quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Como se diz aqui no norte: Paneleirices

Uma pessoa está no cabeleireiro e vê um semi-jovem (tradução: um gajo na casa dos 35 anos) a sentar-se numa cadeira de barbeiro depois de lavar a barba com loção apropriada.
A profissional altamente qualificada massaja a barba com creme por longos minutos e enrola uma toalha quente à volta do rosto retirando-a uns instantes depois e voltando a massajar por outros tantos, com outro creme e logo a seguir espalha a espuma com delicadeza.
Ajeita-se para começar a barbear, cuidadosamente, com uma navalha toda xpto. Eu pensei que ia fazer qualquer delineado com precisão milimétrica, de régua e esquadro, mas afinal retirou a barba toda, ao longo de vários minutos.
E depois volta a passar creme e massajar.
E eu até fiquei com vontade de ter barba só para receber uma massagem assim.

Depois uma pessoa desfolha uma revista e vê publicidade a extensão de pestanas. Nada de novo, claro está. Mas na sequência de fotos do antes/depois reparo que um exemplo de pestanas vigorosamente aumentadas são em olhos masculinos e a prová-lo está um  bocado da barba do sujeito.

E uma pessoa ainda não se tinha recomposto daquela imagem e já está a entrar pela porta do cabeleireiro uma mãe que queria marcar o alisamento de cabelo para o seu puto de 14 anos, porque ai e tal assim é mais fácil lavar o cabelo,.
E enquanto na minha mente vagueia a imagem de um puto selvagem com rastas enormes e ratos lá no meio e cabelo por lavar há meses, viro os olhinhos e vejo o chavalo com o cabelo tipo pente 3 dos lados e em forma de tijela o cabelo centrado que deveria medir uns 12 cms de altura - máximo - embora e sim, é verdade, alguma ondulação mas nada de especial.  E uma pessoa controla-se para não lhe dizer que já existem máquinas de rapar o cabelo há muito.

E eu fico a pensar que já não bastava os gajos fazerem depilação a laser, como nós, botox, como nós, manicure, como nós, sobrancelhas, como nós, spa, como nós, ainda se viram para as colorações, prós alisamentos, prás massagens e extensão de pestanas.... é caso para dizer que qualquer dia viramos lésbicas sem querer!

Eles estão mais femininos que nós!!!






segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Isto dos infantários, colégios e afins


Os trabalhos do colégio do Eduardo (3 anos de idade)

Dúvida existêncial de mãe de primeira viagem:

Mas porque é que quase todos os dias vêm trabalhinhos ,caixinhas, pinturinhas, cestinhos  - TRA-LHAS!!!! - que ele lá faz. Ai e tal que bonito, foste tu que fizeste? Sim - pumba para o lado e já não liga mais àquilo. E eu, que já ando com TRA-LHAS minhas, mochila do puto, casaco do puto, saco do pão, os legumes e as frutas e cuidado para não partir os ovos, camisas da lavandaria e sei lá mais o quê!!!! pelas escadas acima e escadas abaixo, ainda tenho que ter o cuidado de não esmagar a preciosa cesta com espiga e castanhas assadas, e ver se o puto não remanga pela escadas abaixo e se não calco o gato à entrada... Tudo sem fazer nenhum foguete nas meias!

É que uma pessoa olha para aqueles trabalhos tão bonitos e tal mas sem utilidade e pergunta ONDE RAIO VOU GUARDAR ISTO ? e a resposta mental é quase instantânea: caixote do lixo!!! Mas depois vem o remorso e tal porque foi o puto que fez e não-sei-mais-o quê...E vais ter saudades dele pequenino e blábláblá...

Resumindo: Só tenho tralhas...



quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Incongruências

Isto de ser blogger profissional não deve ser fácil.

Primeiro têm que ter sempre assunto para escrever e há os patrocínios, as publicidades, as parcerias, as presenças para eventos, as sessões fotográficas pelas ruas da cidade em vestidos reduzidos e costas ao leu debaixo de um frio de rachar, os livros para publicar e outras coisas que nem me passam pela cabeça.

E depois acontecem coisas estranhas como malta a dizer que se está a preparar para maratonas - nacionais, internacionais e de bairro também - trails e mais-não-sei-o quê, com personal trainer de alto gabarito, livros de motivação e técnicas cientificas de treino, sapatilhas xpto, relógios, cronómetros, bonés e afins...

E depois tropeçamos num post em que se queixam de cansaço matinal e dores no corpo, que  se calhar estão anémicos e vamos lá ver se não é deficiência de ferro,  e nem precisam ir à maquilhagem nem cabeleireiro porque a ocasião exige semblante pesado, e saia de lá mais um chequezinho pela publicidade a titulo diplomático e já marchou um almocito de graça, quer-se dizer, de graça não porque depois têm que agradecer publicamente ao restaurante do fim da rua...

E fico na dúvida se afinal serão saudáveis ou estarão doentes e respiro de alivio pela minha vida ser tão simples:

Afinal sou só bancária.


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Saga o nosso SNS # 3

A senhora minha mãe faz análises e exames de rotina todos os anos. Não falha.

Segundo o exmo. médico de família está sempre "tudo bem" mesmo quando ela se queixa de dores e os exames de despiste não acusam nada.(porque está a procurar no sitio errado)

Ano após ano ela queixa-se daquele incomodo ali em baixo e o médico repete o mesmo exame e conclui que "está tudo bem minha senhora, deve ser uma infeçãozinha, tome este antibiótico que passa".

Só quando ela tem uma crise e vai parar às urgências do hospital e lá lhe dizem que tem as análises ao sangue muito alteradas e que deveria ir ao médico de família - com urgência - é que se inicia TO-DO um festival que não lembra a ninguém...

 - "Então ainda há 2 meses fiz análises e exames de rotina e o meu médico diz que está tudo bem. Tenho-as aqui se quiser ver " Diz a minha mãe à médica da urgência. Esta olha para as análises e explica: "minha senhora estas análises não estão nada bem. Eu acho que devia pedir ao médico de família para estudar bem o seu caso porque eu acho que deve estar, no mínimo,  com problemas no baço. Eu acho que é algo grave mas não é aqui que se resolve".

Lá vai a minha mãe ao centro de saúde e é atendida por uma médica de recurso porque, felizmente, o médico de família estava de férias. Lá olha para as mesmas análises que o parvalhão já tinha visto há 2 meses e exclama após consultar outra colega: "minha senhora você tem aqui algo muito grave e que acusa alterações no sangue há 13 anos".

13 A NOS
13 ANOS
13 ANOS




quarta-feira, 16 de novembro de 2016

E por falar em férias, onde foste este verão Morango Azul?

Basicamente andei entre dois locais: douro e cabo verde.

Nós somos daqueles que quando adoram um sitio repetem-no várias vezes. Há quem prefira estar sempre a conhecer destinos e hotéis novos mas nós defendemos que "em equipa que ganha não se mexe", até porque com o miúdo quantas menos surpresas melhor.

Estivemos na ilha do Sal, em Cabo Verde, mas a nossa vontade mesmo era ir para a ilha da Boavista mas já não havia voos. Lá fomos com um bocadinho de receio do fenómeno "vento" de que tanto se fala. Fomos em Maio, ficamos no Riu Funana, tudo incluído, e quem se queixa do vento... é quem não mora no nosso litoral norte e desconhece o que são  nortadas geladas em pleno verão. Basicamente adoramos tudo, se bem que o mar deixou algo a desejar pois estava sempre bandeira amarela.

Em Outubro fomos até à ilha da Boavista e ficamos no Riu Karamboa. O hotel é mais acolhedor que o da ilha do Sal, o vento (mais fraco que no Sal) era absolutamente necessário e bem-vindo. O pessoal também era muito simpático e sentimos-nos muito bem neste lugar. Não sei explicar, a disposição do hotel faz com que se esteja perto de tudo, da piscina, da praia, dos bares, dos restaurantes. A comida boa e com muita variedade. Também aqui o mar desiludiu-nos pois esteve sempre bandeira vermelha.

 Basicamente, já excluímos a ilha do Sal no nosso roteiro de férias e para o ano em Setembro( porque há voos directos do Porto)  iremos novamente para ilha da Boavista.

Apesar do clima ser muito bom e o tempo de viagem ser aceitável (4 hrs) fica a faltar a tal praia paradisíaca, o tal mar cristalino onde os miúdos podem brincar à vontade (Isto em Maio e Outubro, nos outros meses não sei). Assim, já andamos a planear uma ida às caraíbas para o inicio do ano...

Em Portugal fomos algumas vezes até ao Douro e ficamos sempre no Hotel Douro Scala. As instalações são porreiras e a piscina de água quente faz toda a diferença quando temos um puto de 3 anos, com distúrbio de personalidade, que pensa que é pato. O restaurante do Hotel é agradável e naquela região come-se bem praticamente em todo o lado. Visitamos o "castas e pratos" - com um serviço fantástico -  aliás um dos melhores restaurantes onde já fomos - e também e o "cacho d óiro".

Já me esquecia, fomos ao Oceanário e as nossas jornadas gastronómicas levaram-nos ao "solar dos presuntos" e ao "maison andaluz". Sem palavras!!!!! Excelente!!!!!




segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Como manter a sanidade mental em tempos de stress

Planear férias.

Para perto, para longe, não interessa.

Férias.

Hoteis, praias, aviões.

Orçamentos, acessórios, duração dos voos.

Pontes, fins de semana, faltas, vale tudo.

Sol, sol e mais sol.



sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Como deixar de perder tempo em coisas essenciais mas que não nos trazem felicidade


#1 - Aderir às compras online

 Perder tempo nos corredores do supermercado, aguardar dolorosamente nas filas par apagar, carregar tudo 2 andares acima???... Acabou!!! Só compro os frescos numa qualquer mercearia de passagem e  em 5 minutos!!!


#2 - Lavandaria

Passar camisas? Quem eu? Já foi tempo!!! As funcionárias das lavandarias, tão simpáticas, precisam de trabalho coitadinhas.


#3 - Talho

Ligo a encomendar e depois é só levantar (não confio na carne dos hipermercados)


# 4 - Fisioterapia

Na hora do trabalho, com justificação!


E agora perguntam?

E o que fazes com esse tempo poupado?

EU? Corro para consultas, hospitais e centro de saúde com a minha mãe.  Ás vezes consigo ir uma horinha ao ginásio.

Próximo objectivo: conseguir sentar-me no sofá por 10 minutos diários... Se calhar estou a pedir muito...


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Saga: Nosso SNS # 2

O pessoal do Pedro Hispano revelou-se ser muito simpático, acessível e diligente. Nem tudo é mau, embora se excedam um pouco nas brincadeiras e conversas particulares entre eles, em termos de volume das gargalhadas, o que incomoda os doentes principalmente os que estão ainda no recobro a sofrer de dores e mal estar geral.

É que é suposto fazer silêncio ou o mínimo ruído possível num hospital.