede a ovulação e transforma o útero num ambiente hostil.
 
É válido por 3 anos.
 
É suposto ao fim de uns meses deixar de ter menstruação.
 
Vamos lá ver…

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Estou in

Eu cá também treino.
Desde a semana passada, cá em casa mesmo.
E com a melhor personal trainer que eu conheço: Euzinha!
 
Sim, que eu cá não preciso que me ensinem a treinar. Depois de ter andado 6 anos seguidos no ginásio a treinar 5 vezes por semana, se eu não soubesse fazer uns minutitos de localizada estava bem tramada. O problema mesmo é a motivação. Já se sabe que treinar em casa leva muitas vezes à batota.
 
Vamos ver por quanto tempo mantenho esta determinação.
Para já ando dorida das perninhas e gluteos, o que significa que a coisa está a correr bem.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Mas porquê, porquê???

Quer-se dizer: há semana tenho que acordar o rapaz às 7.30 h para irmos à vidinha. Resmunga, espreguiça-se, resmunga novamente, faz birra, enfim, um drama.
Ao fim de semana teima em acordar às 8 da manhã.
Não há condições!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Suspiro

Gostava de comprar uma casa.

Uma moradia com um bocado de jardim para o meu filho correr na relva.

Até conheço bons negócios através do banco... Mas, obviamente, tal decisão implica vender/arrendar este apartamento... e eu tenho um carinho por ele que me impede de ponderar, sequer, tal facto.
...
...
...

domingo, 18 de janeiro de 2015

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Oh desculpem lá

Há algo que me está a escapar.
 
Eu gostaria que o dia tivesse 24 horas de dias e 12 horas de noite para não sentir que corro contra relógio.
Para não sentir que a minha cabeça anda a mil e as tarefas sobrepõem-se umas às outras.
Para não sentir que tenho pouco tempo para brincar com o meu filho, ou para dormir ou para namorar.
Para não engolir o almoço à pressa e ir a correr à farmácia ou à clinica marcar exames nos 60 minutos de pausa.
Para não estender a roupa enquanto faço o jantar e penso no jantar da noite seguinte.
E até gostava de ir ao ginásio no fim do sai mas isso implicava ter que sobrecarregar a minha mãe com mais trabalho e tempo com o Eduardo e, consequentemente, ter EU menos tempo para estar com ele, sim, é que o meu filho ( os dos outros não sei) às 21.30 h quer dormir. Ora se eu for pastar para o ginásio chego a casa à hora de quê? Adormecê-lo? E foi para isso que eu tive filhos? Para os deixar ao encargo eterno dos avós, para nem lhe meter as vistas em cima?
Eu devo ser ou muito exigente ou muito picuinhas porque eu não percebo como é que casais com filhos pequenos têm tempo para eventos sociais várias vezes por semana, ginásios, maratonas, etc e tal. Só se não trabalharem, ou se tiverem empregada todos os dias da semana, ou se não dormirem, ou se deixarem os filhos com alguém dias e noites a fio.
Ou não são humanos, não precisam comer nem dormir, ou então eu sou muito fraquinha. Deve ser mais isso. É que eu só tenho tempo para trabalhar, tratar da casa e estar com o meu filho. Se calhar sou eu que, mãe de primeira viagem, leve esta história da maternidade muito a sério. Se calhar se chegasse ao terceiro já não lhes ligasse nenhuma. Ou então sou eu que ligo demais. Mas se não é para se ligar aos filhos para quê tê-los?
Não percebo, eu não tenho tempo para nada e os outros têm tempo para tudo? Fazer as refeições, as sopas dos filhos, passar a sua roupa a ferro, tratar da casa não lhes ocupa tempo? É que mesmo ao fim de semana o tempo voa. Só me dou ao luxo de dormir a sesta com o miúdo… Devo dormir demais…
Não estou a dizer eu sou melhor mãe que as outras. Só digo que não entendo como é que eu não tenho tempo para nada e outras têm tempo para tudo.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Mãe de primeira viagem… já nem tanto

 Ora 18 meses de maternidade e cá vão umas dicas:
Bronquiolites, catarro e afins.
Perdi a conta ao numero de bronquiolites que o Eduardo apanhou nos 9 meses que esteve no infantário.
Para ajudar a libertar toda a porcaria acumulada na garganta um dos truques mais usados cá em casa foi fazer o miúdo tossir. E para o fazer tossir tínhamos que o fazer chorar…. (De notar que o meu filho sempre foi um bebé que chorou pouco). Então, fechávamos o rapaz no parque e saiamos da sala. Era tiro e queda. Ele começava a chorar, a chorar, enervava-se, vinha a tosse e a seguir vomitava o catarro todo. Claro que só fazíamos isto antes das refeições, ou seja, de barriga vazia.
Engolir remédios amargos, tipo Celestone, rosilan e afins
Este truque foi indicado por uma médica de urgência pediátrica. Eu teria agradecido imenso que a NOSSA pediatra o tivesse contado e assim evitado que o miúdo vomitasse sempre que tinha que lhe dar o remédio que tanta falta lhe fazia.
É muito simples: basta misturar o dito cujo num pouco de ben-u-ron liquido. Docinho, docinho…

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Natas de soja

Já por aqui contei que sou intolerante à lactose fiquei recentemente intolerante à proteína do leite o que limita bastante as opções alimentares.
Como sou gulosa e posso comer à vontade que não engordo (52.5 kgs- é a ruindade) resolvi dedicar-me (fui forçada confesso) à cozinha (bláááá´).
 
Segue aqui uma receita de natas conventuais (de soja, 100% isenta de leite)
 
Para  aproximadamente 20 natas:
 
1/2 litro natas de soja (só conheço as da Alprosoya)
10 gemas
250 g açúcar amarelo
2 pacotes de massa folhada congelada pingo doce
 
 
Num tacho colocar as natas de soja, as gemas e o açúcar. Levar ao lume mexendo continuadamente com uma colher. Quando levantar fervura, retirar.
 
(A massa folhada tradicional tem leite. O pingo doce tem massa folhada congelada isenta de leite. Aliás este hipermercado tem um folheto só de produtos isentos de leite. Já agora sabiam que as batatas fritas de pacote têm leite? Ah e as congeladas também! E os rissóis congelados têm leite e quase todos os bolos de padaria têm leite, algumas cápsulas de café e chã têm leite, fiambre tem leite)
 
Depois da massa descongelada, passar o rolo e forrar as formas. Recheá-las com o preparado anterior e levar ao forno previamente aquecido a 210º por 20 a 25 minutos consoante as queiram clarinhas ou mais escuras.
 
Depois de arrefecidas, desenformar.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Colecção de cromos

Pensavam que por sair do atendimento que me livrava deles? Não! Os cromos estão por todo o lado.
 
Então estava eu a “vigiar” a conta de um caloteiro com crédito em atraso e não é que o  fulano não paga as dividas mas anda a fazer comprar em ourivesarias? Ah pois é! O coitadinho não deve ao banco porque não tem dinheiro para comer, não! Ele deve ao banco porque foi gastar umas centenas na ourivesaria…
 
Coitadinho…e os bancos são todos uns ladrões que metem a malta a viver debaixo da ponte…

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Update

Tenho tido pouco tempo para cá vir e no trabalho tenho o blogger bloqueado…o que não ajuda nada.
 
Finalmente saí do atendimento ao público e fui transferida para os serviços centrais. Oh meus amigos. Vida abençoada!
 
O meu filho saiu do infantário há 3 meses. Neste período apanhou um virose de 3 dias quando foi à consulta de rotina e andou a brincar com os brinquedos do consultório. Escusado será dizer que tão cedo não vai à medica…