quarta-feira, 29 de julho de 2015

Era uma vez… (não recomendado a sensíveis e/ou inocentes que acreditam no pai Natal)

Era uma vez uma menina de vinte e poucos anos.

Linda, alta e de cabelos compridos a bater no fundo das costas.

Essa menina vinha de famílias pobres e trabalhava há uns anos, ganhando o ordenado mínimo.

Certo dia é-lhe diagnosticado cancro.

Um dos traumas dessa menina foi perder o seu lindo cabelo. Não tinha possibilidades para mandar fazer uma peruca com o seu próprio cabelo.

Quando o rapou chorou. Imenso.

Depois da batalha veio a vitória e a menina, felizmente, está bem e já regressou ao trabalho.

Após receber o seu primeiro salário a menina fez extensões no cabelo.

(Esta é uma história verídica. Qualquer semelhança com campanhas eleitorais é pura coincidência.)

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Expliquem-me como se eu fosse MUITO BURRA

Uma pessoa entra nas urgências de um hospital do SNS ás 6.30h.

Está com uma toalha encharcada em sangue que corre abundantemente.

Apresenta-se ao guiché com o cartão de cidadão e acrescenta que é isenta.

Dizem-lhe que tem que apresentar o documento comprovativo da isenção, que estão sem sistema e que não é chamada para triagem enquanto o sistema não "regressar".

Entretanto continua a sangrar.

Na triagem dão-lhe pulseira AMARELA.

Espera.

É cozida e tem que fazer um raio x à cabeça, mas como não há sistema não o pode fazer.

Tem que tomar medicação mas como não há sistema não a podem passar.

Resolve ir ao centro de saúde.

Á saída do hospital, às 10 hrs, pede uma justificação para apresentar no trabalho mas não conseguem tirar porque não há sistema e a impressora não funciona.

Digam-me: isto é normal? É que eu deixei de compreender aquando da pulseira AMARELA!!!

A pulseira laranja é para quem? Mortos-vivos?
E a vermelha deduzo que é para estado clínico: Morto, não?!



sábado, 18 de julho de 2015

Ah e então conta lá como é o Barceló Punta Umbria

Basicamente é como estar num parque infantil.

É crianças por todo o lado. Tem excelentes condições para os miúdos, várias actividades, várias piscinas, parque infantil, boa comida e praia, um areal imenso, mesmo do outro lado da rua.

Para o ano regressamos mas no nosso carro e no conforto e segurança da nossa cadeira Cibex. Não compensou, nem em termos financeiros nem em termos de horas dispensadas, termos ido de avião Porto-Faro.

Ah e tal, pela Raynair o voo é barato e rápido.

     Nem sempre! Se levarmos bagagem de porão - e com miúdos pequenos temos mesmo de lavar a tralha toda atrás- o voo encarece ( e acresce o custo do parque de estacionamento low cost).
                           Se contarmos com a viagem de casa até ao aeroporto, mais o tempo de check-in, voo, levantar malas, levantar carro alugado (1 hora à espera), parar no supermercado para comprar fraldas, boiões de fruta, leite e não sei mais o quê para o puto, e mais hora e meia de estrada até ao hotel... Chegamos lá mais depressa e mais confortáveis na nossa viatura.

Ficamos perplexos com a quantidade de casais com 3 filhos. TRÊS!!! Nós devemos ser mesmo fraquinhos porque UM chega-nos perfeitamente!!!
Aliás, penso que éramos o único casal com um filho, tenho em conta que nos outros elas já ostentavam a barriga de grávida do segundo.

A comida era muito boa e variada. O hotel tem a politica de turnos para melhor organização. Atribuem um turno ao quarto e vamos comer dentro daquele horário. Escolhemos o tudo incluído mas há outras opções.

Também tem SPA e Piscina interior mas não usamos por isso não sei como é.

Só não concordo com a politica de estacionamento pago pelos hospedes. Eu bem sei que aquela zona é muito procurada mas 10 eur/dia acho demais, assim como 13 eur por duas espreguiçadeira à beira-mar. Mas lá está, só paga quem quer.

Para o ano há mais.



quinta-feira, 16 de julho de 2015

Era suposto ninguém reparar? (Não recomendável a sensíveis)

Eu já me ando a conter há uns dias mas aqui vai:


Mostrar publicamente careca de quimioterapia é como ter mamas de silicone e usar decote até ao umbigo: 

                            É ÓBVIO QUE TODOS VÃO REPARAR!!!

Logo: é óbvio que o objectivo era CHAMAR A ATENÇÃO.

Na vida politica nada se faz inocentemente…


Não menosprezando o momento difícil, é óbvio, que não levou um lencinho na cabeça ou uma peruca discreta (porque dinheiro não lhe falta para comprar um das boas) porque não quis. E não quis porquê?

 Ah e tal, está no direito dela!
Pois está. Assim como a malta está no direito de comentar a torto e a direito, afinal o tempo da ditadura já acabou. 


quarta-feira, 15 de julho de 2015

Conhecedores da Madeira digam qualquer coisinha

Estou a namorar este hotel, para ida em Setembro, mais por causa do acesso a praia do que por qualquer outra razão. Alguém conhece o hotel e a praia de Machico?

Dom Pedro Baia Club - 4 estrelas

http://www.dompedrobaiahotel.com/pt/index.html

terça-feira, 14 de julho de 2015

???

Quando eu tinha 18 anos (a long time ago, portanto) trabalhei uns meses numa loja de pronto a vestir.

O meu (futuro) cunhado fazia uns biscates de fotografia e um cliente pagou-lhe em cheque.

Como eu passava todos os dias à porta daquele banco a caminho do trabalho, ofereci-me para levantar o cheque. O meu pai disse que me dava 50 contos (250 eur) caso eu o conseguisse fazer. Na altura eu não percebi ao que o meu pai se estava a referir. Agora percebo perfeitamente. O cheque cruzado só pode ser pago, ao balcão, a clientes da mesma instituição, o que não era o caso. No entanto, eu consegui fazê-lo1

É claro que não estava à espera que cumprisse a palavra mas volta e meia, em ambiente de galhofa e apostas e tal, eu ia sempre relembrando o acontecimento.

Ontem, (20 anos depois) ele disse à  minha mãe para levantar essa quantia do banco e me entregar porque "ele é um homem de palavra".

Das duas uma: ou está com peso na consciência ou tem medo que eu morra na cirurgia à medula e depois o venha atormentar... Só pode!

domingo, 12 de julho de 2015

Pá, a sério, expliquem-me como se eu fosse MUITO burra

Ai e tal estou depois do ter tido o meu filho engordei muito.”

Pá não percebo. Não é má vontade é não perceber mesmo!!!

Uma coisa é uma pessoa alargar de ancas, ficar com 2 ou 3 kgs a mais. Pronto, vá que não vá. Se bem que eu meses depois do parto estava com menos 7 kgs do que quando engravidei, mas pronto…Já estou a dar tolerância.

Agora: Estar um cachalote 2 anos depois do miúdo nascer e dizer que a culpa foi da gravidez, desculpem lá. A gravidez não tem nada a ver com isso. Vocês já ERAM CACHALOTES antes de engravidar, não ponham as culpas na criança.

Eu afirmo: NÃO SEI COMO É QUE MULHERES COM FILHOS PEQUENOS ENGORDAM!!! NÃO SEI!!!

1º- Tempo: Sim, onde arranjam tempo para comer? E falo ainda no período de amamentação! Há dias em que nem tempo para mijar quanto mais comer! Depois do regresso ao trabalho, nem se fala!

2º - Vontade: e havendo tempo, qual a vontade? Se o dia correu bem e lá se conseguem sentar a jantar por cinco minutos é levantar-se da cadeira 10 vezes. Seja para apanhar brinquedos, para lhe meter a chupeta,  para limpar vomitado, para trocar a fralda acabadinha de borrar, para ir socorrer o puto que se espetou contra a esquina da porta e está todo pisado a chorar e consequente vómito seguido de banho…, para proteger o gato que vai levar um puxão de cauda e antes que ferre no puto mais vale lá ir dizer “não, não”.

Que canseira. Deixem-me lá ir dormir um bocado!!!

3.º - E as doenças? Sim, os vossos filhos não vos pegam as viroses, caganeiras e afins?


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Comentário que vira post


Em relação àquela mulher que agora virou heroína porque FINALMENTE deixou o gajo que a espancava e traia:

Eu não percebo.
A primeira podemos apanhar todos.
As restantes só apanhamos se quisermos.
Esta gente vive como se não houvesse mais homens à face da terra e, pior, como se fosse preciso homem para se viver.
E mais: não só acreditam no Pai Natal como acreditam que ele vai mudar, que não vai voltar a acontecer...
Really???

Então e o aniversário do Eduardo?

Correu mal…

O miúdo foi à consulta de rotina dos 2 anos no Sábado e no Domingo já estava com uma virose/gastroenterite/ou-outra-merda-qualquer que o pôs a vomitar de meia em meia hora.


Passado umas horas estava o pai no mesmo estado acrescido de diarreia e passado um dia estava a mãe. Nos dias seguintes atingiu o avô e a madrinha. Nada de grave mas o suficiente para impedir clima de festa. Vale que a minha irmã mais velha fez um bolinho no fim-de-semana seguinte e o miúdo já estava óptimo para correr, saltar e cair na relva.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Really???

Está mesmo a dar em directo a trasladação do Eusébio em dois dos quatro canais nacionais???

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Palavras infelizes que só quem não tem filhos profere (ou tem mas nunca lhes trocou uma fralda na vida)

A propósito do menino de 3 anos que morreu atropelado na marginal de Vila do Conde um homem na casa dos 40 anos disse:

- "A culpa é dos pais".

E eu não me virei a ele porque a conversa não era comigo, mas tive que me conter muito!!!

Ora quem tem filhos sabe que eles nos cegam, que num instante estão muito quietinhos e a seguir estão a trepar os móveis, a correr por todo o lado, tiram-nos as mãos e fogem, querem descer pelas escadas, correm nos corredores do supermercado enfim.

Uma criança pequena consome-nos. Quem nunca desejou ter 5 olhos e 8 mãos?

Oito mãos era o que aquele casal de Guimarães precisava ontem. Eles iam para a praia com o menino de 3 anos e o irmão de meses.
Oito mãos para poder tirar as tralhas todas da mala do carro, o filho de 3 anos e o irmão bebé de meses. Uma pequena distração e o miúdo corre em direcção à praia, no outro lado da rua, e é mortalmente atropelado. Dizem que a condutora não ia com velocidade.

Que culpa tem os pais? Eles só queriam proporcionar umas horas de diversão aos filhos. Um casal com 2 filhos não vai para a praia para descansar nem bronzear. Um casal com 2 filhos vai para a praia para os fazer felizes. Para lhes mostrarem o mar. Um casal com 2 filhos não consegue estar 2 minutos deitado na toalha. Um casal com 2 filhos não consegue dormir na praia. Um casal com 2 filhos leva tanta tralha atrás que até dá vontade de desistir.

Aquele casal está em sofrimento e não teve qualquer culpa do que aconteceu mas vão carregar esse peso, injustamente, para toda a vida pois eles próprios estarão a pensar "e se"...

Muita força, é tudo o que lhes posso dizer...