quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Suspiro

Gostava de comprar uma casa.

Uma moradia com um bocado de jardim para o meu filho correr na relva.

Até conheço bons negócios através do banco... Mas, obviamente, tal decisão implica vender/arrendar este apartamento... e eu tenho um carinho por ele que me impede de ponderar, sequer, tal facto.
...
...
...

domingo, 18 de janeiro de 2015

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Oh desculpem lá

Há algo que me está a escapar.
 
Eu gostaria que o dia tivesse 24 horas de dias e 12 horas de noite para não sentir que corro contra relógio.
Para não sentir que a minha cabeça anda a mil e as tarefas sobrepõem-se umas às outras.
Para não sentir que tenho pouco tempo para brincar com o meu filho, ou para dormir ou para namorar.
Para não engolir o almoço à pressa e ir a correr à farmácia ou à clinica marcar exames nos 60 minutos de pausa.
Para não estender a roupa enquanto faço o jantar e penso no jantar da noite seguinte.
E até gostava de ir ao ginásio no fim do sai mas isso implicava ter que sobrecarregar a minha mãe com mais trabalho e tempo com o Eduardo e, consequentemente, ter EU menos tempo para estar com ele, sim, é que o meu filho ( os dos outros não sei) às 21.30 h quer dormir. Ora se eu for pastar para o ginásio chego a casa à hora de quê? Adormecê-lo? E foi para isso que eu tive filhos? Para os deixar ao encargo eterno dos avós, para nem lhe meter as vistas em cima?
Eu devo ser ou muito exigente ou muito picuinhas porque eu não percebo como é que casais com filhos pequenos têm tempo para eventos sociais várias vezes por semana, ginásios, maratonas, etc e tal. Só se não trabalharem, ou se tiverem empregada todos os dias da semana, ou se não dormirem, ou se deixarem os filhos com alguém dias e noites a fio.
Ou não são humanos, não precisam comer nem dormir, ou então eu sou muito fraquinha. Deve ser mais isso. É que eu só tenho tempo para trabalhar, tratar da casa e estar com o meu filho. Se calhar sou eu que, mãe de primeira viagem, leve esta história da maternidade muito a sério. Se calhar se chegasse ao terceiro já não lhes ligasse nenhuma. Ou então sou eu que ligo demais. Mas se não é para se ligar aos filhos para quê tê-los?
Não percebo, eu não tenho tempo para nada e os outros têm tempo para tudo? Fazer as refeições, as sopas dos filhos, passar a sua roupa a ferro, tratar da casa não lhes ocupa tempo? É que mesmo ao fim de semana o tempo voa. Só me dou ao luxo de dormir a sesta com o miúdo… Devo dormir demais…
Não estou a dizer eu sou melhor mãe que as outras. Só digo que não entendo como é que eu não tenho tempo para nada e outras têm tempo para tudo.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Mãe de primeira viagem… já nem tanto

 Ora 18 meses de maternidade e cá vão umas dicas:
Bronquiolites, catarro e afins.
Perdi a conta ao numero de bronquiolites que o Eduardo apanhou nos 9 meses que esteve no infantário.
Para ajudar a libertar toda a porcaria acumulada na garganta um dos truques mais usados cá em casa foi fazer o miúdo tossir. E para o fazer tossir tínhamos que o fazer chorar…. (De notar que o meu filho sempre foi um bebé que chorou pouco). Então, fechávamos o rapaz no parque e saiamos da sala. Era tiro e queda. Ele começava a chorar, a chorar, enervava-se, vinha a tosse e a seguir vomitava o catarro todo. Claro que só fazíamos isto antes das refeições, ou seja, de barriga vazia.
Engolir remédios amargos, tipo Celestone, rosilan e afins
Este truque foi indicado por uma médica de urgência pediátrica. Eu teria agradecido imenso que a NOSSA pediatra o tivesse contado e assim evitado que o miúdo vomitasse sempre que tinha que lhe dar o remédio que tanta falta lhe fazia.
É muito simples: basta misturar o dito cujo num pouco de ben-u-ron liquido. Docinho, docinho…

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Natas de soja

Já por aqui contei que sou intolerante à lactose fiquei recentemente intolerante à proteína do leite o que limita bastante as opções alimentares.
Como sou gulosa e posso comer à vontade que não engordo (52.5 kgs- é a ruindade) resolvi dedicar-me (fui forçada confesso) à cozinha (bláááá´).
 
Segue aqui uma receita de natas conventuais (de soja, 100% isenta de leite)
 
Para  aproximadamente 20 natas:
 
1/2 litro natas de soja (só conheço as da Alprosoya)
10 gemas
250 g açúcar amarelo
2 pacotes de massa folhada congelada pingo doce
 
 
Num tacho colocar as natas de soja, as gemas e o açúcar. Levar ao lume mexendo continuadamente com uma colher. Quando levantar fervura, retirar.
 
(A massa folhada tradicional tem leite. O pingo doce tem massa folhada congelada isenta de leite. Aliás este hipermercado tem um folheto só de produtos isentos de leite. Já agora sabiam que as batatas fritas de pacote têm leite? Ah e as congeladas também! E os rissóis congelados têm leite e quase todos os bolos de padaria têm leite, algumas cápsulas de café e chã têm leite, fiambre tem leite)
 
Depois da massa descongelada, passar o rolo e forrar as formas. Recheá-las com o preparado anterior e levar ao forno previamente aquecido a 210º por 20 a 25 minutos consoante as queiram clarinhas ou mais escuras.
 
Depois de arrefecidas, desenformar.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Colecção de cromos

Pensavam que por sair do atendimento que me livrava deles? Não! Os cromos estão por todo o lado.
 
Então estava eu a “vigiar” a conta de um caloteiro com crédito em atraso e não é que o  fulano não paga as dividas mas anda a fazer comprar em ourivesarias? Ah pois é! O coitadinho não deve ao banco porque não tem dinheiro para comer, não! Ele deve ao banco porque foi gastar umas centenas na ourivesaria…
 
Coitadinho…e os bancos são todos uns ladrões que metem a malta a viver debaixo da ponte…

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Update

Tenho tido pouco tempo para cá vir e no trabalho tenho o blogger bloqueado…o que não ajuda nada.
 
Finalmente saí do atendimento ao público e fui transferida para os serviços centrais. Oh meus amigos. Vida abençoada!
 
O meu filho saiu do infantário há 3 meses. Neste período apanhou um virose de 3 dias quando foi à consulta de rotina e andou a brincar com os brinquedos do consultório. Escusado será dizer que tão cedo não vai à medica…