domingo, 28 de junho de 2015

3 anos de blog

Fez este fim-de-semana 3 anos que iniciei o blog.

Desabafos de uma mulher que "tinha tudo e não tinha nada". Boa vida, viagens, jantares, sestas ao fim de semana. Paz e sossego. Até ao dia em que o relógio biológico acordou aos berros.

Eu passei a querer um filho mas o meu namorado não queria. Dilema: ele não tinha o direito de me impedir de ser mãe nem eu tinha o direito de o obrigar a ser pai.

Meses passaram e acabei por engravidar na semana do meu aniversário, da primeira vez que fizemos amor sem protecção.

Entre uma gravidez de risco, o nascimento, a retirada do infantário por estar sempre doente, a mudança de posto de trabalho para os serviços centrais, e o Eduardo prestes a fazer 2 anos, somos uma família feliz e realizada.

Não sei como consegui viver tantos anos sem este miúdo na minha vida. Viajamos e jantamos fora menos vezes mas a nossa vida está completa e com sentido.

Eduardo és o nosso mundo.

Mandamos um homem ao supermecado

Entre outras coisas pedimos para comprar ice tea de LIMÃO e SHAMPOO para cabelo pintado.
Resultado:



terça-feira, 16 de junho de 2015

Meter nojo

Amanhã entro de férias.
Domingo vamos para Sul de Espanha - Barceló Punta Umbria.
I see you there?




sexta-feira, 12 de junho de 2015

Planos para o fim de semana

Sexta à tarde: ir ao parque e ao supermercado com o Eduardo (Sim, eu não trabalho à sexta à tarde- por enquanto)

Sexta à noite: jantar
                      - entradas: allheira assada e presunto
                      - refeição: coxinhas de frango recheadas com picados vários assadinhas no forno com batatas e arroz branco.
                        vinho: Lambrusco
                        sobremesa: não há, não tenho tal hábito.

Sábado de "madrugada": ir para o salão fazer unhas de gel e depilação

Sábado à tarde: dormir a sesta e depois tentar fazer alguma actividade onde o Eduardo não apanhe frio...

Domingo: fazer sopa de carne, fazer sopa de peixe, passar a ferro, fazer tarte de laranja e merengue e entrar na neura do "quase segunda-feira".

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Trabalho há muito, remunerado é que não!

Ora que a minha irmã foi a uma entrevista para emprego e ficou de se apresentar a titulo "experimental" na manhã seguinte.

Chegada ao local a empregadora adiantou que "está crise", que "nem sempre"paga a horas e que a última empregada tinha ido embora sem avisar.

Em conversa com a funcionária que já lá trabalhava há 4 meses foi-lhe dito que "nem sempre recebia o salário pela totalidade".

Posto isto a minha irmã, à saida para almoço disse:

- Já não regresso. Para trabalhar de graça fico em casa que há lá muito que fazer.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Efeitos secundários do implanon

Regresso ao passado - adolescência - espinhas e borbulhas no peito e costas.

Aumento do prazer sexual.

Ausência de menstruação.

Sinto o cabelo mais fraco mas não sei se será do implante...

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Despedi a empregada. Satisfeitos?

A partir de agora vai ser assim:






Espero que ninguém fique com peso na consciência por ter contribuído para o aumento do desemprego.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Oh macho latino, sente-se aqui por favor, tenho umas coisinhas a dizer-lhe

Isto é assim:

Tolerar mulheres ressabiadas porque não se sustentam sozinhas e têm que aturar homem para as ajudar nas contas e, logo, não poderem pagar empregada, eu até tolero. Coitadas!

Agooooraaaaa

Virem para aqui HOMENS ressabiados porque ACHAM que quem paga a empregada é o coitadinho do explorado do marido, a coisa muda de figura!!!

Caro "Rico em humildade" a ver se eu percebi:

Uma mulher tem de ser criada do marido! Não deve ter empregada para não gastar o dinheirinho do maridinho para assim lhe sobrar mais para ele gastar em, sei lá, putas, tabaco, vinho, casino, carros, whatever!?
Ou seja, a mulher deve tratar da casa de toda a familia sozinha, trabalhar fora e ainda ter que passar horas agarrada aos tachos, ao aspirador, ao pano do pó, ao ferro de engomar,  e com um sorriso nos lábios!!!Já o homem, que não gosta de fazer a ponta-de-um-corno em casa, deve ficar com os tomates assapados no sofá a assistir à cena. Caso este possa e queira aliviar a lide doméstica para evitar conflitos resultantes da repartição de tarefas, caso queira que haja mais tempo para estarem com os filhos, então, ele é um coitadinho de um explorado!!! Certo!?

E em resposta à sua pergunta: Não, não lhe vi o saldo bancário! Mas de todos os que corriam atrás de mim depois do divórcio escolhi o Mais rico. Sabe, é que pior que aturar homem, ter que cozinhar todos os dias, lavar cuecas, aturar os seus roncos de noite e os peidos ao longo do dia, levar com a sogra, a cunhada, a ex-mulher, os afilhados da ex-mulher, os amigos, nunca ter o controle do comando da TV,  ter o tampo da sanita sempre para cima, o frigorífico cheio de cervejas e o facto de ser benfiquista, pior mesmo mesmo, é aguentar isto tudo e ainda levar com um gajo pobre que tem que contar tostões.

Amor e uma cabana não é para mim. É público e o próprio foi informado atempadamente.

Orgulho-me de dizer que me sustento sozinha, não preciso de homem para me pagar as contas mas é bom que o faça de vez em quando. É bom poder frequentar restaurantes caros, hoteis de 5 estrelas, ir de férias para as Maldivas, andar em bons carros. Sim, é MUITO bom!

Se o meu marido fosse assim tão maltratado e explorado, como acusa, já se teria ido embora. Pelo que, pelo seu raciocinio, só posso tirar uma conclusão: EU SOU MESMO BOUA CARÁLHO!