quarta-feira, 14 de outubro de 2015

E quando alguém que tu conheces se suicida?

Esta semana um cliente aqui do banco suicidou-se.

Não é a primeira vez que ouço falar de pessoas que, lá nas redondezas, decidem acabar com a própria vida.  Normalmente a minha reacção é encolher os ombros e dizer "paciência", foi o que eles quiseram.

Mas desta vez foi diferente.

Eu conheço o senhor. Atendi-o centenas de vezes. E quando digo centenas não estou a exagerar. Foram 8 anos a vê-lo ao balcão semanalmente. Era uma pessoa muito amável, simpático e acessivel. Daqueles clientes a quem não conseguimos dizer não. Fazíamos-lhe todas as vontades e não era por ser podre de rico, que não era, era mesmo porque era uma rica pessoa.

E fiquei muito triste quando soube que se suicidou. E fiquei  a pensar se não poderia ter feito nada para o ajudar. Senti o peso da "sociedade" porque afinal de contas a sociedade somos todos nós. E sinto que a sociedade falhou com ele. Ninguém sabe o porquê. Eu pergunto: ninguém reparou que precisava de ajuda? Mas, e o que é que podemos fazer?

Não sei. Só sei que fiquei triste e incomodada com o assunto.

1 comentário:

Timtim Tim disse...

O suicídio deixa uma sensação muito pesada. Muito mais que uma morte inesperada por um motivo de saúde qualquer. Deixa um monte de interrogações.